Catan (Nintendo Switch)


Catan é um dos jogos de tabuleiro mais conhecidos a nível mundial e, quando chegou ao mercado, foi realmente um grande salto para o género, como se pode ler no nosso artigo recentemente lançado sobre o tema: Breve História de Catan.

Sendo um jogo bastante popular, não é de espantar que tenha recebido uma versão para a Nintendo Switch. A questão, no entanto, é se essa adaptação está à altura do seu potencial.

Para quem não conhece, Catan é um jogo que mistura sorte, estratégia e boa negociação. Aqui, os jogadores sao exploradores de uma ilha inabitada, na qual tentarão construir os seus acampamentos e desenvolver o seu território, utilizando para isso os seu recursos. A cada turno, o lançamento de dados indica quais os recursos que serão disponibilizados a quem se tiver estabelecido nesses terrenos, pelo que a negociação entre os conquistadores se torna realmente importante, mas há que ter cuidado para não favorecer demasiado os adversários.

Ao longo do jogo, tanto as construções como a utilização de algumas cartas, que podem ser adquiridas para diversas ações, irão atribuir pontos de vitória aos jogadores, sendo que vence o primeiro a atingir um número pré-estabelecido.


Com esta adaptação para a Nintendo Switch, houve o cuidado de fazer uma boa apresentação visual do jogo, mesmo que não seja nada de extraordinário. Os controlos são simples e relativamente fáceis de aprender, mas limitados apenas à utilização dos botões dos comandos, sem opção de se utilizar o ecrã táctil em modo portátil.

Infelizmente, a experiência de jogo tem uma enorme limitação, pois só pode ser utilizada por um jogador, com os modos Singleplayer e Multiplayer. Sendo a Nintendo Switch uma consola que, além de doméstica, é também portátil, a falta de um modo multijogador local onde os jogadores se possam juntar como se fossem mesmo jogar o jogo de tabuleiro é uma grande omissão. Mesmo a experiência online é bastante limitada, fazendo com que jogar contra estranhos sem qualquer comunicação consiga ser basicamente o mesmo que jogar offline contra a A.I. do jogo.


Sem qualquer opção de multijogador local, o modo Singleplayer acaba por ser o grande núcleo da experiência. Aqui, além dos úteis tutoriais para se aprender as regras e mecânicas do jogo, há duas grandes opções: o modo campanha, com desafios pré-definidos, e o modo cenário, onde se pode configurar várias opções de jogo e jogar em mapas totalmente aleatórios, como aconteceria no jogo físico.

Quanto à campanha, há três níveis de dificuldade, categorizados como "Rookie", "Veteran" e "Master", que definirão o comportamento dos adversários no jogo. Mesmo para um jogador experiente, o modo "Veteran" consegue ser bastante intenso, pelo que o modo campanha promete durar bem mais horas do que os 15 cenários diferentes que já virão incluídos no jogo, dedicados tanto ao Catan "standard" como à sua expansão "Seafarers". Existe ainda todo um conjunto de cenários para a expansão "Cities and Knights", que vem bloqueado exigindo a sua compra como conteúdos adicionais.


A adaptação de Catan ao formato digital consegue ser uma boa forma de entretenimento e também de treino para os jogadores que gostam de desafiar os amigos no jogo tradicional. Infelizmente, esta adaptação para a Nintendo Switch conta com várias limitações que fazem dele uma experiência muito abaixo do que poderia ser, especialmente quando se encontra disponível noutras plataformas, incluindo dispositivos móveis, o gratuito Catan Universe.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Asmodee.
Catan (Nintendo Switch) Catan (Nintendo Switch) Reviewed by Telmo Couto on 08 julho Rating: 5

Latest in Sports