Giga Wrecker Alt.


Desenvolvido pela Games Freak, Giga Wrecker Alt. é um jogo de plataformas e puzzles e oferece uma experiência que, embora não seja original, não deixa de ser interessante. Um jogo com desafio, que requer esperteza e habilidade, mas será que a empresa que nos trouxe Pokémon voltou a acertar com a pokébola?

Para entender as mecânicas de Giga Wrecker Alt., é necessário falar um pouco da sua narrativa para que todas habilidades da personagem façam sentido. O jogo começa por apresentar a sua heroína, Reika Rekkeiji. A nossa protagonista escapa à morte por meros minutos num apocalipse de robots, quando é encontrada por um cientista que lhe fornece um braço cibernético que permite sobreviver à fatalidade. Parece que beberam um pouco de inspiração do Mega Man, é o que salta à vista, no entanto, em vez de disparar projéteis, o seu braço conta com outras mecânicas.

Tendo este cientista reanimado e ajudado Reika a escapar à morte, esta sente-se em dívida para com ele e, assim sendo, irá recolher informações acerca do apocalipse para que o cientista possa estudar e perceber realmente o porquê do sucedido. É evidente que a história depois conta com mais aliados e existe toda uma trama por detrás destes eventos misteriosos os quais não irei revelar, no entanto a narrativa é básica e típica.


Recorrendo a um estilo artístico vindo do Oriente, as personagens têm um toque anime mas com cores e grafismo muito direcionados ao estilo dos videojogos em Flash de tempos idos. A diferença está nas cutscenes, onde a arte está boa e os diálogos igualmente.

O ponto fulcral é a jogabilidade, que, quer queiramos quer não, tem os seus problemas. O jogador passará a maior parte do tempo a derrotar robots e recolher os destroços para formar uma bola de metais, tanto para derrotar mais inimigos como simplesmente algumas paredes para ultrapassar obstáculos que se colocam no caminho. Todos estes destroços podem ser formados em bolas, quadrados e outros objetos semelhantes. Uns servem para criar peso, outros para atirar e outros para formar plataformas, quanto maior for, melhor é. Existem salas em que o jogador terá de criar um quadrado com todos os destroços para fazer peso numa balança e percorrer o caminho para o outro lado. As bolas servem normalmente para atirar contra os inimigos, algumas bolas têm de ter um tamanho X para poder causar dano ao inimigo, para ajudar a entender se é suficientemente grande, o inimigo irá ter uma luz azul a piscar, indicando que pode sofrer danos com o tamanho dos destroços recolhidos.

Recolha de destroços, inimigos a eliminar, plataformas criar e puzzles a resolver através dos tais destroços. Se tudo funciona, isso é mais complicado. Giga Wrecker Alt. apresenta bastantes problemas, principalmente no que diz respeito às plataformas, saltos, física do jogo, loadings, etc.


Nas salas em que o jogador tem de solucionar um puzzle, existe um portal que puxa o tempo atrás para que o jogador solucione o puzzle e, aqui, os loadings são um horror. Para um jogo que tem a qualidade de um jogo flash num antigo browser, é doloroso ter de esperar tanto tempo por algo tão simples. O maior problema é que os puzzles tornam-se mais complicados com a progressão, o que significa que o jogador terá de esperar uma eternidade só para repetir um mero puzzle. Os saltos para cima de obstáculos que se movem são uma frustração, a jogabilidade que no início parece boa, rapidamente se entende que não está nada refinada. A física é inconstante e o problema é que o jogador, ao destruir várias paredes e obstáculos, vai sempre depender dela, é aqui que se torna frustrante: ora o jogador consegue apoiar-se no obstáculo pretendido, ora o jogador passa para o outro lado evitando sem querer o obstáculo que pretende usar.

Outro ponto bastante aborrecido é quando o jogador perde e volta ao último checkpoint, ter de assistir a todos os diálogos anteriormente vistos sem ter a possibilidade de passar a frente e, existem alguns diálogos que levam o seu tempo.

O mapa é grande, com 3 áreas a serem exploradas com alguns inimigos e claro, boss battles. As boss battles são interessantes por serem desafiantes mas, nada que não se tenha visto em outros jogos como Mega Man. A banda sonora que parecia algo boa acaba por ser banal, não dando entusiasmo suficiente como qualquer outro jogo do género.


Por fim, Giga Wrecker Alt acabou por desiludir. Entre aquilo que foi visto em trailers e aquilo que realmente se joga, é uma experiência decepcionante. Um jogo que pode ser jogado em caso de se encontrar a um preço bastante reduzido e também para jogar passo a passo para se lidar com os problemas de jogabilidade.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Xbox, gentilmente cedido pela Dead Good Media.
Giga Wrecker Alt. Giga Wrecker Alt. Reviewed by Patrício Santos on 06 maio Rating: 5

Latest in Sports