Madrid Games Week 2019

Foto: Madrid Games Week
O Meus Jogos esteve presente nos 4 dias do maior evento de videojogos em Espanha, o famoso Madrid Games Week, recheado de grandes novidades. Um evento desta envergadura tinha prometido apresentar coisas boas, incluindo um muito aguardado remake, mas nem tudo foi perfeito. Terá estado à altura das expetativas para todos os amantes de videojogos?

Embora jogos como Death Stranding e The Last of Us Part II estivessem supostamente presentes, ambos foram uma desilusão pois apenas era possível visualizar vídeos, alguns dos quais repetidos anteriormente na E3. No mínimo triste ficar numa fila de quase 3 horas para apenas visualizar mais do mesmo e ganhar um póster do jogo de Kojima e uma "tatuagem" da sequela do exclusivo da Sony.


Mas se isto foi a parte que desiludiu, a parte que fez o coração pular de emoção e a pele arrepiar foi o tao aguardado Final Fantasy VII Remake. Não existem palavras para descrever o sentimento após terminar a demo disponível. Se gostam de Crisis Core, pode-se dizer que é um Crisis Core de uma muito maior qualidade e ambição, o jogo tem tudo para ser o melhor do ano. A banda sonora orquestral dos temas famosos deste capítulo são um mimo, a jogabilidade e controlo de Cloud está fascinante, o grafismo detalhado ao mais ínfimo pormenor, as estratégias de combate... Tudo parece estar no ponto e podem ter a certeza que vai agradar tanto aos fãs do clássico de 1997 como até aqueles que estão interessados em iniciar a aventura épica do RPG mais famoso de sempre. Já tinha dito este ano passado que o remake de RE 2 está genial, FF VII R está exatamente no mesmo caminho.

Quanto ao resto que a PlayStation tinha para mostrar, o remake de MediEvil juntamente com a versão original estavam expostos para o público jogar e comparar, com o apelo à nostalgia. Os novos jogos a chegar ao Playstation Hits estavam igualmente expostos para serem jogados, um deles o belíssimo God of War. O Spider-Man também estava de volta, para aqueles que ainda não jogaram e não sabem aquilo que estão a perder. E estes foram os principais exclusivos da PlayStation na feira, mas não foi tudo.

Foto: Redcatpig Studio
Ainda no que diz respeito à PS4, o PlayStation Talents estava num canto a apresentar uma data de jogos indies de produtores talentosos e, entre eles, o vencedor deste ano em Portugal com o jogo KEO. O jogo está a ser desenvolvido pelo Redcatpig Studio, uma equipa de 3 portugueses, e estive à conversa com eles.

Este foi um projeto que teve início há 3 anos e contou com uma paragem de um ano e meio, até que voltaram a trabalhar nele e assim foram parar ao PlayStation Talents. KEO consiste em um jogo multiplayer semelhante a um Rocket League misturado com Twisted Metal, feito para ser jogado num formato de 5 contra 5 online, mas também com a possibilidade de se jogar em split-screen 1 vs 1. Vão estar disponíveis diferentes modos de jogo, como Death Match e Conquista da base inimiga. Todos os carros podem sofrer upgrades de armas e escudos para os combates, no entanto cada um prepara o seu veículo da forma que der mais jeito, contando com uma vertente estratégica para que os jogadores criem entre si uma equipa com veículos equilibrados. As arenas vão estar cobertas de uma variedade de power ups para ajudar ou prejudicar os adversários. KEO promete ser um jogo viciante e pretende reunir os amigos numa diversão hilariante. Da experiência de jogo, posso afirmar que o seu progresso está mesmo no bom caminho.

Foto: Madrid Games Week
Continuando pelo recinto, eis o stand da Nintendo, com os seus exclusivos de peso da Nintendo Switch como já é habitual. Dois deles são dos mais aguardados do ano, Luigi's Mansion 3 que está mesmo ao virar da esquina, e Pokémon Espada e Pokémon Escudo, os nomes espanhóis de Pokémon Sword e Pokémon Shield. Aproveitei para jogar a demo do Luigi's Mansion 3 e posso dizer que o irmão do Mario está melhor que nunca. Tem aquele sentimento místico da Nintendo que não dá competição a nada e demonstra uma vez mais a sua originalidade em tudo aquilo que apresenta, um jogo que irá certamente agarrar os jogadores. Além destes e Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020, os restantes exclusivos já estão no mercado, mas também podiam ser ali experimentados. Alguns exemplos eram Astral Chain, The Legend Of Zelda: Link's Awakening e Dragon Quest XI: Echoes of an Elusive Age.

Desta vez, infelizmente a Xbox One não estava com nenhum stand, mas a Bandai Namco não falhou e uma vez mais trouxe jogos que todos nos estamos igualmente ansiosos por jogar nas diversas plataformas. Foi possível jogar Dragon Ball Z: Kakaroto, e o que dizer? Embora estivesse à espera de algo um pouco melhor, no geral e no que diz respeito à parte RPG ele está no bom caminho, já na jogabilidade em si, um botão para executar os ataques normais não me parece que seja a melhor opção, mas esperemos pela versão final. O jogo do Super Herói por diversão, One Punch Man, estava também presente e jogável. Tal como sucedeu com o jogo do anime Boku no Hero, parece ser um pouco lento em termos de movimentos, mas ainda assim parece estar ok. O Code Vein já se encontra disponível e contava com uma demo jogável. One Piece Pirate Warriors 4 era outro dos jogos da Bandai Namco pronto a ser jogado, mas sabemos que é mais do mesmo, afinal de contas é mais um jogo "Warriors".


Falemos noutros grandes jogos que se encontravam espalhados pelo evento, como a "pre alpha" do jogo do Predador. Aqui jogamos uma equipa de 4 soldados contra um predador, foi uma experiência muito divertida mas que facilmente deu para reparar que ainda se encontra em desenvolvimento. Tem tudo para ser um bom jogo, desde a banda sonora que esta relativamente parecida a de Alan Silvestri, o que da mais gosto.

Mortal Kombat 11 estava no stand da WB com destaque para apresentar o tão aguardado T-800 do novo filme da saga Terminator, que está muito bom para todos os fãs da máquina vinda do futuro.

Avengers The Game era um dos jogos com muita gente e também muitas consolas. Se vocês se recordam do jogo do Senhor Dos Aneis da Eletronic Arts na PS2, este jogo do universo Marvel está igual. Os NPCs têm gráficos um pouco a desejar mas os nossos super heróis estão poderosos, e apesar de ser o jogo típico de pressionar os botões até à exaustão, não deixa de estar realmente divertido. Ver a ponte de São Francisco a arder com uns visuais espetaculares jogando com Hulk, Thor, Iron Man e Capitão América.

Nioh 2 foi um dos jogos que estava tão escondido do pessoal que muita gente nem deve ter reparado na sua existência o que foi uma pena mas, nos jogamos e a essência do primeiro esta nas veias do segundo.

Desporto não faltou em Madrid e NBA 2K20, FIFA 20 e Grid eram alguns dos jogos prontos a jogar no evento.


E claro, não ia deixar passar o Cyberpunk 2077 que esteve no Madrid Games Week em grande destaque. Tal como no "teatro" da PlayStation, aqui também não existiu nenhuma demo jogável, apenas os mesmos 15 minutos de gameplay já apresentados, mas desta vez com um elemento da CD Projekt RED a jogar em directo. Como agradecimento, tivemos direito a um póster lindíssimo do jogo.

O evento foi longo, cansativo, mas gratificante. Uma vez mais, a organização está de parabéns pois até mesmo em patrocínios foi impressionante. Ofereceu pizza e Red Bull a todos e uma data de surpresas e “regalos” para quem passou horas em filas para jogar 15 minutos de demos de jogos que estarão presentes nas nossas consolas no próximo ano. Foram 4 dias intensos, e fica a nota para quem quer experimentar jogos antes do seu lançamento: compensa muito mais tirar férias para visitar numa quinta ou sexta feira. Ainda assim, valeram mesmo as horas na fila para o Final Fantasy VII Remake.

Próxima paragem: uma série de eventos em Portugal!
Madrid Games Week 2019 Madrid Games Week 2019 Reviewed by Patrício Santos on 10 outubro Rating: 5

Latest in Sports