Scythe: O universo 1920+

Artigo por Tiago Afonso de Lima.


Imaginário

Vamos embarcar numa viagem ao universo criado pelo artista polaco Jakub Różalski.

Para tal tomamos como ponto de partida os eventos históricos que lhe serviram de inspiração, o pós Primeira Guerra Mundial (1914-1918), em terras da Europa do Leste, num período em que está a decorrer a Guerra Civil Russa (1917-1923). O Exército Vermelho, que luta pelos Bolcheviques (liderados por Vladimir Lenin), vai somando vitórias com vista à implementação de uma ditadura do proletariado e a consequente disseminação do Comunismo pela Europa Ocidental. Tal impulsiona a tentativa de conquistar a Polónia (Guerra Polaco-Soviética (1919-1920)), uma vez que esta é uma ponte entre a Europa de Leste e movimentos comunistas que se começam a formar na Europa Ocidental.

Nesta sequência, em Agosto de 1920 (celebrou-se no ano passado o 100.º aniversário), na Batalha de Varsóvia, as Forças Armadas Polacas derrotaram o Exército Vermelho e suprimiram, na altura, a tentativa de sovietizar as nações europeias.

A este período da história, nas palavras do criador, o período em que a tradição choca com a modernidade, onde o mundo ainda estava repleto de mistérios e segredos, adicionem uma atmosfera rural, a influência das pinturas do século XIX, a natureza no seu estado mais selvagem e todos os tipos de animais.



Ah, é verdade! Não nos podemos esquecer das fantásticas e gigantescas máquinas - os Mechs! Estes trazem uma pitada de fantasia, sem dúvida, contudo, apesar de muitas vezes aparecerem intrinsecamente ligados a uma interpretação de elementos/criaturas de ficção científica, a verdade é que, na ideia do autor, estas máquinas gigantes não são futuristas. A contrário, elas assemelham-se ao design dos primeiros tanques militares, que remontam à época da Primeira Guerra Mundial. Estas gigantescas máquinas andantes são ligeiramente desajeitadas, pesadas, não fiáveis, poluentes (queimam gasóleo que nunca mais acaba) e visam replicar o efeito que os tanques militares tiveram nas pessoas, quando foram avistados pela primeira vez - estupefacção e assombro!

Eis o universo de 1920+ que podemos encontrar, por exemplo, no jogo de tabuleiro Scythe (versão física e digital) e no jogo de computador Iron Harvest.


Evolução


Do imaginário de Jakub Różalski para o papel, o universo de 1920+ começou por se manifestar através de ilustrações, representações gráficas, quadros e pequenas notas descritivas.

Após a publicação do primeiro artigo acerca da sua arte, no Kotaku (plataforma online de análise, notícias e dicas de jogos), em 2014, começaram a surgir-lhe inúmeras propostas, entre elas surgiu a de Jamey Stegmaier, o fundador, designer de jogos e CEO da Stonemaier Games.

Cativado pelas obras de Jakub Różalski, Jamey Stegmaier propôs-lhe a criação de um jogo de tabuleiro sedimentado nessa arte e que desse vida ao mundo de 1920+.

Assim começou a aventura com a equipa da Stonemaier Games, numa altura em que a maior parte do mundo 1920+ estava num estado embrionário, eram ideias que se mantinham no imaginário do criador e que foram tomando forma. Sucederam-se muitas reuniões e trabalho em conjunto do Jakub Różalski com Jamey Stegmaier para possibilitar que o mundo 1920+ se moldasse às mecânicas de jogo.

Em 2015, de 13 de Outubro a 05 de Novembro, decorreu a campanha de Kickstarter que foi um sucesso.

O jogo de tabuleiro Scythe foi lançado em Agosto de 2016, e foi nomeado para inúmeros prémios, sendo que saiu vencedor em muitos deles (vide BGG).


Scythe - Descrição e estória base


O Scythe é descrito pelos criadores como um jogo de tabuleiro assente numa história alternativa de 1920. Uma época dedicada à agricultura e à guerra, de corações partidos e engrenagens enferrujadas, inovação e valor.

A estória base do jogo retrata o sobressalto em que vivia a Europa na década de 1920. Numa altura em que as cinzas da Primeira Guerra Mundial ainda permaneciam a escurecer a neve. A cidade-estado capitalista, conhecida simplesmente como The Factory (A Fábrica), que alimentou a Guerra com máquinas fortemente armadas - Mechs -, encerrou e tal facto chama a atenção dos países vizinhos.


Scythe - Objecto do jogo

No jogo de tabuleiro Scythe, cada jogador representa um líder, de uma das cinco facções disponíveis (jogo base - Polania Republic; Saxony Empire; Crimean Khanate; Nordic Kingdom e Rusviet Union), que propugna por restaurar a honra da facção que comanda, através de incursões e reivindicação das terras envolventes à misteriosa The Factory, visando conduzir a sua civilização à condição de mais poderosa da Europa do Leste. Para isso os jogadores vão explorar e conquistar território, aliciar recrutas para a causa, gerar recursos e trabalhadores, construir estruturas e activar gigantes máquinas - os Mechs.

O progresso do jogo dá-se à medida que os jogadores vão obtendo estrelas no tabuleiro (no Triumph Track (nível de sucessos)) e termina no momento em que um dos jogadores coloca no tabuleiro a sua sexta estrela. É possível ganhar uma estrela para colocar no tabuleiro cumprindo qualquer uma das seguintes metas:

- Completar as 6 Optimizações (acção UPGRADE) - 1 estrela;

- Activar os 4 Mechs (acção DEPLOY) - 1 estrela;

- Construir as 4 Estruturas (acção BUILD) - 1 estrela;

- Aliciar os 4 Recrutas (acção ENLIST) - 1 estrela;

- Gerar os 8 Trabalhadores (acção PRODUCE) - 1 estrela;

- Revelar uma carta de Objectivo Pessoal cumprido - 1 estrela;

- Ganhar um Combate - até 2 estrelas

- Ter 18 de Popularidade no Popularity Track (nível de popularidade) - 1 estrela;

- Ter 16 de Poder no Power Track (nível de poder) - 1 estrela.


Scythe - Objectivo do jogo

O objectivo é dinheirinho 💰

Pois é, simples, no final do jogo ganha quem for a civilização mais rica!

O vencedor, regra geral, terá cerca de $ 75.

Podemos acumular algumas moedas durante o jogo, principalmente através das bottom-row actions do Player Mat (acções de baixo do tabuleiro de jogador) e, ainda que regra geral seja pouco utilizada, da acção Gain (ganhar), contudo, o maior valor de moedas vamos obtê-lo aquando da pontuação final de jogo, são três as categorias que nos trazem maior retorno:

- Cada estrela ganha;

- Cada território que controlamos;

- Cada dois recursos que possuímos.

O retorno que vamos ter em cada umas destas categorias depende do nosso nível de popularidade - Popularity Track. Quanto maior for a nossa popularidade, mais moedas vamos receber.

É possível, ainda, obter algumas moedas (bónus) com base nos locais onde construímos as nossas estruturas.


Scythe - Conceitos chave

Existem quatro conceitos chave para jogarmos Scythe:

- Território - cada um dos hexágonos que compõem o Game Board (tabuleiro principal - mapa), que podem ser de um dos seguintes tipos:

- Quinta;

- Floresta;

- Montanha;

- Tundra;

- Povoação;

- Lago;

- The Factory (hexágono no centro do mapa).

- Base - cada jogador tem uma base, local onde inicia o jogo e para onde se é relegado cada vez que se perde um combate. A base não é um território, logo não é possível mover para lá unidades, construir estruturas ou activar Mechs.

- Controlo - controlar um território significa ter nesse hexágono, pelo menos, uma unidade (Personagem, Trabalhador ou Mech) ou ter ali construído uma estrutura (Armaria, Moinho, Monumento ou Túnel), sem que esteja lá um Personagem, Trabalhador ou Mech de outro jogador. Um território onde esteja uma estrutura de um jogador e uma unidade inimiga, é controlada pelo jogador a quem pertence a unidade inimiga, contudo, aquele não goza das mais valias da estrutura.

Só um jogar pode controlar um território.

- Recursos - estes são madeira, comida, metal e petróleo e, quando produzidos, permanecem no tabuleiro até serem utilizados. Cada jogador só pode utilizar os recursos que se encontram em territórios sob o seu controlo.


Scythe - Unidades

Existem três tipos de unidades (jogo base):

- Personagem - pode mover-se em todo o tabuleiro (de raíz não pode atravessar rios e lagos), pode transportar qualquer número de recursos, pode iniciar combates, realizar encontros e, uma vez por jogo, ganhar uma carta The Factory, quando chega ao centro do tabuleiro.

- Mechs - podem mover-se em todo o tabuleiro (de raíz pode ou não atravessar rios e lagos, depende da habilidade especial de cada Mech), pode transportar qualquer número de recursos e de trabalhadores e pode iniciar combates. Os Mechs não podem transportar a Personagem.


- Trabalhadores - podem mover-se em todo o tabuleiro (de raíz não podem atravessar rios e lagos), podem transportar qualquer número de recursos, são capazes de gerar recursos e trabalhadores, podem construir estruturas e activar Mechs.


Scythe - Setup Game Board - Tabuleiro principal (mapa)

Junta-te a mim e vamos até à mesa de jogo!


- Começamos por baralhar o conjunto de cartas de encontro, o conjunto das cartas de combate e o conjunto das cartas de objectivo pessoal e colocamo-las nos locais assinalados no Game Board (tabuleiro principal).

- Baralhamos as cartas The Factory e criamos um conjunto com um número de cartas igual ao número de jogadores, mais uma (por exemplo: se formos três jogadores, vamos criar um conjunto de cartas de Fábrica correspondente a 4 cartas (3+1)) e colocamo-las no espaço reservado no Game Board. As restantes cartas de The Factory voltam para a caixa, não as vamos utilizar!

- De forma aleatória, retiramos um structure bonus tile (ladrilho de bónus de estrutura) e colocamo-lo, com a face visível, conforme indicado no Game Board. Os restantes ladrilhos voltam para a caixa!

- Dispomos, conforme indicado no Game Board, os símbolos que identificam um encontro.

- Preparamos as provisões, em caixas separamos os recursos por tipo (uma caixa com a madeira, outra com a comida, outra com o metal e uma outra com o petróleo), colocamos ao lado do Game Board, onde colocamos também o saco das moedas.


Faction Mat - Tabuleiro de facção



- Escolhemos, agora, qual a facção com que vamos jogar, este passo pode ser efectuado de forma aleatória (baralhando todos os Faction Mat (tabuleiros de facção) e retirando à sorte) ou podemos escolher directamente qual a é a nossa eleita. Procedemos de igual forma para a atribuição dos Player Mat (tabuleiros de jogador).

- De acordo com o que dita o nosso Faction Mat, posicionamos o nosso indicador de nível de poder no respectivo local (Game Board) e vamos buscar o número de cartas de combate indicadas.

- Colocamos a Personagem que representa a nossa facção na respectiva base (Game Board).

- Colocamos um Trabalhador em cada um dos hexágonos adjacentes à nossa base (são sempre dois hexágonos, logo dois trabalhadores).

- Colocamos os quatro Mechs no local indicado no Faction Mat.

- Colocamos as nossas seis estrelas no Faction Mat.


Player Mat - Tabuleiro de jogador


- Começamos por pôr, no Game Board, o símbolo de popularidade no nível indicado no nosso Player Mat.

- Vamos buscar o número de cartas de objectivo pessoal indicado no nosso Player Mat.

- Vamos buscar o número de moedas descrito no nosso Player Mat.

- Inserimos os seis cubos de tecnologia nos respectivos lugares do Player Mat.

- Dispomos as quatro estruturas no seu respectivo lugar (Player Mat).

- Colocamos os quatro recrutas nos espaços determinados no Player Mat.

- Alinhamos os restantes seis Trabalhadores no local determinado no Player Mat.

- O símbolo de acção (peão) é colocado ao lado do Player Mat.

- O jogador a quem pertença o Player Mat com o menor número, é o primeiro jogador. A ordem segue os ponteiros do relógio.


Player Mat (Top-Row Actions) - Tabuleiro de jogador (acções de cima)

Todos os Player Mats são compostos por quatro secções, cada uma delas dividida em Top-Row Actions (acções de cima) e em Bottom-Row Actions (acções de baixo).


Quanto às Top-Row Actions, elas compreendem as seguintes:



- Move (Mover) - consiste em mover uma unidade diferente, tantos espaços quantos os indicados (no início do jogo é um espaço).

- Bolster (Reforçar) - para reforçar o nosso poder militar temos que pagar $ 1 e, assim, incrementar o nosso poder em um nível ou ganhar uma carta de combate.

- Trade (Comercializar) - para comercializar temos que pagar $ 1 para obter quaisquer dois recursos, estes têm de ser colocados em territórios onde tenhamos pelo menos um Trabalhador, ou incrementar a nossa popularidade em um nível.

- Produce (Produzir) - para produzir temos que pagar todo o custo descrito nos espaços descobertos (sem trabalhadores - retângulos vermelhos), em resultado podemos gerar recursos ou trabalhadores, nos diferentes territórios que controlamos. Podemos efectuar esta acção em tantos hexágonos quantos aqueles que estiverem disponíveis no nosso Player Mat.

Cada trabalhador produz um recurso do tipo indicado no hexágono e o que foi gerado fica nesse mesmo hexágono. Caso seja produzido um ou mais trabalhador(es), este(s) deve(m) ser retirado(s) do Player Mat, seguindo sempre a ordem da esquerda para a direita.


Player Mat (Bottom-Row Actions) - Tabuleiro de jogador (acções debaixo)



- Upgrade (Optimizar) - para efectuar optimizações à eficácia do nosso Player Mat temos que pagar o custo associado (depende do que está descrito no nosso Player Mat), isto permite-nos mover um cubo de tecnologia (estão nas caixas verdes - Top-Row Actions do Player Mat) para tapar uma das caixas vermelhas presentes nas Bottom-Row Actions. Deste modo estamos a aumentar o benefício das Top-Row Actions e a diminuir o custo das Bottom-Row Actions.

- Deploy (Activar) - para activar um Mech temos que pagar o custo associado (depende do que está descrito no nosso Player Mat), isto permite-nos retirar um Mech do nosso Faction Mat e colocá-lo num território em que tenhamos pelo menos um trabalhador. Ao fazê-lo, a nossa Personagem e os Mechs que tivermos activos ganham a habilidade que revelámos no nosso Faction Mat.

- Build (Construir) - para construir uma estrutura temos que pagar o custo associado (depende do que está descrito no nosso Player Mat), tal possibilita retirar uma das estruturas (Armory - Armaria; Mill - Moinho; Mine - Mina; Monument - Monumento) do nosso Player Mat e colocá-la num hexágono em que tenhamos, pelo menos, um trabalhador. Esse hexágono não pode ser um lago e não pode já ter outra estrutura.

Ao construir uma estrutura ganhamos o bónus indicado no Player Mat (Armory - incremento em um nível do Power quando fazemos a acção Trade; Mine - conta como um túnel quando estamos a executar a acção Move; Mill - pode realizar a acção Produce como se fosse um trabalhador; Monument - incremento em um nível da Popularity quando fazemos a acção Bolster.

- Enlist (Aliciar) - para aliciar um recruta temos que pagar o custo associado (depende do que está descrito no nosso Player Mat), para assim podermos mover um símbolo de recruta do nosso Player Mat e, deste modo, preencher qualquer espaço vago de bónus de recrutas, no nosso Faction Mat. Ao preencher o espaço ganhamos o respectivo bónus. A partir deste momento, sempre que nós ou qualquer outro jogador nosso vizinho façamos a acção associada a um recruta já aliciado, ganhamos o bónus descrito no nosso Player Mat.


Scythe - Combat - Combate.

Se no final da acção Move a nossa Personagem ou Mech ocupar o mesmo hexágono que um Personagem ou Mech de outro jogador, inicia-se um combate. Sempre que a nossa Personagem ou Mech se mover para um hexágono onde está uma unidade inimiga, o movimento termina de imediato.

Mecânica do combate:

- Select Power (seleccionar poder) - de forma secreta, cada jogador em combate selecciona, no Power Dial (disco de aposta), o valor de poder militar que quer utilizar (máximo de 7). Opcionalmente podemos adicionar uma Combat Card (carta de combate) por cada Mech que tenhamos no hexágono, o mesmo se aplica à nossa Personagem.

- Reveal (Revelar) - os jogadores em combate revelam em simultâneo os Power Dials e as Combat Cards que escolheram. Somam-se os totais (Power Dials + Combat Cards).

- Resolve (Resolver) - O jogador que tiver o total mais elevado, ganha! Em caso de empate, o atacante ganha!

As Combat Cards utilizadas são descartadas.

- Winner (Vencedor) - O vencedor coloca uma estrela no Game Board.

Caso exista(m) trabalhador(es) do jogador derrotado no hexágono onde aconteceu o combate, o vencedor (se foi o atacante) perde um de Popularity por cada trabalhador do jogador derrotado.

- Loser (Derrotado) - O jogador derrotado retira todas as suas unidades para a sua base, deixando todos os recursos, caso existam, no hexágono onde foi o combate. Se o jogador derrotado utilizou, pelo menos, um de Power, ganha uma Combat Card.


Scythe - Encounters - Encontros.



Quando a nossa Personagem, no final do movimento (caso haja lugar a um combate, este efectua-se primeiro), está num hexágono onde figura o símbolo de Encounter, devemos descartar o símbolo e ir buscar uma Encounter Card. Temos que escolher uma das opções que possamos obter/pagar. Qualquer benefício ganho é colocado no hexágono onde se deu o Encounter.


Scythe - Factory - Fábrica.


A primeira vez que a nossa Personagem chega a
Factory Territory, no centro do mapa, depois de findo o movimento e resolvido algum combate que possa existir, devemos recolher uma Factory Card.

Podemos ver todas as cartas e escolher a que mais se adequa à nossa estratégia.

A carta que escolhermos torna-se a quinta secção do nosso Player Mat.


Scythe - Vamos jogar!

No nosso turno

Cada jogador inicia o jogo com a facção que escolheu ou lhe calhou em “sorte” (se for escolhida aleatoriamente), o que significa que iremos para um sítio específico no mapa, o que, à partida, condiciona a nossa estratégia às características dos hexágonos que rodeiam a nossa base (dois hexágonos). Ao que acresce, o Player Mat que escolhemos ou que nos calhou, este também desempenha um importante papel na estratégia a adoptar, uma vez que é ele que determina qual o número de recursos que temos de alocar para realizar as acções que pretendemos.

Com base nestas limitações, no nosso turno, vamos escolher uma de entre as quatro secções presentes no nosso Player Mat, para tal colocamos nessa área o nosso símbolo de acção (peão).

Não podemos repetir a mesma secção em turnos seguidos.

Podemos, por esta ordem específica, escolher accionar a Top-Row Action, accionar a Bottom-Row Action, accionar as duas (primeiro a de cima e depois a de baixo) ou não accionar qualquer uma delas. Depois de accionarmos uma acção, primeiro temos que pagar o custo total da acção (caixa vermelha) e só depois ganhamos o benefício (caixa verde).

Assim termina o nosso turno.

Sempre que consigamos completar uma das metas definidas, ganhamos uma estrela para colocar no Triumph Track (Game Board). Cada meta só pode ser cumprida uma única vez por jogador (com excepção da estrela ganha por vitória em combate - estas podem ser duas). Uma vez que se coloque uma estrela, esta não pode ser retirada.

Repetimos este padrão até desencadear o final de jogo (quando um jogador obter a sua sexta estrela no Game Board).


Scythe - End of Game Scoring - Pontuação de Fim de jogo

No preciso momento em que um jogador obtém a sua sexta estrela no Game Board, verifica-se a condição de final de jogo (End of Game).

Dá-se, então, inicio à atribuição da pontuação final. Vamos ganhar moedas por cada estrela que tivermos no Triumph Track, por cada território que controlarmos (The Factory - conta como três territórios) e por cada dois recursos (Resources). A quantia de moedas a receber por cada um destes depende da posição que ocuparmos no Popularity Track.

Vamos, ainda, ganhar moedas em função do structure bonus tile (mesmo que no final do jogo não controlemos o território onde está uma estrutura nossa).

Para os bónus de adjacência territorial, somente contamos os territórios adjacentes por uma vez.

O jogador com mais moedas, ganha. Mais dinheirinho💰 = Vitória!

Em caso de empate, seguimos esta ordem:

- Jogador com maior número de unidades (Units) e estruturas (Structures);

- Jogador com maior poder (Power);

- Jogador com maior popularidade (Popularity);

- Jogador que possua maior número de recursos (Resources);

- Jogador que controle mais territórios (Territories);

- Jogador com maior número de estrelas (Stars).


Scythe - Avaliação D.I.C.E. 🎲

Ponderação do jogo Scythe mediante o sistema de avaliação D.I.C.E:


- Dinâmica - O mecanismo utilizado para realizar as acções de jogo é simples e eficaz, não existe uma ronda ou fase em que só se possa realizar certa acção ou obter determinado resultado, isto mantém o jogo num ritmo muito interessante e reduz o tempo de inactividade entre jogadas.

Podemos fazer um jogo com intensas disputas entre facções, apesar de não existir eliminação de jogadores por conquista ou destruição de unidades, o que cria uma tensão muito marcada e constante, tal implica um constante reformular de estratégia (porque, por exemplo, fomos derrotados e relegados para a nossa base ou ganhámos mas como havia trabalhadores do inimigo no hexágono, perdemos pontos de popularidade). Podemos, por outro lado, optar por um jogo mais centrado no prosperar da nossa facção, procurando evitar qualquer tipo de confronto e mesmo assim ter um jogo com uma cadência muito energética e empreendedora.

Tudo no jogo respira dinamismo, desde a mecânica de acções, passando pelas características únicas de cada facção (confere uma natureza assimétrica ao jogo), pelas optimizações que podemos/devemos efectuar no nosso Player Mat, o aliciamento de recrutas (Enlist) para obter benefícios, o activar (Deploy) dos Mechs e a consequente habilidade que desbloqueamos, os encontros (Encounters) que imprimem uma nova inclinação nas nossas escolhas… até mesmo depois de verificada a condição de final de jogo. O jogo termina mas o vencedor ainda não está determinado, é tempo de contabilizar tudo o que se fez (as vitórias nas batalhas, os recursos obtidos, a quantidade de território e até que ponto as facções eram populares). Por vezes os resultados são surpreendentes!

Todas estas características imprimem um ritmo de jogo motivador, com um fluxo constante de opções e acções disponíveis.

As mecânicas do jogo são muito interessantes e as combinações bastante inteligentes o que faz este jogo único!

- Integração temática - Scythe é um jogo onde a simbiose entre a arte, o tema e as mecânicas é excelente!

O Universo saído do imaginário do artista polaco Jakub Różalski foi muito bem adaptado às mecânicas desenvolvidas pelo Jamey Stegmaier.

A arte do jogo é admirável, transporta-nos até ao mundo 1920+ e o aspecto de engine-building (construção de motor de jogo), transversal a todo o jogo, imerge-nos completamente nesta aventura.



- Complexidade - Scythe é um jogo de complexidade média/alta.

Para quem joga pela primeira vez, devido ao elevado número de peças e à complexidade das regras, a curva de aprendizagem não é imediata e todas as pequenas nuances podem só ser apreendidas, retidas e compreendidas a meio do jogo. Contudo, a simbiose entre a arte, o tema e as mecânicas tornam as acções acessíveis.



- Entretenimento - O jogo Scythe não se limita a ser um jogo de guerra ou de cultura de terras (agricultura) ou, até mesmo, de progressão civilizacional, na realidade é isto tudo e muito mais!

Dependendo da facção que temos, da estratégia que adoptamos para encarar o jogo, dos recursos que vamos recolhendo, da exploração, dos encontros, dos combates… o resultado é sempre cativante, diferente e entusiasmaste.



Scythe - Opinião final

O Scythe é um jogo apaixonante!

Tudo foi feito à medida, o mundo alternativo de 1920+ nasce do imaginário de Jakub Różalski, toma forma na sua arte e ganha vida com as mecânicas de jogo do Jamey Stegmaier.

Os componentes do jogo são de grande qualidade. As cartas, o tabuleiro de jogador e tabuleiro principal (mapa) são resistentes e têm uma arte lindíssima. Mesmo a edição mais básica do jogo conta com miniaturas de plástico, detalhadas, das personagens e Mechs. Podemos, ainda, completar a nossa experiência de jogo com moedas de metal e recursos personalizados (metal - representado por uma barra de metal; comida - representada por um saco de trigo; madeira - representada por um tronco de madeira; petróleo - representado por um barril de petróleo).

O aspecto de engine-building, transversal a todo o jogo, imerge o jogador num constante processo de optimização do seu Player Mat, na senda pela valorização de determinados territórios (Territories) mediante a construção de estruturas (Structures), na tentativa de aliciar (Enlist) recrutas para aprimorar habilidades, na tentativa de activar (Deploy) Mechs para deter os oponentes, conquistar outros territórios ou transportar recursos (Resources) e trabalhadores (Workers). Resultado deste mecanismo, cada jogo é único, mesmo quando jogamos diversas vezes com a mesma facção.

Uma mais valia neste tempo em que nos encontramos limitados nos nossos movimentos e reuniões de jogadores, o jogo Scythe dispõe de Solo Mode (modo solitário), para quem só possa ou queira aventurar-se sozinho neste mundo alternativo de 1920+.

Scythe dá aos jogadores o controlo completo sobre o destino da sua facção, o único elemento de sorte são os encontros (Encounters), tudo o resto é estratégia ou escolhas!






Scythe: O universo 1920+ Scythe: O universo 1920+ Reviewed by DICE Cultural on 10:00 Rating: 5

Latest in Sports