E3 2019: Watch Dogs: Legion critica o Brexit


Sendo o primeiro título apresentado na conferência da Ubisoft na E3 de 2019, Watch Dogs: Legion acabou por surpreender pela sua proximidade política em relação a um tema tão atual como o Brexit, ou o que poderá acontecer a Inglaterra após a sua saída da União Europeia. Uma mensagem suave, sim, mas que não deixou de estar presente na conferência.

Num futuro relativamente próximo, a vida em Londres será bastante diferente, com os habitantes oprimidos por um estado de vigilância que tudo controla, uma corporação militar totalmente corrupta e um poderoso sindicato do crime que ataca os mais vulneráveis. Os habitantes não têm qualquer esperança, mas é aqui que surge o movimento de resistência, a vontade de combater um regime autoritário.


A grande novidade deste título estará na forma como os jogadores terão a possibilidade de jogar como qualquer habitante de Londres, seja ele quem for (excluindo naturalmente os inimigos do jogo). As personagens podem morrer, obrigando o jogador a continuar a história a partir de outra personagem, sendo que o objetivo final será o de trazer à população a sua liberdade de volta.

Watch Dogs: Legion será lançado a 6 de março de 2020 para a PS4, Xbox One e PC, assim como o serviço Google Stadia e o novo da Ubisoft, chamado Uplay+.

E3 2019: Watch Dogs: Legion critica o Brexit E3 2019: Watch Dogs: Legion critica o Brexit Reviewed by Telmo Couto on 11 junho Rating: 5

Latest in Sports