Cat Quest II


Dos estúdios The Gentlebros chega-nos Cat Quest II, um adventure-RPG com muita fofura à mistura, não fosse este um título com, imagine-se, gatos e cães. Mas sendo já esta uma sequela de Cat Quest, estará à altura do anterior?

A premissa do primeiro título girava à volta da irmã da personagem principal que fora raptada. Agora, a história está toda ela embrenhada em fantasia e mitologia. A trama fala de um mundo em paz sob o domínio conjunto dos sábios reis tanto gatos como cães. No entanto, uma arma poderosa conhecida como Kingsblade trocou as voltas aos reinos outrora em paz. Pois bem, cães e gatos começaram a disputar o controlo das terras.

Eventualmente a Kingsblade foi destruída, e com ela o mito e a sua lenda desapareceram, fazendo com que o reino dos gatos (Felingard) e o reino dos cães (O Império Lúpus) fossem divididos.

A profecia deste reino antevia o aparecimento de descendentes dos governantes divinos, e foi isso mesmo que aconteceu. O jogador poderá controlar tanto a personagem gato, como a personagem cão. Entre os tracadilhos, por vezes demasiados, podem-se ler "Your Meowjesty" quando uma personagem secundária se dirige a estes corajosos guerreiros. 


Em termos gráficos não houve uma grande mudança. Continuando com as linhas de pensamento do seu antecessor, este é um título com uma palete de cores vibrante e um mundo que parece feito de papel, super bem conseguido.

A jogabilidade assenta toda ela na aventura e ação com mecânicas RPG. Existem imensos inimigos espalhados pelo mapa, bem como "dungeons" e caixas de tesouros que permitem evoluir as personagens. Esta mecânica de "dungeon crawler" é muito bem vinda porque, como indicado, é a maneira ideal de evoluir a personagem, preparando-a assim para confrontos contra "bosses". 

No entanto, por vezes a ação pode ser um pouco frenética com imensa coisa a acontecer no ecrã e alguns desafios durante os combates. A maioria dos ataques inimigos provêm de um ataque em área, o chamado "AoE", que é apresentado em forma de círculo, quando este chega ao fim da sua expansão dá-se então o ataque do inimigo. Este aspeto dá assim alguma previsibilidade ao jogador para usar a sua habilidade de esquivar.


Combinando estes fatores com as habilidades de ataque, tanto de dano corpo a corpo como mágico, e mini-torres inimigas que disferem ataques que causam imenso dano, torna-se um pouco uma experiência ao género de "bullet hell". Há imensa coisa a acontecer no mesmo instante, pedindo assim alguma perícia e destreza ao jogador no momento de pressionar os botões corretamente. 

É possível equipar cada membro da equipa com peças de armadura diferentes, armas diferentes bem como as habilidades de magia. 

A bem da verdade, a única grande diferença será mesmo a incorporação do modo cooperativo localmente. É uma adição bastante agradável, no entanto, não tira a ideia deste parecer uma expansão ao jogo anterior em vez de um sucessor direto. Sim, tem uma história diferente mas o fator surpresa de jogar um título que poderia ser um pouco diferente é rapidamente desvanecido.


Cat Quest II conta com visuais e personagens deliciosos. Apresenta um charme que é único e que certamente agradará a amantes de animais, mais especificamente de gatos e cães. É o jogo cooperativo indicado para todas as idades.

Infelizmente a repetitividade do mesmo pode ofuscar alguns pontos positivos. O combate passa muito pela técnica do "toca e foge", apenas com a combinação de dois botões e os trocadilhos por vezes tornam-se ... maçadores. Não deixa de ser um título bom, mas fica um pouco aquém em termos da profundidade que se esperaria.
Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para PC, gentilmente cedido pela PQube Limited. 
Cat Quest II Cat Quest II Reviewed by Pedro de Almeida on 04 outubro Rating: 5

Latest in Sports