Madrid Games Week 2018


Uma experiência sem igual, é como eu tinha de começar este artigo sobre a minha ida a Madrid. Antes de tudo, agradecer ao Telmo por ter ajudado na acreditação para que toda esta aventura fosse possível. Assim sendo, existe muito para vos contar acerca deste evento gigantesco que tive o prazer de visitar.

O Madrid Games Week teve 4 dias repletos de eventos, torneios e muitos jogos para todos, no entanto só tive a oportunidade de lá estar no fim-de-semana. O evento, tal como referido antes, era gigante, maior do que estamos habituados a ver em Portugal, os pavilhões estavam repletos de pessoas, jogos e acessórios. A ser muito honesto, eu cheguei a perder-me lá dentro andando às voltas enquanto procurava o jogo que mais desejava jogar, nada mais nada menos que o remake de Resident Evil 2.


O meu primeiro dia foi dedicado principalmente a fotos e vídeos como todos vocês tiveram a oportunidade ver na nossa conta do Instagram. Enquanto postava e via completamente fascinado tudo aquilo que por ali se passava, as baterias do meu telemóvel e Go Pro ficaram esgotadas tanto como a memória de ambos os dispositivos. Registava cada momento como se não houvesse amanhã. Pois bem, este primeiro dia, foi apenas um momento de registos e de me familiarizar com tudo aquilo que o Madrid Games Week tinha para apresentar. Estava completamente exausto da viagem de 6 horas de carro de Barcelona até Madrid, por isso uma hora antes do evento terminar fiz as malas e apanhei o Metro até ao hostel pois as minhas costas e pernas já não aguentavam mais.

No segundo dia sim, foi aqui que tive a oportunidade de me deliciar finalmente a jogar tudo aquilo que eu queria, ou diria, quase tudo. Após ter estudado bem a localização das tendas existentes, a minha escolha óbvia foi dirigir-me ao segundo pavilhão onde se encontrava a PlayStation com o Resident Evil 2 Remake. De todos os jogos que estão prestes a ser lançados e outros que já se encontram no mercado, este remake de um dos jogos da minha vida foi facilmente o jogo mais surpreendente por múltiplas razões. Não só por ser um remake competente, como pela sua jogabilidade, ambiente recriado assustador e um gore que faz tremer de medo, com cenas completamente novas mas portas e cenários exatamente iguais ao velho jogo lançado em 1998. Está completamente incrível, podem ter a certeza que este remake não irá desiludir os fãs, é o meu RE favorito e esta pequena demonstração que pude jogar deixou-me extremamente feliz.


Depois de 12 anos à espera também tive a oportunidade de jogar Kingdom Hearts 3, este era a minha segunda prioridade no Madrid Games Week, sendo um fã acérrimo da série, não podia deixar passar ao lado este belíssimo jogo. Belíssimo porque os gráficos estão assim mesmo, de deixar um sorriso na cara de qualquer jogador. No mundo Toy Box (nome para o mundo de Toy Story em Kingdom Hearts), os jogadores tiveram a oportunidade de jogar dentro do quarto do Andy e saltar fora do quarto combatendo os heartless na rua. A jogabilidade é praticamente a mesma, não mudou por aí além, mas as magias e a forma como tudo é jogado, foi precioso. Concluindo, o jogo está muito parecido aos anteriores mas o grafismo e as magias fazem os olhos chorar de alegria.

Após estas prioridades, voltei à entrada principal do Madrid Games Week, onde tínhamos logo à vista o stand da Bandai Namco Entertainment (BNE), um dos meus favoritos por várias razões. Primeiro porque a empresa costuma ter dos jogos que mais aprecio baseados em animes, segundo porque ali estavam jogos que tanto queria jogar e consegui, de facto, experimentar todos.


Posso começar por contar como correu o Jump Force, um dos que estava menos expectante devido aos gameplays que tenho visto no Youtube. Tal como o nosso caro colega Nuno daqui do Meus Jogos, partilhava a mesma opinião que “as personagens parecem de borracha”, sim pareciam, mas na verdade quando estive a jogar fiquei com outra opinião e tenho a dizer que me agradou o grafismo. De qualquer das formas preferia que fosse de facto em anime e não desta forma mais, por assim dizer, “realista”. A jogabilidade é interessante, muitos botões e combinações, não se trata de um jogo totalmente simples e isso foi uma surpresa. A quantidade de personagens disponíveis eram boas, desde personagens do universo Dragon Ball (como seria de esperar) como personagens de Bleach, One Piece, Naruto e até Hunter X Hunter. Joguei com Goku (claro) e os outros dois Luffy e Naruto. Fiz apenas um combate pois queria jogar outros jogos e não perder muito tempo. Pois bem, resultado final, tenho a dizer que o jogo tem pernas para andar (e dar porrada) mas ainda assim há algo ali que parece faltar, por isso até ao seu lançamento que será em 2019, pode ser que as coisas mudem.

Continuando no stand da BNE, joguei também One Piece World Seeker. Este curiosamente é outro com que todos ficaram impressionados menos eu, pelo que tinha visto nos trailers. Pois bem, daquilo que joguei está muito parecido ao Unlimited World Red, é jogável e bonito, mas podia realmente estar melhor. Parece que será mais um jogo One Piece direcionado para os fãs pelo seu fan service, com alguma dose de Gum Gum no Red Hawk!


Ao lado deste estava o My Hero One's Justice, jogo de uma das minhas séries animes favoritas de todo o sempre, Boku no Hero Academia. Escusado será dizer o quanto eu adoro este anime que há bem pouco tempo terminou a sua quarta temporada. Pelos trailers, sempre me deu a entender que seria um jogo lento no que diz respeito aos combates e sinceramente foi o que mais me desiludiu. Após jogar confirmei que de facto falta velocidade nas personagens, tanto a correr pelos cenários 3D como a nível de execução dos ataques. O grafismo e detalhe inserido no jogo já são de louvar, no entanto e, como fã, não me importava de um dia adicionar este jogo à minha coleção.

Taiko no Tatsujin também estava presente, ainda tive a oportunidade ouvir o tema do tão galardoado filme anime “Your Name”, o que me chamou a atenção por temas tão variados, no entanto este é um jogo do qual podem descarregar a demo disponível na eShop da Nintendo Switch. Dragon Ball FighterZ também esteve disponível pois a versão Switch foi lançada no mês passado. Escusado será dizer que comprei a versão Switch mesmo tendo a versão PS4.


Mas vamos a novidades e como já estamos a falar em fighting games, outro que foi lançado exatamente no dia da feira Madrid Games Week é o novo Soul Calibur VI e fui jogar para ver se estava enferrujado, pois já não jogava Soul Calibur há uns anos. Gostei bastante, está parecido a todos os jogos da saga e o melhor foi experimentar com o Geralt de The Witcher, fiquei logo fã pois é uma das personagens de videojogos que mais gosto. Para quem sempre gostou, não vai encontrar nada de errado em Soul Calibur VI no entanto não podem ver isto como uma análise pois apenas joguei 5 minutos.

O último jogo da BNE que tive o prazer de jogar foi Ace Combat 7, pois sempre fui fã de Ace Combat. Claro, é um jogo de aviões de guerra, naturalmente não haverá muita diferença comparado com os outros anteriores. No entanto, é sempre um prazer jogar e posso desde já dizer que me safei bem! O que eu realmente adorava experimentar era com os óculos VR, essa experiência sim deve ser fenomenal! Mais ao lado do stand da Bandai Namco Entertainment decorriam torneios de jogos da própria Bandai Namco, incluídos estavam Tekken 7, Dragon Ball FighterZ entre outros.


Passando ao stand Nintendo, havia de tudo um pouco. Fortnite estava bem destacado no stand, mas o FIFA 18, Dragon Ball FighterZ e outros jogos 3rd party também. O mais importante são os exclusivos e disso, o stand também estava repleto. Como é evidente, destaque para o tão aguardado Super Smash Bros. Ultimate que até um torneio foi realizado. Um outro que todos os fãs querem muito jogar e estava presente para experienciar era o novo Pokémon: Let's Go Pikachu / Eevee, que podia ser jogado com a Poké Bola. Como a Nintendo tem sempre uma data de exclusivos (novos e velhos), os jogos presentes eram imensos, Diablo III, Bayonetta 2, Super Mario Party, Super Mario Odyssey, Xenoblade Chronicles 2, Mario Kart 8, Mario Ace Tennis, Splatton 2, se não me falhou nenhum. Um stand maior do que os dos eventos em Portugal, mas pelo menos em Portugal no Iberanime também estiveram as maiores novidades que havia aqui.

Um evento destes contou como seria expectável, com uma enorme data de torneios a decorrer em simultâneo, no entanto eu estava mais concentrado em jogar as novidades e, mesmo ao lado do stand da Nintendo, estava uma demo de Darksiders III. Este é outro jogo que fãs da série aguardam há uns anos. Darksiders III terá lançamento no mês de Novembro e o jogo está semelhante ao que temos jogado anteriormente, o que na minha opinião é bem espetacular. Tanto a nível de jogabilidade e até mesmo o estilo do grafismo, este será um jogo a não perder de certeza absoluta.


O stand da Xbox One era aquele que parecia mais pequeno e na verdade foi talvez o que teve a maior fila de espera de todos, para jogar o novo jogo da From Software, Sekiro: Shadows Die Twice. Estive uma hora na fila para o jogar, valeu a pena? Sim, apesar da demo ter apenas 10 minutos. É um jogo da From Software, em relação ao Dark Souls pareceu mais fácil um pouco, mas isso talvez porque o modo de dificuldade da demo era baixo? Não tenho a certeza, de qualquer das formas ainda morri umas 5 vezes enquanto o testava.

Ao lado de Sekiro encontrei um jogo que não fazia mínima ideia que estava disponível para jogar, Devil May Cry 5. Nesta demo tive a oportunidade de jogar com Nero, que fez a sua estreia em Devil May Cry 4 na passada geração. O jogo está de facto muito parecido com o 4, a jogabilidade tem a mesma velocidade, o que me desiludiu pois após jogar Bayonetta esperamos sempre por algo rápido e frenético. Não deixa de ser linear, mas agora Nero tem a possibilidade de trocar de braço, pois por alguma razão, ele perdeu o famoso poder que tinha e agora usa próteses. Estas próteses vão-se gastando conforme lutamos ena demo existiam dois tipos, cada uma delas com as suas especificidades em combate. Assim que perdíamos as próteses, ao exterminar inimigos com a espada, era possível recolher estas próteses como loot. Depois de algum tempo a lutar contra inimigos de fraco calibre chegou um boss a sério numas ruínas incríveis, gráficos de fazer cair o queixo. Sem esquecer que Nero está com umas piadas jeitosas tal como Dante nos tinha habituado antes. Devil May Cry 5 chega em março e estamos ansiosos por jogar uma versão completa.

Neste mesmo stand era também possível de jogar a demo de Kingom Hearts 3, onde estava visível a todos uma gigante Keyblade no meio, brutal! De novidades era isto, mas o stand da Xbox One também contava com jogos como Forza Horizon 4, o novo Shadow of the Tomb Raider e PUBG. Impressionante, quando em Portugal o investimento da marca nos eventos é quase invisível.


Possivelmente o maior stand do evento, a PlayStation esmerou-se com tudo aquilo que tinha para levar a Madrid. Desde a demo de Resident Evil 2 Remake como Days Gone e os jogos VR para experienciar. Como referido antes, RE2 Remake foi para mim o maior destaque, no etanto existia a demo de Days Gone e como é evidente fui a correr para experimentar logo pela manhã. Para meu espanto, era impossível pois as inscrições tinham terminado às 10h30. Nada a fazer, dirigi-me a outros sítios ali na zona, onde pude ver o Spyro Reignited Trilogy. Depois havia um court de basketball onde o pessoal podia jogar com alguns profissionais, para fazer publicidade ao NBA 2K18. Os jogos Playstation Hits também marcaram presença para quem estivesse interessado em conhecer os jogos que agora se encontram a preço reduzido.

Por falar em preços reduzidos, ali perto estava a loja GAME que outrora existia também em Portugal. Aqui havia de tudo, desde jogos, acessórios, action figures, a loja era enorme e eu ainda comprei lá uma lembrança para trazer comigo. Fora os stands principais existiam as lojas tradicionais que encontramos no Iberanime ou Lisboa Games Week todos os anos em Portugal a praticar os mesmos preços, tal como roulottes de comes e bebes pela feira toda e um stand enorme de Gran Turismo onde estavam presentes 3 carros topo de gama em exibição.

Com tanto jogo na feira, não tive a oportunidade de jogar Hitman 2 ou o mais recente Metro mas para tal era necessário participar nos 4 dias do evento porque os pavilhões eram mesmo gigantescos, tão grande que não tive tempo de visitar o pavilhão destinado ao retro para poder trazer-vos as novidades da feira. Felizmente, deu para jogar a maior parte e a experiência foi genial. Esperamos agora pelo Lisboa Games Week.


Por Madrid foi assim, da minha parte a próxima paragem será no final do mês, no Barcelona Games World!
Madrid Games Week 2018 Madrid Games Week 2018 Reviewed by Patrício Santos on 29 outubro Rating: 5

Latest in Sports