Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order


É curioso olhar para trás e ver a série Marvel Ultimate Alliance a par dos filmes que têm saído no cinema. Quando o primeiro jogo foi lançado em 2006 estávamos no ano em que saía o terceiro filme dos X-Men: The Last Stand e estávamos de olhos postos em Spider-Man 3. O segundo jogo surgia em 2009, um ano depois do aparecimento do primeiro filme de Iron Man que vinha lançar todo um conjunto de filmes, lançando a Marvel Cinematic Universe (MCU). 10 anos depois muito aconteceu nesse universo, acompanhamos o aparecimento de vários super heróis e mais recentemente assistimos ao Avengers: Endgame.


É precisamente em torno de Thanos e a sua Black Order que se centra Marvel Ultimate Alliance 3, mais concretamente nas Infinity Stones. A aventura começa quando os Guardians of the Galaxy encontram as 6 jóias e, ao serem atacados pela Black Order, levam todo um caos para a Terra. As jóias separam-se pelo planeta e vão parar às mãos de vários inimigos, que rapidamente fazem questão de usar o seu poder para os seus piores propósitos. Felizmente em poucas horas de jogo contamos logo com um bom leque de super heróis prontos para conseguir restaurar a paz ao planeta, ou melhor, ao universo.

Algo que me surpreendeu logo pela positiva no jogo foi a escolha de personagens e as suas respetivas séries. Fogem um pouco ao universo cinemático: é óbvio que contamos com presenças importantes na MCU como Iron Man, Thor ou Captain America e moldam-nos um pouco ao estilo do que observamos no cinema, mas dão destaque a outros como Daredevil, aos Inhumans, a favoritos como a Spider-Gwen ou Miles Morales com algum estrelato dentro do jogo. Até mesmo os X-Men surgem com imenso destaque e vários personagens jogáveis. O jogo não perde tempo a explicar as origens dos mais de 30 personagens e se os conhecem através do universo cinemático irão ter problemas a reconhecer muitos deles, juntamente com os vários vilões a enfrentar.


Se são fãs das BD irão encontrar imensas e boas referências, até porque o jogo é feito com base nas comics, desde os uniformes coloridos ou "berrantes" aos universos importantes, mas que nunca tiveram qualquer presença no cinema. Há algumas personagens surpresa, enquanto outras ficamos a pensar porque motivo não são jogáveis, mas atendendo os futuros DLC que se focam nos Fantastic Four, X-Men e Marvel Knights, são personagens que poderão estar reservadas para o futuro. Algo bastante interessante é a sinergia criada na configuração da equipa, onde certas super heróis combinam melhor com outros: ter uma equipa composta apenas por X-Men ou por Avengers, surgem boosts próprios que melhoram a eficácia da equipa. Há bastantes combinações possíveis a explorar entre os personagens todos e o jogo faz questão de nos avisar quando uma combinação entre personagens tem efeito.

São vários os capítulos a percorrer, geralmente lineares que nos obrigam a derrotar hordas de inimigos, enfrentar vilões e chegar ao boss de cada zona. É um jogo com um estilo muito arcade tal como os anteriores, ou melhor, é um beat-em-up ao estilo Streets of Rage onde os inimigos surgem de todos os lados e destruir vários elementos dos cenários dão-nos dinheiro, vida e energia, tendo sido extremamente satisfatório para mim destruir vários ornamentos só com esse propósito. Um jogo de ação acessível e, no geral bastante fácil, mas que ainda assim conta com um grau de dificuldade menor para aqueles que não estão habituados. No entanto há uma ou outra situação com estratégias específicas para derrotar certos inimigos, em alguns caso mal explicadas, que muitas vezes são mais chatas do que propriamente difíceis, ou até mesmo picos repentinos de dificuldade. De resto temos alguns enigmas pelos cenários em que não temos de pensar muito, são apenas para prolongar um bocado mais os níveis.


Uma aventura que deve ser partilhada, quer com amigos localmente ou online, já que é um género de jogo que puxa por essas sessões. A câmara afastada faz um bom serviço e temos uma boa noção de onde está o nosso personagem e quem são os inimigos, mas recomendo bem o uso das linhas coloridas para reforçar a localização dos personagens. Mesmo jogando sozinho é uma boa experiência, estando sempre a trocar entre as 4 personagens, efetuar as Synergy combos onde 2 personagens unem os seus ataques especiais, ou criar um verdadeiro ataque devastador com os 4 personagens ao mesmo tempo. Temos ainda a Heroic Camera, focando-se apenas na personagem que estamos a controlar, aproximando-a mais ao estilo dos tradicionais jogos de ação. Algo que notei, para além da resolução inferior ao jogar em modo portátil, é que sentia várias quebras de framerate nesse modo, ao que a jogar na TV o mesmo não acontecia com frequência, sendo no geral um jogo fluído.

Fora a campanha principal existem algumas missões secundárias mais difíceis e com algumas restrições ou missões extra para conseguir estrelas, que no fundo servem para desbloquear novos fatos para os personagens, mas até agora todos os que desbloqueei são apenas cores diferentes (sendo que existe pelo menos um "totalmente" diferente, mas que ainda não o consegui obter). Estes desafios são interessantes e acrescentam algum extra aos cenários simples, e são vários os desafios que vamos desbloqueando à medida que progredimos no jogo. Há imensas pedras especiais (ISO-8) para conseguir e fazer upgrade, que nos dão boosts nas estatísticas. Temos várias habilidades para melhorar em todos os personagens e ainda imensos boosts gerais nas estatísticas dos personagens todos, que vamos adquirindo (comprando), levando-nos a repetir cenários anteriores não só para subir o nível aos personagens, mas também para todos os melhoramentos possíveis que afetam o jogo no geral.


No geral este é um jogo muito interessante com boas surpresas pelo meio, sem dúvida feito a pensar nos fãs da Marvel, com um valor acrescido se forem fãs das bandas desenhadas. Um jogo rápido de pegar e avançar "só mais um bocado" em que progredimos bem se estivemos a jogar sozinhos, mas melhor ainda se for jogado com amigos!


Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Nintendo.
Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order Reviewed by Nuno Mendes on 19 julho Rating: 5

Latest in Sports