Super Mario Maker 2


Lançado em 2015 na consola Wii U, Super Mario Maker foi uma enorme surpresa pelo simples facto da Nintendo permitir, pela primeira primeira vez, que os jogadores criassem os seus próprios níveis para o herói de plataformas mais popular do mundo. Com a enorme popularidade da Nintendo Switch, seria apenas natural que adaptassem o jogo à consola, incluindo algumas novidades, mas eis que a Nintendo volta a surpreender com uma verdadeira sequela. Eis o Super Mario Maker 2!

A experiência de Super Mario Maker 2 está dividida em duas grandes componentes: criar e jogar. Ambas são interligadas, como o próprio ecrã principal deixa perceber com cenários jogáveis que podem ser imediatamente editados se o jogador assim desejar, mas são sempre duas experiências distintas. Criar novos níveis ou jogar os que outros criaram? É sempre uma escolha a fazer.

Criar

A criação de níveis pode não ser para todos, mas a Nintendo bem quer que eles tentem. Naquilo que naturalmente é um processo moroso, que requer pensar e experimentar à medida que se vai desenvolvendo, o título contém uma ferramenta bastante simples de utilizar e com o objetivo de todos poderem, pelo menos, experimentar.


A interface é bastante simples, apresentando no topo os itens que irão ser frequentemente colocados na criação dos cenários, desde terreno a itens e inimigos. A lupa abre o catálogo de todos os itens disponíveis, cuja utilização os irá colocar na barra para fácil utilização. Há ainda a barra musical que pode ser utilizada tanto em itens como no próprio nível, que vai desde sons divertidos a bandas sonoras completas, inspiradas em jogos que de outra forma não estariam aqui representados - e sim, um nível no espaço fica muito melhor se incluir a música do Super Mario Galaxy.

Do lado esquerdo estão as opções conceptuais, incluindo o estilo de jogo que se vai utilizar no nível criado. Aqui estão incluídos os jogos Super Mario Bros., Super Mario Bros. 3, Super Mario World e New Super Mario Bros. U. Todos oferecem as mesmas funcionalidades, mas com aspecto visual e jogabilidade correspondentes ao jogo em questão. Além desses, há ainda o estilo Super Mario 3D World, algo completamente novo e com mecânicas exclusivas, pelo que é importante escolher o tema a utilizar quando se começa a criar o nível - alternar entre este estilo e qualquer um dos anteriores irá implicar recomeçar do zero.


Outras opções na coluna esquerda incluem a escolha do ambiente, como Ground, Underground, Desert ou Snow, por exemplo, e até mesmo uma opção totalmente nova como níveis em modo dia ou noite. Todas elas irão conferir algumas variações na jogabilidade e a possibilidade de construir níveis com dois cenários alternáveis via túnel oferece uma enorme variedade de hipóteses. Além disso, os criadores podem ainda incluir regras nos níveis como condição para que estes possam ser concluídos, como por exemplo apanhar todas as moedas ou derrotar certos inimigos.

A criatividade é realmente o limite, mas o Yamamura's Dojo, a escola de aprendizagem do jogo permite ir aprendendo não só várias das funcionalidades do modo de criação como até conceitos básicos de level design que poderão levar à criação de níveis mais interessantes para quem os for depois jogar. Além disso, também o modo história de jogo e a própria experimentação de níveis feitos por outros jogadores serão uma boa forma de obter novas ideias para criar níveis. Existe ainda a opção de criar níveis cooperativamente com dois utilizadores, mas o seu resultado resulta mais facilmente em confusão do que real utilidade.

Sendo a Nintendo Switch uma consola com tanto de portátil como de ligar à TV, existem diferentes controlos conforme a sua utilização. Em termos práticos, o modo portátil será sempre preferível, graças ao uso do ecrã táctil em conjunto com os botões para acesso rápido a algumas funcionalidades. Alternativamente, tanto em modo TV como com a consola pousada na mesa, os comandos permitem aceder a todas as funcionalidades, mas de forma menos prática. Ainda assim, o cursor fixo deste modo poderia ser útil em alguns momentos do modo portátil onde se pretenda maior precisão para colocar algo específico.


De qualquer forma, este é sempre um processo moroso, pois certamente poucos serão os níveis interessantes e divertidos criados em apenas cinco minutos. Por causa disso, mesmo que o criador mude de modo dentro do jogo, ao regressar ao modo de criação encontrará o nível tal como o deixou, mas é sempre bom ir gravando o nível após avanços importantes.

Seja para criar ou para jogar, o melhor desta experiência é o que traz de novo ao universo de jogos do Super Mario em 2D. Desde itens ou inimigos novos para jogos antigos, como cenários e músicas para os mesmos, até tudo de novo que foi colocado com o modo Super Mario 3D World, incluindo comportamentos totalmente distintos e nova jogabilidade para o Mario - até conduzir um carro passou agora a ser possível! Há bastantes ferramentas exclusivas para este modo, como túneis transparentes e plataformas ritmadas que aparecem e desaparecem, árvores que podem ser escaladas e até o mais adorável vilão da série - Cat Bowser.

Jogar

Sejam criativos ou não, com ou sem vontade de inventar os seus próprios níveis de Super Mario, este Super Mario Maker 2 pretende chegar a todos os tipos de jogadores que apreciem jogos de plataformas. Por isso mesmo, uma das grandes novidades deste título é o novo modo de história, com mais de uma centena de níveis cuidadosamente desenvolvidos pela Nintendo e com diferentes níveis de dificuldade.


Não é que a história propriamente dita seja algo de especial. O castelo da princesa Peach foi destruído e Mario terá de passar diversos níveis feitos por outras personagens de forma a ser recompensado com dinheiro que irá financiar a reconstrução do castelo. Conseguindo fazê-lo, terá uma recompensa ainda maior, mas que não será aqui revelada. É relativamente fácil terminar-se a história, até porque os níveis são bastante divertidos e não é necessário passar os mais difíceis para se lá chegar. Para os jogadores menos experientes, o jogo incluiu até uma opção de passar automaticamente um nível ao fim de 5 tentativas falhadas, o que não oferece recompensa monetária mas pode ser útil para avançar na história sem frustração.

O melhor do modo de história é mesmo o facto de todos os níveis serem criados com a mesma ferramenta incluída neste título, servindo assim de exemplo para o que os jogadores possam querer construir. Afinal, é a grande experiência de Super Mario Maker 2: aceder-se à imensidão de criações feitas por outros utilizadores e jogar os seus níveis.

No chamado Course World, onde se encontram todos os níveis online, há três funcionalidades principais: escolher níveis para jogar, jogar em rede com outros jogadores e o "endless challenge", com níveis aleatórios para se jogar sucessivamente. Destas, a escolha de níveis será sem dúvida a mais utilizada, com acesso a todos os níveis criados por jogadores de todo o mundo. O menu é bastante simples e prático, com acesso fácil a uma seleção de níveis que mais pessoas estão a jogar nesse momento ("Hot Courses"), aos mais populares da última semana e até mesmo aos níveis acabados de criar que ainda niguém tenha jogado.


A melhor funcionalidade, porém, será a de pesquisar por níveis à escolha do utilizador, seja pelo estilo do jogo (desde o Super Mario Bros. ao Super Mario 3D World) ou pelo seu tema (por exemplo se é um nível do deserto ou num castelo) ou até mesmo pela dificuldade, com base na percentagem de vitórias / tentativas de passar o nível. Aqui está incluído algo extremamente útil, que são as Tags associadas aos níveis, que permitem pesquisar por experiências de jogo, como níveis curtos, temáticos, com puzzles para resolver, entre outros. Nisto, incluem-se ainda tags como "Auto-Mario" e "Music", níveis que se tornaram populares nas redes sociais que, não sendo uma grande experiência de jogo, podem ser considerados verdadeiras obras de arte. Na pesquisa, será assim fácil incluir ou remover essas tags dos resultados.

Após se jogar cada nível, o jogador poderá indicar se gostou ou não da experiência, deixar comentários e até adicionar aos favoritos se for o caso. Para quem criou o nível, será um óptimo feedback para perceber o que fez de bem e o que poderá melhorar, incluindo o acesso a uma lista de mortes pelos jogadores de todo o mundo - terá correspondido à experiência que tencionava lançar? Se há coisa que se aprende é que os jogadores nem sempre fazem aquilo que se esperava. Como se tenciona reagir a isso? O que se aprende para a construção dos próximos níveis?

Com tudo isto, é muito fácil ficar-se horas a fio a jogar níveis online. Há uma enorme diversidade e todo o tipo de ideias, algo que, se já se pode sentir neste período de análise com um número restrito de jogadores, nem dá para imaginar após o lançamento do jogo.


Devido ao reduzido número de jogadores nesta altura, não foi fácil de testar os modos disponíveis no Network Play, que incluem a possibilidade de 4 jogadores de todo o mundo se juntarem para jogar níveis em modo cooperativo ou competitivo. Nas poucas sessões conseguidas, apenas uma apresentou alguns problemas na jogabilidade, possivelmente devido a fraca conexão de um jogador. São modos divertidos, mas aos quais nem todos os níveis serão ideais - a experiência varia muito com isso e, por isso mesmo, os jogadores poderão indicar se gostaram ou não de jogar o nível nesse modo.

Há ainda a possibilidade de se jogar em modo local, reunindo até 4 consolas com o jogo instalado, que não foi possível testar para esta análise.

Sendo o online uma componente tão importante deste título, como se comporta ele sem acesso ao serviço? Na prática, todo o Course World se torna indisponível. Não existe um backup automático ou descarga em background de níveis para se experimentar em viagem, por exemplo. Há a possibilidade, sim, de descarregar alguns níveis enquanto se está online, que ficam gravados, mas cuja utilização não contará depois para as estatísticas online, nem haverá feedback para o seu criador. Curiosamente, é nesta funcionalidade que se esconde algo bastante interessante e que deveria ser mais acessível. O modo de jogo cooperativo local, para quatro jogadores na mesma consola, pode apenas ser acedido nos níveis já gravados.


Super Mario Maker 2 é um título praticamente obrigatório para quem sempre quis fazer os seus próprios níveis ou gostaria de jogar um Super Mario "sem fim". Com grandes novidades nos títulos antigos e o totalmente novo modo baseado em Super Mario 3D World, é certamente uma experiência recomendável, mesmo que a maior parte do seu conteúdo dependa totalmente do acesso ao online!

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Nintendo.
Super Mario Maker 2 Super Mario Maker 2 Reviewed by Telmo Couto on 26 junho Rating: 5

Latest in Sports