Demon Skin


Demon Skin é um side scroller de ação e aventura com seções de plataformas e pequenos puzzles pelo meio, que nos conta a história de um guerreiro troncudo e fortíssimo que luta contra demónios. Soa familiar?


Assim que peguei em Demon Skin e dei os primeiros toques no jogo, apercebi-me daquilo que seria o jogo por inteiro, pois rapidamente diz ao que vem. Apesar de ser relativamente parecido com outros do género, não deixa de trazer uma boa experiência. Logo no início, é-nos apresentado o protagonista, a sofrer uma maldição que o deixa fragilizado e impotente. O objetivo é reaver a sua força e destruir todos os inimigos e o líder dos demónios que o tornaram numa lástima.

Eis que tomamos controlo da personagem e conseguimos entender que a jogabilidade podia estar melhor, a forma de mover para a frente ou para trás irá atrapalhar o jogador, é preciso virar o nosso protagonista para o lado desejado e depois sim poder caminhar, isto fará confusão a todos pois é uma obrigação indesejada especialmente num jogo de ação como este.


 
A arte é boa e destaca-se bastante, é possível “sentir” a brisa gélida do norte, com inimigos um pouco desinspirados mas competentes. O mais interessante são os bosses que ainda assim, não tornam as lutas mais intensas pois a jogabilidade prende-se em realizar sempre os mesmos movimentos de combate, ou seja, é possível manejar a espada de baixo para cima, de frente ou então de cima para baixo, isto porque existem inimigos que podem proteger-se de vários ângulos, para tal, o jogador terá de acertar no ponto fraco, se o inimigo estiver com um escudo a proteger o seu corpo, o jogador terá de atacar de cima ou de baixo para o derrotar, é simples mas funciona.

Mas é necessário ter em atenção a barra de stamina existente para a execução de golpes, tal como sucede com o Dark Souls ou Code Vein, o jogador não pode atacar de forma agressiva sem raciocinar, embora inicialmente não seja um jogo muito difícil tal como acontece com os dois títulos anteriormente mencionados. Para facilitar e como em qualquer outro jogo, existem upgrades para se realizar, desde a saúde, stamina e força.

A variedade de armas não é muito grande, mas cada arma apresenta o número de dano que esta realiza ao atingir os inimigos. As lutas não costumam ser duras mas ainda assim, o jogador também terá formas de restaurar a saúde, desde a tomar potions ou até apanhar certos animais do chão como escorpiões para digerir e aumentar a sua saúde. Para ajudar, existem os save points que gravam o progresso ao longo dos níveis que se encontram em forma de pequenas shrines em pedra, isto para não causar qualquer tipo de frustração embora não fosse um jogo que me provocasse nervos muito pelo contrário.


Longe de ser um jogo mau, Demon Skin necessitava de limar várias arestas, algo importante seria mesmo a jogabilidade, que apesar de não ser horrorosa, também não ajuda em momentos que somos atacados por ambos os lados (trás e frente). Vale a pena espreitarem Demon Skin devido a ser curto com cerca de 4 a 5 horas de jogo e referir que tem potencial para algo de especial numa futura sequela.

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para PC via Steam, gentilmente cedido pela Dead Good Media.

Demon Skin Demon Skin Reviewed by Patrício Santos on 09:00 Rating: 5

Latest in Sports