#4ThePlayers: Memórias da PlayStation 4


19 de novembro de 2020. Daqui a precisamente um mês, chega a Portugal a nova PlayStation 5, abrindo as portas da nova geração PlayStation a todos os jogadores. Com isso, acaba também um ciclo importante: a geração PlayStation 4!

Lançada originalmente em novembro de 2013, ao longo destes sete anos esta tem sido a fonte de imensas surpresas e alegrias para mais de 100 milhões de jogadores em todo o mundo. Tantas, que marcou para sempre um ponto de viragem para o Meus Jogos: a necessidade de abraçar múltiplas plataformas, o prazer de falar de tudo aquilo que se andava a jogar. E por isso mesmo, decidimos agora criar uma pequena série de artigos, dedicada aos melhores momentos, as nossas memórias da PlayStation 4!


O meu primeiro contacto com uma PlayStation 4 ocorreu poucos dias antes do seu lançamento, num evento de apresentação da consola aos meios de comunicação nacionais e outros convidados da marca. Na altura, além do Meus Jogos DS, escrevia também para o Split Screen Blog, um blog dedicado a cinema e televisão onde, ocasionalmente, aproveitava para falar também de jogos com experiências mais cinemáticas... e assim fui, pela primeira vez, experimentar a PS4.

"The Playce" era o nome do evento. Um espaço na zona de Santos, em Lisboa, com múltiplas divisões nas quais se apresentavam diferentes experiências em torno da nova consola e como ela se poderia adaptar a diversos tipos de jogadores. Na altura, mostrava-se a diferença notória das capacidades gráficas, mesmo em jogos que também estavam disponíveis na PS3, mas os mais impressionantes eram mesmo os exclusivos, feitos já de raiz a pensar nas capacidades da consola.


Olhando para trás, nenhum dos jogos de lançamento foi propriamente marcante, isto quando comparado com o resto do catálogo que a consola viria a receber. Entre os destaques, estavam alguns dos jogos incluídos juntamente com o press kit do evento, como Killzone: Shadow Fall, o platformer Knack e o Call of Duty: Ghosts. Com uma PlayStation 3 em casa e ainda alguns jogos que queria mesmo terminar, de certa forma isto também facilitou o processo de ir juntando dinheiro para a comprar, no ano seguinte. Ninguém disse que viver em Lisboa era fácil!

Costuma-se dizer que todas as consolas precisam de um certo jogo para dar o pontapé de saída, mas o meu só chegou uns meses depois. Mesmo tendo uma PS3, e apreciando os jogos de uma certa editora (da qual falarei mais a fundo noutra ocasião), tinha deixado passar ao lado um determinado jogo de "zombies", apesar das críticas que faziam dele um dos melhores de sempre. Com isto, não resisti a comprá-lo depois, em conjunto com a PlayStation 4: The Last of Us Remastered.


E que bela compra foi! Entrar na nova geração com este jogo foi realmente uma óptima escolha, trazendo-se uma experiência muito mais profunda e envolvente do que alguma vez estaria à espera, ao ponto de me fazer sentir pena de não o ter jogado mais cedo.

Na altura, apesar de jogar bastante na PS4, não tinha muitos conteúdos sobre os quais pudesse realmente escrever, além de coisas como a trilogia remasterizada de Uncharted, ou jogos de narrativas interativas como o caso do original Until Dawn e adaptação do Beyond: Two Souls.

Até que, em inícios de 2016, aproveito o aniversário do site para a mudança mais profunda da sua história! O "Meus Jogos DS" passa a ser simplesmente Meus Jogos, no qual toda a equipa passa a poder falar dos jogos que bem apetecer. Assim surge o primeiro artigo do site dedicado à PlayStation, na altura uma antevisão ao Ratchet & Clank que chegaria brevemente à PS4, ao que se seguiu a minha primeira review para esta consola: levou um Bom!


Ao longo dos últimos 4 anos, a PS4 levou-nos a explorar mundos de todos os tipos e mais alguns, desde os grandes exclusivos da consola aos mais peculiares indies, com grandes títulos 3rd party pelo caminho. Desde grandes aventuras épicas como Uncharted 4 ou God of War, até delirantes jogos para festas como o És Tu!, a consola foi capaz de nos trazer uma enorme diversidade, especialmente quando comparada à geração anterior.

Foi também a primeira consola doméstica a justificar realmente um upgrade a meio da sua geração, com o lançamento da PlayStation 4 Pro.


Numa altura em que já muitos jogadores tinham um televisor (ou monitor) 4K, a PlayStation decidiu dar o salto com uma versão mais poderosa da PS4 capaz de dar um melhor output, tanto em termos de resolução como de framerate. Jogos como Horizon: Zero Dawn, Death Stranding, ou até o mais recente Ghost of Tsushima, são apenas alguns exemplos que tiraram partido desse poder adicional para, com isso, oferecer uma experiência muito mais impressionante.

"Isto é para os jogadores!" foi um slogan que, realmente, caracterizou bem a PlayStation 4 e aquilo que se poderia esperar dela. Agora, encerra-se um grande ciclo, mas não é o fim da consola que, pelo menos durante os próximos tempos, ainda receberá muitos jogos que farão as delícias dos seus jogadores. Isto, para não falar de todo o backlog, seja de jogos ainda por acabar, como pérolas por comprar, agora a preços ultra acessíveis.


This is For the Players...
Esta "caixa" pode já estar perto de se fechar, mas há muitas memórias para contar!

#4ThePlayers: Memórias da PlayStation 4 #4ThePlayers: Memórias da PlayStation 4 Reviewed by Telmo Couto on 09:00 Rating: 5

Latest in Sports