Mutropolis


Alguns títulos contam com demos que nos permitem ter uma janela de abertura para uma a história que os próprios produtores nos tentam contar num curto espaço de tempo. Foi precisamente isso que aconteceu com Mutropolis. O meu primeiro contacto com este título foi na Gamescom do ano passado (2020) onde de facto foi feita uma chamada de atenção para este título.

Mutropolis é uma história point & click com contornos sci fi, apresentada pelo estúdio espanhol Pirita Studio e com o dedo da Application Systems Heidelberg como publisher.
 
É uma premissa já bastante vista, mas o que distingue Mutropolis dos restantes títulos?

Bom, todo o seu ambiente e personagens têm um toque bastante peculiar já que são todos desenhados à mão. Conta com mais de 50 panos de fundo diferente, entre localizações também distintas. Para ajudar na sua ambientação todas as personagens contam com voz. Bom… Nem todas, já que algumas comunicam de uma forma diferente. Algumas ainda comunicam de uma forma bastante antiga, que por sons se caracterização com emojis. Sim sim, os emojis que todos usamos no nosso telemóvel. Mas como assim bastante antiga? É importante referir que toda a história é passada num futuro bastante longínquo no ano 5000, onde a população já está bastante bem assente na superfície de Marte.



O jogador interpretará o papel de Henry Dijon, e muitos dos jogadores sem dúvida veram a sua personalidade representada neste personagem. Quem não se intitular de Geek que mande a primeira espátula.

Henry faz parte de uma equipa de arqueólogos que procura Mutropolis, a cidade perdida. Muitos acreditam que é uma lenda e que nunca ninguém a encontrará, mas rapidamente a aventura apresenta contornos de investigação e intriga.

É aqui que o jogador entra em ação. Na base de operações onde todo o grupo se encontra na procura incessante da terra perdida. Após a conclusão do primeiro par de investigações, é possível abrir uma porta misteriosa que dá acesso a um mural gigante onde se pode ser “Mutropolis”. Todos ficam em choque! Será que encontraram a terra perdida?

É então que nesse mesmo momento o professor de Henri é raptado, não se sabe muito bem por quem nem o porquê.



Ficam então duas questões por responder. Onde está o professor? E onde fica a entrada da cidade? É esta a premissa de toda a aventura que se desenrola de maneira um pouco lenta. Embora a história seja bastante interessante e me tenha mantido motivado para a terminar, os seus puzzles e investigação por vezes são bastante aborrecidos quebrando todo o flow que a resolução do puzzle interior tenha surtido no jogador.

É bastante comum o jogador sentir-se perdido em títulos de género, mas neste caso é de facto percetível que esse sentimento tenha sido exposto a um nível superior. Neste caso, seria interessante ter algum tipo de botão de ajuda, que sem dar a resolução do que se teria de fazer a seguir, desse pequenas ajudas de onde ir ou onde procurar.

Como referido, todas as personagens apresentam voice acting, o que torna tudo mais interessantes, já que é possível criar algum tipo de relação com os próprios personagens e perceber melhor as suas intenções. Nem tudo é o que parece e talvez alguns membros da equipa não sejam bem aquilo que aparentam. Ou por outras palavras, podem não ter as melhores das intenções.

É hilariante perceber a própria ligação deste grupo e as suas falas. Volta e meia estava eu a rir com certas piadas. É o que faz ter o mesmo nível de piada que uma garrada de água vazia… Não é para todos, mas para os que gostam deste título de comédia.

A história é continua e contada por meio de capítulos. No entanto, é possível voltar a um capítulo anterior se se tiver feito um save previamente. Para avançar para o capítulo seguinte é, como esperado, necessário resolver o puzzle principal que é repartido por puzzles menores. No geral, não existem puzzles secundários, apenas pequenos apontamentos onde é possível resgatar um achievement ou outro. Até estes podem ser de algum modo inesperados, por isso é importante explorar cada recanto e clicar em todos os locais onde é possível fazê-lo.    

Mutropolis conta com uma história interessante e personagens cativantes que por meio de falas engraçadas conseguem conectar os pontos de história. O problema está de facto na quebra de todos os momentos de diversão por meio de puzzles e pequenos apontamentos que muitas vezes podem escapar ao jogador. É indicado para os jogadores mais aficionados por este género de investigação que conseguem tolerar uma grande quantidade frustração, missing points e momentos perdidos entre andar para trás e para frente entre localizações diferentes.  

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para PC via Steam, gentilmente cedido pela Application Systems Heidelberg.

Mutropolis Mutropolis Reviewed by Pedro Almeida on 09:00 Rating: 5

Latest in Sports