O primeiro contacto com Red Dead Redemption 2


Artigo por André Santos / Parceria Future Behind

O primeiro título da aclamada série da RockStar Games chegou em 2010. Oito anos depois chega às consolas de última geração Read Dead Redemption 2 [RDR2], e o hype é tanto em torno do jogo que a crítica internacional diz mesmo que para os jogos em mundo aberto passa a existir um antes e um depois de RDR2.

Mal o jogo nos chegou às mãos, o que aconteceu devido a uma parceria com o site Meus Jogos, começamos o processo de instalação que nos fez adicionar um disco externo a nossa PlayStation 4 Pro. Sim foram muitos os jogos de qualidade que chegaram ao mercado nos últimos meses, mas importa referir que este RDR2 vem dividido em dois discos (só por curiosidade, L.A. Noire para a Xbox 360 vinha divido em 3) e que no conjunto de ambos têm uns bons 80Gb e a isto ainda podem adicionar o Day One Patch.

Mal acabou a longa espera começamos a jogar e percebemos o porque dos mais de 80Gb. Percebemos também que toda a espera por este Read Dead Redemption valeu a pena pois a qualidade gráfica do jogo é impressionante e a narrativa, pelo menos nas primeiras três horas de jogo, deixa-nos agarrados ao ecrã e o mundo a nossa volta fica em segundo plano.


Trabalho gráfico de topo

Umas das coisas que mais depressa percebemos foi que estávamos perante um título que foi desenvolvido para estabelecer recordes e criar novas metas. A primeira meta que parece já ter criado está diretamente ligada ao trabalho gráfico feito pelo estúdio RockStar, o aspeto do jogo é deslumbrante tanto em momentos de game play como em cut scenes.

Para avaliar o trabalho gráfico de um título é necessário que nos foquemos principalmente nos momentos de game play pois as cut scenes geralmente têm um aspeto melhorado quando em comparação com o restante jogo. Em RDR2 a qualidade apresentada é de tal forma alta que mesmo em momentos de game play temos a possibilidade de transformar o momento em cut scene e apreciar as paisagens que nos vão sendo oferecidas nas longas viagens a cavalo.

Em relação ao grafismo do jogo queremos apenas deixar um último ponto enquanto não temos mais horas de jogo para escrever uma análise completa: A possibilidade de mudar para uma camara em first person é fantástica e traz ao jogo todo um novo grau de imersão.


Será este um drama interativo em mundo aberto?

São muitos os títulos com narrativas ao nível de Hollywood e são outros tantos os títulos que nos deixam decidir o parte do futuro das nossas personagens ao mesmo tempo progredimos no jogo. Mas quantos deles nos deixam fazer isto e ainda apresentam um mapa em mundo aberto com a imensidão do mapa presente em Red Dead Redemption 2? Diríamos que não são muitos e no novo título da RockStar Games temos a possibilidade de criar não só uma reputação para a nossa personagem, mas também laços com o nosso fiel companheiro e meio de transporte.

A reputação é criada quando decidimos, por exemplo, se queremos ou não poupar a vida de alguém que se cruzou no nosso caminho. Quão surpreendente seria se este tipo de interações viesse a mexer com o rumo que a nossa história segue?


Tanto para descobrir

Não só o mapa é enorme, mas oferece-nos muito, mas muito para descobrir. Como percebemos ao explorar os menus, temos várias espécies de peixe para descobrir o que significa que provavelmente podemos ir à pesca como forma de arranjar comida como ficamos também a saber que existem outros seis gangues que vamos encontrar no decorrer do jogo.

Mas não foram os peixes, os gangues ou a todos os desafios que mais nos espantaram. O que mais nos espantou foi mesmo as mais de 100 espécies de animais que temos para descobrir ao longo das nossas aventuras como Arthur Morgan. O que podemos dizer por agora, tendo em conta a nosso primeiro encontro com uma destas espécies é que nem todas são amigáveis. Olhos bem abertos.


Por fim…

Vamos parar por aqui e continuar as nossas aventuras pelos Estados Unidos da América em 1899. Contamos ter uma análise pronta para vocês nos próximos tempos, não o fazemos agora porque seria injusto para um jogo que parece ter tanto para oferecer. Dado que só tivemos acesso ao jogo aquando do seu lançamento as horas de jogo são poucas e ainda temos a vertente online para descobrir. Dito isto, assim que sentirmos que temos o suficiente para poder escrever uma análise justa ao novo título da RockStar Games a mesma será publicada… fiquem atentos.

Red Dead Redemption 2 está disponível desde dia 26 de outubro para PlayStation 4 e Xbox One, não existindo qualquer tipo de comunicação oficial que garanta o desenvolvimento do título para Windows PC.

N.R.: Este artigo foi realizado com base numa cópia do jogo para PlayStation comprada pelo autor do texto, a correr numa PlayStation 4 Pro.
O primeiro contacto com Red Dead Redemption 2 O primeiro contacto com Red Dead Redemption 2 Reviewed by Telmo Couto on 29 outubro Rating: 5

Latest in Sports