Team Sonic Racing


Sonic the Hedgehog está de volta ao mundo das corridas, desta vez em Team Sonic Racing, um jogo feito principalmente a pensar em equipas de 3 personagens em múltiplas opções de corridas, mas com bastantes opções à escolha.

Já disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e PC (neste caso apenas digital), tivemos a oportunidade de o testar na Nintendo Switch e assim descobrir o que este jogo tem para oferecer aos fãs do ouriço mais rápido do mundo.

Desenvolvido pelo estúdio Sumo Digital, o grande foco deste jogo de corridas está no conceito de equipas de 3 jogadores, algo que o coloca logo num conceito diferente de outros jogos do mesmo género sem que ele deixe de ter grandes influências como a série de jogos Mario Kart. Por esse mesmo motivo, é um jogo que oferece uma experiência muito diferente a quem o espera jogar sozinho ou com mais um ou 2 amigos em casa. Em certas circunstâncias, poderão até jogar 4 jogadores, mas aqui com menos modos disponíveis. Mas antes de mais, vamos olhar para os números gerais.


Ao todo, o jogo inclui 15 personagens jogáveis, divididas em 5 equipas diferentes: Sonic, Dark, Amy, Vector e Eggman. Depois, dentro de cada equipa, as personagens têm caraterísticas próprias, como velocidade, técnica ou poder, o que oferece diferenças consideráveis na jogabilidade de cada um. O jogo inclui no total 21 pistas diferentes para se jogar, inspiradas em várias fontes do universo de Sonic, das quais 12 delas são completamente originais criadas para este jogo, as outras 9 são o que o próprio jogo considera um "blast from the past".

Team Racing é o modo principal de jogo, o modo offline que conta com uma história e uma grande variedade de funcionalidades. É uma espécie de modo "single-player", mas que foi 100% pensado na possibilidade de jogar a dois ou 3 jogadores em simultâneo. Em todas as partidas, os jogadores irão funcionar em equipa e será a soma das pontuações que dará o resultado das várias equipas na pista, o que faz com que não baste apenas ganhar.

Ao jogar sozinho, o resto da equipa será controlada pelo PC. Por exemplo, ao jogar com o Sonic, os outros dois jogadores da equipa serão o Tails e o Knuckles, os mesmos que poderão ser escolhidos pelos companheiros durante o modo história do Team Racing - nos outros modos não há esta restrição a nível da formação das equipas.


Uma das coisas mais divertidas deste modo é a grande variedade de coisas para fazer, que não se prende apenas a corridas, havendo pistas para colecionar anéis, derrotar inimigos, fazer certos percursos, entre outras coisas. Em cima disto, a cada nível jogável será possível escolher a dificuldade entre os níveis normal, difícil e muito difícil, o que irá sem dúvida aumentar consideravelmente a vida deste modo a quem quiser atingir as melhores pontuações.

Além disso, o jogo conta com uma enorme lista de poderes que poderão ser utilizados nas corridas, 14 ao todo e cuja utilidade só se vai aprendendo com a habituação, isto porque cada poder vem numa personagem "Wisp" diferente e, por causa disso, muitas não fazem muito sentido cosmético do poder que vai realmente dar ao jogador. É uma questão que, tal como outras do jogo, com o passar do tempo torna-se normal com o conhecimento que se vai ganhando a jogar, mas teria-se poupado com ícones mais... intuitivos. Ainda assim é mais uma funcionalidade que tira partido das equipas, permitindo entre os jogadores partilharem estes itens.

É um conceito bem pensado e divertido, mesmo que às vezes as coisas pareçam um pouco descontroladas, especialmente ao aumentar a dificuldade. Porque é que às vezes o PC controla bem os colegas de equipa e, outras vezes, nem por isso? Pode até ser realista, será definitivamente com jogadores reais, mas que culpa tem o jogador a solo se o PC estiver a jogar mal na equipa?


A grande desvantagem do modo de jogar a 3 jogadores, porém, é o desaproveitamento do ecrã dividido em 3, sem a possibilidade de ligar consolas por wireless para que cada um o possa fazer no seu ecrã. O jogo inclui essa funcionalidade de jogo por wireless, mas apenas nas corridas "normais" e não neste modo de história. Assim sendo, a melhor experiência de jogo em termos visuais acaba por ser a um jogador, embora o conceito de equipa seja interessante para jogar em multiplayer. Não deixa de ser uma óptima ideia, especialmente para se jogar em família.

As pistas são bastante loucas, coloridas e divertidas, embora algumas consigam ser demasiado confusas em certas partes. Nada que o jogador não vá aprendendo ao continuar a jogar, mas em muitas vezes parece que se preocuparam mais na complexidade e aparato do cenário do que no desempenho das pistas. A maior frustração em termos de desempenho é que o jogo, na Nintendo Switch, corre em 30fps, enquanto na PS4 e Xbox One corre a 60fps para uma melhor experiência visual a jogar.

Esta versão na Nintendo Switch teria ganho mais com uma melhor adaptação aos 60fps, mesmo que isso sacrificasse alguns detalhes pouco importantes das pistas, oferecendo assim uma competição mais séria ao jogo Mario Kart 8 Deluxe na mesma consola. Por outro lado, também é certo que esta questão de desempenho não será importante para toda a gente que apenas quer um jogo novo para se divertir em ambientes de corridas diferentes. Neste aspecto, a versão da Nintendo Switch tem sempre a vantagem da portabilidade e por isso poder ser utilizada em qualquer lado pelos jogadores, mesmo que sejam um, dois ou três a continuar a jogar neste modo Team Racing. Outra coisa estranha, é o vídeo de introdução do jogo, que na versão desta consola parece ter desaparecido sem qualquer razão para isso.

Voltando ao Menu Principal, as grandes alternativas ao Team Racing serão os modos Local Play e Online Multiplayer.


O modo Local é na prática o mais standard deste jogo, oferecendo a possibilidade de 1 até 4 jogadores se juntarem para os modos Grand Prix e Exhibition Race, considerando que nos modos de jogo em equipa apenas serão suportados 3 jogadores, por causa da mecânica do jogo. Nessas corridas, até 12 personagens estarão a competir, sendo os restantes controlados pelo PC contra os jogadores. Curiosamente, é também nesta opção que se encontra o modo Time-Trial, exclusivo para um jogador mas onde será ideal para conhecer bem as pistas e bater os seus próprios recordes.

Já no modo online multiplayer há um maior número de opções onde o jogador pode optar pelo jogo a tratar do matchmaking ou criar o seu próprio lobby ou procurar o de algum amigo que tenha feito o seu. O modo standard de jogo é um Quick Play onde o jogador irá procurar outros jogadores, escolher uma pista e ir jogando, de pista em pista até se fartar. O Team Race será o modo mais interessante para os fãs deste conceito de equipas, uma versão do Quick Play mas mais integral - a questão é se faz ou não sentido fazer equipas com desconhecidos. Por esse mesmo motivo, existe o modo Standard online para simplesmente competirem até 12 jogadores, sem terem de se preocupar em equipas. Mas lá vai o conceito do jogo, não é?

Em geral, é um jogo que por causa das equipas tem mais sentido jogar localmente com amigos do que online, mas não deixa de dar essa possibilidade.


Team Sonic Racing é de facto um jogo estranho, fugindo ao standard dos jogos de corridas por ser uma melhor experiência para os fãs de multijogador. Pode não ser o mais completo em termos de personagens e cenários, sendo apenas inspirado em mundos e personagens de Sonic, mas tem uma oferta interessante para quem tenciona jogar em família. Para um só jogador, a maior parte do seu conteúdo é estranha pela dependência de 2 jogadores controlados pelo PC, algo que será importante ter em consideração ao decidir jogá-lo.

Seja como for, é um jogo de corrida divertido e bem feito, pode é não ser suficientemente apelativo para a maioria dos fãs.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Ecoplay.
Team Sonic Racing Team Sonic Racing Reviewed by Telmo Couto on 23 maio Rating: 5

Latest in Sports