Pacer


Não é possível escrever uma análise a Pacer sem fugir ao óbvio que seria em falar de Wipeout, a inspiração evidente. Pacer é exatamente um jogo ao mesmo estilo, hovercrafts que circulam nas pistas a alta velocidade com o intuito de derrubar os adversários e vencer a corrida.


O ano é de 2075 e Pacer é o auge do desporto motorizado, pois oferece corridas intensas e desafiadoras em circuitos perigosos. Existem várias corporações que competem entre si numa batalha para ser o melhor e chegar ao topo. Este é um estilo de jogo que requer muita perícia e habilidades de controlo, puro árcade o jogador será testado a nível de reflexos.

Estão disponíveis 4 classes, estas variam entre os 400Km/h e os 1000Km/h, como seria de esperar, quanto mais veloz mais difícil. O jogo conta com os modos Eliminação, Resistência, Flowmomentum e Tempestade incluindo a Campanha. A Campanha é um modo interessante que leva o piloto aprendiz a percorrer várias equipas de todo o mundo desbloqueando recompensas à medida que vai progredindo até chegar ao pódio.



 
Ao todo existem 14 circuitos, sem esquecer de referir que conta com variantes, jogar à noite, em modo espelho e até em modo invertido. As corridas serão disputadas tanto nos Canyons como no centro de Manhattan com os neons vibrantes a iluminar a cidade e a própria pista, com um grafismo bastante bom e cores fortes. No que diz respeito aos veículos, existem 5 diferentes, parece pouco mas na verdade cada uma tem as suas características, umas são mais fáceis de manobrar, já outras têm uma velocidade superior, no entanto o melhor é mesmo a personalização que para além dos toques habituais da sua aparência, podem atlerar a sensibilidade dos travões, ajustar os parâmetros do motor e o próprio controlo.

Não seria parecido a Wipeout se o jogo não incluísse armas para despistar o nosso adversário. Existe um arsenal mortífero para adaptar à nave e percorrer o circuito atacando os nossos adversários sempre que possível. De ter em atenção que cada arma tem a sua vantagem e desvantagem, pode ser usado uma arma com mais munição que não causará tanto dano, ou uma arma que causa mais dano mas com pouca capacidade de munições ou até mesmo disparos mais velozes mas um carregamento de armas mais lento, a decisão é do jogador.


 No que diz respeito ao modo online, este está genial, isto porque tem a capacidade para 10 jogadores online, 7 modos de jogo e podem utilizar o chat de voz para falar com quem está presente. Podem criar salas para partidas privadas, juntarem-se a salas e claro, não podia faltar uma tabela classificativa global, como também um modo espetador para observar as habilidades dos outros jogadores.


Para finalizar, a banda sonora é extensa, estão disponíveis 80 músicas, é até possível criar uma playlist, músicas do artista CoLD SToRage (Tim Wright) que foram criadas em exclusivo para Pacer. É um bom jogo para os fãs do clássico Wipeout, caso contrário talvez seja um jogo que não vá interessar muito, embora tenha uma boa quantidade de pistas, configurações e música que dão vida a Pacer.


Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela Jesús Fabre

Pacer Pacer Reviewed by Patrício Santos on 09:00 Rating: 5

Latest in Sports