Nexomon Extinction



Apanhá-los todos? Rápido, antes que fiquem extintos!

É fácil olhar para um RPG de captura de criaturas para treinar e combater contra outras criaturas e rapidamente pensar em ...mon. Mas depois do sucesso que teve com o jogo original em dispositivos móveis, há que dar uma oportunidade a esta série que agora chegou ao PC e consolas, com uma nova aventura no mundo de Nexomon.

Nexomon Extinction é tanto uma sequela do original, como um título independente, fácil de compreender por quem vá entrar neste mundo pela primeira vez. Ao mesmo tempo, é também um jogo que tem a completa noção de que vai ser muito comparado a uma outra série do género, e por isso mesmo não tem qualquer problema em brincar com o assunto, mostrando um bom sentido de humor.


O jogo passa-se num mundo recheado de criaturas conhecidas como Nexomon. Habitualmente, não fariam mal a ninguém, mas acontece que entre elas há toda uma guerra, para decidir qual será a criatura dominante, uma espécie de imperador dos Nexomon. Os candidatos, criaturas gigantes conhecidas como Tyrants, estão há tanto tempo em guerra entre si, que atualmente colocam em perigo todos os habitantes deste mundo, incluindo as próprias criaturas.

A aventura começa, como em tantos outros jogos do género, com o despertar de uma criança orfã, depois de um pesadelo no qual era alguém mesmo muito importante! E daí parte em direção à floresta mais próxima, onde não é suposto acontecer nada além de encontrar o seu primeiro Nexomon, para que possa depois ser um treina... *cof* domador. É nesse momento que a floresta é atacada por um Tyrant, e assim surge uma personagem misteriosa que lhe dá a escolher uma criatura inicial. 

Os starters de Nexomon

Tal como habitual neste género, as diferentes criaturas (mais de 300 neste jogo) dividem-se entre diferentes elementos aos quais estão associadas, o que lhes dá diferentes forças e fraquezas em relação a outros elementos. Os combates decorrem por turnos, sendo que aqui cada criatura tem uma barra de energia e outra de stamina, sendo que esta última vai baixando de cada vez que se ataca e recuperando caso a criatura não faça nada nesse turno.

Infelizmente, o sistema de combate é algo desequilibrado, prejudicando o jogador em vários momentos de batalha. O mais notório é quando, num combate, a criatura do jogador perde todo o HP, sendo obrigado a substituir por outra personagem que, entrando em batalha, é automaticamente atacada. Depois sim, começa o turno seguinte e, se o adversário for mais rápido, é também o primeiro a atacar. Algo que até seria aceitável, se fosse igual para o oponente, mas quando este perde uma criatura e a troca, o jogador não pode atacar, simplesmente começa novo turno.

Além disso, não é fácil construir uma equipa desde o início, que se possa melhorar e tornar "especial". Apenas os que participam em combates recebem experiência, mas fazer entrar na batalha alguns monstros mais fracos facilmente os leva a sofrer com dois golpes potentes antes de poderem sequer fazer algo útil.


Se o sistema de combate poderia ser melhor, o que dizer então do sistema de captura. No papel, a ideia é fantástica, não bastando enfraquecer a criatura adversária, mas sim fazer com que se canse, ou que se entusiasme com comida, por exemplo. Isto valoriza o acto de captura, mas entretanto os elementos da equipa vão sendo atacados e eliminados, o que facilmente se torna frustrante. Depois é ainda preciso carregar numa série de botões aleatórios do comando, conforme apresentado no ecrã. Lá se vai a stamina dos jogadores que quiserem colecionar todas as criaturas!

Com tudo isto, o "grinding" do jogo pode tornar-se exaustivo, sendo mais fácil ir alterando constantemente a equipa à medida que se vai capturando criaturas mais fortes. Ainda assim, há muita coisa boa a apreciar neste título.

Este é um RPG com um mundo colorido e uma grande variedade tanto em termos de localizações como do aspecto das criaturas propriamente ditas. Os cenários são bonitos e há imenso por onde explorar, num mundo aberto com poucas restrições de movimento, com as áreas disponíveis expandindo à medida que se avança na história. Chegando a novas áreas, desbloqueia-se também o fast travel, o que ajuda muito num jogo destes, especialmente quando dá jeito ir buscar criaturas de um certo elemento para derrotar as da nova área que se esteja a explorar. Isso, e ir aos médicos recuperar a energia da equipa, pois o jogo não é propriamente fácil.


Lançado nas diversas plataformas, Nexomon Extinction é acima de tudo um jogo bastante divertido, com um sentido de humor que muitas vezes será dirigido diretamente ao jogador. Com imensas criaturas para descobrir e um grande open world para explorar, pode-se contar com muitas horas pela frente. Irá o jogador apanhá-los todos?

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Ecoplay.
Nexomon Extinction Nexomon Extinction Reviewed by Telmo Couto on 16:25 Rating: 5

Latest in Sports