Mörk Borg



Artigo escrito por Marco Silva.

Gostas de Tabletop RPGs e tens saudades daquelas regras mais clássicas das primeiras versões de D&D nos anos 70s? És fã de Heavy Metal, jogos com temas e arte ligados ao oculto? Simplesmente gostas de esqueletos e caveiras e de pancada de meia-noite? Então este pode ser o artigo que vais querer ler 😉



 Hoje venho-vos falar de  MÖRK BORG, um fantástico Old School Revival (OSR) Tabletop Role-Playing Game (TT RPG) criado por Johan Nohr e Pelle Nilsson e publicado pela Free League Workshops (a editora para criadores independentes da Free League Publishing). Este jogo é inicialmente financiado através de uma campanha de Kickstarter de grande sucesso e que já conta com mais 2 outras campanhas para expansões do jogo base.
 

Mörk Borg significa Cidade Negra em Sueco e é exatamente esse o ambiente que nos cria. O jogo retrata um mundo sombrio de Tveland nos seus últimos dias, como é previsto pelos 2 Basilisks de 2 cabeças cada um, que previram o fim do mundo, e agora só nos resta encarar o fim em que assumimos o papel de almas perdidas neste submundo condenado que procuram uma forma de passar estes últimos dias em batalhas sangrentas e em busca de riqueza ou redenção.
 

Pessoalmente tenho dificuldade em encaixar este livro no típico padrão de um TT RPG, muito menos num OSR RPG pois à primeira vista isto é um livro que nem tem a espessura, nem o tamanho típico deste tipo de jogos que joguei até hoje. Nós recebemos a versão de capa dura do livro, sendo um livro em tamanho A5, com 92 folhas muito bem impressas e completamente cheias de arte. Este livro tem tanta arte que eu acredito que se eles escrevessem uma versão só do texto do livro seria possivelmente mais pequena do que esta análise… por essa razão eu olho para este livro quase como um art book incrível que tem um RPG escondido na arte, e isso é uma característica que me surpreendeu muito. Na arte que conseguem ver alguns exemplos nas imagens deste artigo, podem ver que usa apenas 5 cores (Branco, Preto, Amarelo, Rosa e Vermelho) e que preenchem totalmente as folhas do livro. São mesmo únicas e incríveis, e até o tipo de letra escolhido cria aquele ambiente que estamos a folhear um livro proibido, que até temos algum receio de ler em voz alta sob pena de estarmos a invocar um demónio qualquer, ou que o livro comece a pegar fogo por o estarmos a ler. 
 

O jogo em si não é complicado, mas a forma como é apresentado torna o jogo um pouco complexo e até um pouco frustrante de entender no primeiro contacto, principalmente para quem esteja habituado às estruturas típicas de livros de TT RPG. Em Mörk Borg, precisas mesmo de ler todo o livro para entender como ele se joga. A vantagem é que os criadores não entram em muito detalhe escrito nas regras e, à boa moda de outros OSR RPGs, não existem também muitas descrições do mundo, nem das personagens, nem nada assim. Não quero com isso dizer que não ficamos com uma ideia clara do mundo criado neste jogo, muito pelo contrário, a arte é um veículo fundamental para criar o ambiente, e se quiserem entrar ainda mais na cabeça dos criadores então dêem uma vista de olhos a esta playlist do Spotify que os criadores partilharam na campanha de Kickstarter, e que disseram que era a música que eles estavam a ouvir enquanto criavam o livro: 😉


As mecânicas de jogo são as normais de rolar dados para realizar testes de combate e habilidades como nos normais OSR RPGs. No caso de Mörk Borg, existe uma simplificação que pode ser estranha que é não se rolar o ataque dos monstros, só a defesa, para entender se conseguimos evitar dano e quanto, ou se se falhamos completamente a defesa e temos um Critical Hit. O mesmo se passa com as magias, que também podem falhar catastroficamente, e nestes casos muito maus o Game Master (GM) pode decidir um acontecimento muito mau como consequência destes momentos.
 

Um elemento que o jogo tem muito interessante e positivo é que no livro é incluído um sistema muito simples com rolar de dados, o que faz com que criar personagens novas seja muito simples e rápido, o que é muito útil uma vez que as personagens são mesmo muito frágeis e morrem com alguma facilidade. Adicionalmente, encontra-se disponibilizado gratuitamente um gerador de personagens online, o que faz com que isso seja ainda mais simples e literalmente instantâneo. Uma outra ferramenta online que pode servir como acelerador da criação de uma aventura é o gerador automático de masmorras para jogar, e que no fundo pode servir de base para a criação de uma masmorra, ou até mesmo ser usada diretamente pelo GM para um setup ainda mais rápido. Espreitem estes conteúdos se estiverem interessados, pois podem-vos dar umas luzes de como simples o jogo é, e ao mesmo tempo o quanto ele é sombrio (se a arte espalhada por este artigo já não é suficiente para construir esse ambiente).

O Conteúdo

Neste jogo podem esperar encontrar o necessário para se aventurarem neste mundo, e os elementos são:
um mapa do mundo com as principais localizações
O Calendário de Nechrubel, que decide a velocidade do jogo e quando o mundo irá efetivamente terminar
20 poderes ocultos, que poderás usar para alterar a realidade, e que, tal como qualquer outro poder mágico, vão criar o caos quando falharem ao serem utilizados.
Um conjunto de regras opcionais para adicionares ao jogo sempre que quiseres criar novas dinâmicas e explorar outras vertentes do jogo, desde Presságios que te permitem tornar alguns azares em algo menos mau, e Classes com características únicas que podem ser adicionados às tuas personagens.
12 criaturas para matar
Folhas sumárias para ajudar o GM com várias tabelas com resumos dos elementos de jogo
Uma cenário pré-montado introdutório que funciona como uma masmorra de 15 salas chamado “Rotblack Sludge” para iniciares a explorar este mundo.
 

MÖRK BORG CULT: FERETRY

Feretry é um pequeno livro no mesmo estilo artístico do livro base, que estende o jogo base com vários monstros, itens, classes novas e algumas ideias que podem ser incluídas individualmente em aventuras dos jogadores. Esta expansão inclui também algumas tabelas com fórmulas de geração de monstros e algumas novas localizações, lojas e Non-Player Characters (NPCs) que o GM pode decidir incluir no jogo. É um excelente complemento ao jogo base, e adiciona muitas horas de jogo e muitas novas aventuras a este mundo.

Conclusões



Mörk Borg é um jogo único em múltiplos aspetos. Apesar de no primeiro contacto poder ser um pouco frustrante de ler, e ser mesmo necessário ler todo o livro antes de conseguirmos começar a sentir que estamos a entender como se joga o jogo, a leitura do livro em si é parte da experiência e acredito que é por isso que o mesmo é tão pequeno e rápido de ler. Nunca senti nada assim ao aprender um RPG, em que praticamente não li quase nenhuma descrição do mundo, mas a experiência de ler o próprio livro me fez sentir que estava a ler um manual proibido e me transportou pela arte. Até o próprio layout e os tipos de letra escolhidos estarem um pouco a dificultar a leitura rápida do livro, por outro lado estão a criar todo o ambiente que é tão fascinante no jogo. A sua simplicidade de mecânicas e a sua dificuldade tornam o jogo muito desafiante e divertido, e os aceleradores de construção de personagens e masmorras fazem com que não seja frustrante começar uma nova aventura, e explorar mais este mundo condenado vezes sem conta.

Este jogo pode facilmente ser adquirido na sua versão física ou PDF se estiverem interessados diretamente na página da editora.  

Mörk Borg Mörk Borg Reviewed by DICE Cultural on 10:00 Rating: 5

Latest in Sports