Fight Crab


Quem nunca, no interior de uma marisqueira, ficou a imaginar como seria a vida daqueles pobres crustáceos, que mal sabem o que lhes espera? E quem nunca ficou a pensar porque raio as suas tenazes gigantes têm de estar amarradas? É simples, e agora há um jogo que mostra precisamente o quão agressiva consegue ser uma sapateira, especialmente se for gigantesca!!

O nome é auto-explicativo... a imagem de capa também. Este é um jogo de luta entre sapateiras, santolas, lavagantes e outros crustáceos. Todos eles têm algo em comum: são gigantes, furiosos e armados! Sim, porque as suas tenazes são excelentes para usar facas, espadas e pistolas. Hmm... é possível que tenham sofrido uma mutação qualquer... mas estão prontos a lutar!

A partir do menu principal, é possível escolher entre os modos Campanha e Versus, mas o melhor mesmo é começar pelo tutorial. Com tantas patas e tenazes, estes lutadores não se movem como se fossem pessoas, pelo que os controlos requerem uma boa aprendizagem. Na Nintendo Switch, utilizar os comandos Joy-Con permite tirar partido dos controlos por movimento, o que o torna bastante mais acessível, mas ainda assim há muitas técnicas a aprender. De qualquer das formas, será sempre algo complexo e com movimentos lentos... pelo menos até se desbloquear as armas mais rápidas e potentes.


O modo Campanha começa precisamente com o tutorial, na praia, onde a sapateira se quer afirmar pelas restantes. Conforme se vai avançando, tudo vai ficando mais estr...impressionante! Os cenários variam entre uma cidade na qual os crustáceos ocupam a rua, um templo medieval, a mesa de um restaurante chinês... e em todos eles há itens e equipamentos que podem (e devem) ser usados para agredir os adversários. Entre ataque e defesa, porém, o verdadeiro desafio é virar o adversário de patas para o ar, sem que se consiga levantar durante 3 segundos.

Neste modo, todos os combates contam como experiência, que pode depois ser utilizada para melhorar as estatísticas da personagem e adquirir novos equipamentos, o que aumenta bastante o "replay value". Além disso, é possivel jogar em modo cooperativo online, mesmo que não seja propriamente fácil encontrar outros jogadores.


Aliás, o grande problema do modo versus está no facto de ser difícil encontrar com quem jogar, sem ser em modo local. Em modo online, pode estar um ou dois jogadores em busca de adversários, ou simplesmente escolher a opção "Spectate" para ver outros combater, seja na Nintendo Switch ou noutras plataformas. Já localmente, podem jogar tanto em modo split-screen, ou em wireless local entre consolas. Nestes modos, todos os crustáceos estão disponíveis, bem como os equipamentos à escolha para as duas garras.

Há aqui qualquer coisa. Visualmente, o jogo não é nada de especial, com uma estética que remete para os tempos da PlayStation 2 e, ao mesmo tempo, parece totalmente apropriada. Os menus, então, parecem ainda mais antiquados... E a jogabilidade, como referido, tem uma grande curva de aprendizagem e habituação.

Já a banda sonora, surpreendentemente, é extraordinária, vinda do artista japonês DEKU, com temas que tanto davam genéricos de séries anime, até épicos medievais, passando por músicas j-pop sobre o quão delicioso é um caranguejo vermelho. O melhor é ouvir: Bandcamp


Naquela que é provavelmente a mariscada mais violenta de sempre, Fight Crab está longe de ser um jogo para qualquer um, com problemas desde os gráficos à jogabilidade. Ao mesmo tempo, talvez até mesmo por ser algo tão bizarro... tem qualquer coisa de fascinante. Um verdadeiro "guilty pleasure", com banda sonora a condizer!

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Mastiff Games.
Fight Crab Fight Crab Reviewed by Telmo Couto on 09:00 Rating: 5

Latest in Sports