Ring Fit Adventure: Um mês de suor!


Faz esta semana um mês desde que o Meus Jogos começou a fazer treinos intensivos em Ring Fit Adventure, o novo título para a Nintendo Switch que chegará ao mercado já no próximo dia 18 de outubro. O jogo promete fazer transpirar, e tem sido precisamente essa a questão que mais nos colocam em relação a esta aventura. Será que faz efeito?

Este não é um videojogo tradicional e, por causa disso, também não se joga da mesma maneira. Não se esperem incontáveis horas de "stream" na internet, pois os jogadores ficarão realmente cansados e, por isso, o ideal será cada um criar a sua própria rotina, conforme aquilo que dê mais jeito. A ideia é simples: meia hora de atividade por dia dará melhor resultado do que 2 ou 3 horas seguidas mas apenas uma vez por semana. Por aqui, sessões diárias (ou quase) de cerca de 45 minutos têm dado bom resultado.

Estes modelos nunca transpiram. Obrigado Nintendo, que assim não temos de publicar fotos nossas! 
Passar um mês com um videojogo de aventura poderia significar que se estava próximo do final, mas aqui está longe de ser o caso. Além de uma enorme variedade de mundos e conteúdos, a Nintendo apostou seriamente no chamado "replay value". Há, por exemplo, níveis com caminhos alternativos e tesouros bem escondidos, missões com desafios específicos e tudo isso conta para a percentagem com que se passou cada um dos mundos. O jogo conta ainda com todo um sistema de smoothies (as "poções mágicas" deste jogo) que dão importãncia à recolha de materiais raros para depois se ter melhor desempenho nas batalhas.

A piada disto é que, se tirarmos da mente o contexto de videojogo, percebemos facilmente a utilização de certas desculpas para colocar o jogador a exercitar. Atacar os inimigos é cansativo? Arranja-se smoothies para beber. Como? Indo fazer outros níveis para se recolher material. O que muda é a forma, mas não deixa de haver exercício.

Nesse aspecto, há que apreciar a forma inteligente como o jogo conta o tempo. Tanto ao escolher os níveis como durante todas as ações, o tempo de exercício indicado no jogo refere-se precisamente à atividade física e não ao tempo de jogo ligado. O perfil de cada jogador numa consola irá dizer o quanto ele exercitou, o que é particularmente interessante quando duas ou mais pessoas jogam na mesma casa.


Então e os efeitos? Há certas coisas que só se consegue mesmo sentir após uma longa experiência. Se nos primeiros dias qualquer um se impressiona com umas "dorzinhas" musculares por ter feito exercício, a verdade é que ao fim de um mês o que começa a impressionar são algumas melhorias visíveis em termos de postura, assim como já se notar alguma perda de barriga (não, não há fotos). O que no início era muito cansativo começou a parecer "normal" e por isso mesmo o jogo convidou ao aumento da intensidade.

Será comparável ao ginásio? Este jogo parece ser ideal para quem não é fã dos ambientes de ginásio, especialmente aqueles com as televisões a mostrar videoclips num canal de música qualquer enquanto as colunas passam uma música diferente e metade das outras pessoas estão a exercitar no Instagram. O ambiente é colorido e a imagem corresponde ao que o jogador está a fazer, tudo o que se faz é contado nas estatísticas e devidamente recompensado. Mas não se pense que tudo é fácil. Quem não aprecia o chamado "leg day" na vida real, também não vai ficar fã de certos níveis do jogo que o irão obrigar a fazer!


Por aqui, ainda há bastante exercício para fazer até chegar a nossa review ao Ring Fit Adventure. Mas podemos já dizer que o continuaremos a jogar muito tempo depois.
Ring Fit Adventure: Um mês de suor! Ring Fit Adventure: Um mês de suor! Reviewed by Telmo Couto on 08 outubro Rating: 5

Latest in Sports