O melhor Iberanime(*) até hoje!


(*) Iberanime OPO2018 & Eurogamer Portugal Fest.

Sim, que nome complicado! Como é sabido, nas últimas edições, o Iberanime tem investido bastante na vertente dos videojogos. Se há pouco mais de 5 anos noticiávamos a primeira participação da Nintendo no evento, hoje este é um espaço amplamente receptivo à comunidade dos videojogos sem ter descurado o destaque para a cultura pop japonesa que sempre foi sua a trademark.

A verdade é que tem tido um crescimento enorme, mas parece ainda não ter encontrado a sua identidade: Iberanime ou Eurogamer? A confusão é grande e foi percetível por reações de seguidores nossos nas redes sociais. Publicações referentes a videojogos com reações do género "Isso é no Porto? Também está a haver lá o Iberanime!" mostram que há um grande trabalho de comunicação a fazer a este respeito. Não nos compete sugerir alternativas, mas um "Eurogamer apresenta: Iberanime" poderia manter o patrocínio (e a palavra "Gamer" lá no meio também) sem parecer que se tratavam de dois eventos distintos. Nem importa realmente o nome que lhe dessem! AnimeGamer? GamerAnime? Para efeitos práticos, neste artigo, chamemos-lhe apenas o Iberanime. E para Iberanime, foi o melhor evento realizado até hoje!


Depois da Comic Con Portugal ter decidido trocar a cidade de Matosinhos e o espaço da Exponor pela cidade de Oeiras e umas tendas de plástico, o Norte do país passou a ter no Iberanime o único grande evento "geek" da região (olhem, "Ibergeek" até soa bem). Com a Exponor agora livre de qualquer ação do género, a organização mudou-se de malas e bagagens para o centro de congressos, ocupando um total de dois pavilhões e ainda o grande auditório. O resultado foi um grande exemplo de boa organização.

Em vez de separar conteúdos por áreas, mesmo tendo mantido dois nomes para um só evento, optaram por misturar livremente stands e lojas que poderiam facilmente ser marcadas como "Iberanime" ou "Eurogamer". A circulação ao longo do evento era bastante simples com um amplo corredor de acesso a todas as áreas e até no pavilhão com o maior número de expositores era fácil de circular entre eles, mesmo nas horas de pico de afluência. Devido à natureza do evento, havia também uma afluência impressionante em termos de cosplayers e com trabalhos de grande qualidade. Por todo o lado havia cosplays interessantes e muito bem feitos, gostaria de ver estatísticas relativas à sua participação no evento.

Um ponto extremamente louvável foi o posicionamento das bancas dos artistas. Noutros eventos, estes são frequentemente segregados para uma secção menor, ou colocados a um canto, mas aqui estavam perfeitamente distribuídos ao longo do corredor principal. Não era preciso ir à procura da arte para a encontrar. Em contrapartida, um aspeto a melhorar em edições futuras será um aumento na oferta de refeições para os visitantes que lá passem o dia inteiro. Do ponto de vista da organização poderá ser uma oportunidade de negócio ao atrair comerciantes de "street food" e afins.


A nível de videojogos, o grande destaque desta edição terá de ir para o stand da Nintendo, onde a grande maioria do seu conteúdo se tratava de jogos que ainda não chegaram ao mercado. É algo habitual em eventos internacionais, diga-se, mas em Portugal continua a impressionar quando um evento permite experimentar novos jogos e não apenas os lançamentos recentes. A Nintendo trouxe pela primeira vez a Portugal os jogos Pokémon Let's Go Pikachu / Eevee e Diablo III, além do regresso da versão demo de Super Smash Bros. Ultimate que tinha sido apresentada na Comic Con Portugal. Ao contrário de eventos internacionais, no entando, não era preciso esperar em filas de horas para cada sessão de jogo. Um verdadeiro luxo que apenas se consegue ter em Portugal.

A Xbox marcou presença com um pequeno stand onde era possível jogar o novo Forza Horizon 4 em 4K na Xbox One X, com um grafismo que não deixava ninguém indiferente. Continua, porém, a ser uma marca subvalorizada neste país e a Microsoft já fazia alguma coisa em relação a isso.


Já a PlayStation levou um variado conjunto de conteúdos, desde os jogos familiares da gama PlayLink às novas experiências no PlayStation VR, tendo como grande atrativo para os mais nostálgicos (e os mais novos também) a oportunidade de experimentar em primeira mão o novo Spyro Reignited Trilogy para a PS4.

Para terminar, um merecido prémio de sentido de oportunidade para a marca Old Spice, que decidiu ter um pequeno stand promocional no evento. Há anos que já é uma piada recorrente dizer que uma marca de desodorizantes devia patrocinar o Iberanime. Aqui está, finalmente, a Old Spice, e por isso tiramos-lhe o chapeú.

Foi sem dúvida o Iberanime mais agradável de visitar em muitos anos, tanto pela organização do espaço como pela boa disposição do público que o frequentou. A enorme quantidade de cosplayers fez deste um evento realmente especial. Esperemos que continuem pela Exponor, aproveitando o que de melhor fizeram nesta edição para se dedicarem aos pontos que ainda há a melhorar, incluindo a comunicação do próprio evento ao público geral.
O melhor Iberanime(*) até hoje! O melhor Iberanime(*) até hoje! Reviewed by Telmo Couto on 22 outubro Rating: 5

Latest in Sports