Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop

 
Artigo escrito por Miguel Lourenço

Hoje trago-vos... uma sequela! A Phase Shift Games, depois do seu sucesso com o jogo Dungeon Drop, já de si inovador, resolveu continuar a saga de heróis que vão para uma masmorra gerada aleatoriamente e posteriormente voltam à taberna da vila para contar as suas histórias. Curiosos? Vamos descobrir o que é este mundo!


Começando pelo início, Dungeon Drop é um dungeon crawler em que a masmorra é gerada aleatoriamente através de pequenos cubos, que são despejados para cima da mesa. Sim, leram bem, despejados para cima da mesa. É um mecanismo inovador que permite uma aleatoriedade sem limites!

Mas estamos aqui para falar do que acontece depois dos heróis andarem pela masmorra a derrotar criaturas, ou seja, estamos aqui para falar das histórias que estes heróis (nós) contam uns aos outros quando chegamos à taberna, e partilhamos as nossas histórias do que aconteceu! E como quem conta um conto acrescenta sempre mais um ponto, digamos que... algumas das histórias que estamos a contar podem não ter acontecido exactamente como as estamos a contar...

Temos então o jogo Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop, de 2 a 5 jogadores, com uma duração de 20 a 30 minutos, criado por Gregory Skulnick e publicado pela mesma editora de Dungeon Drop, a Phase Shift Games.
Neste jogo, os jogadores são heróis que voltaram da sua aventura na masmorra, e, através de cartas de heróis que colocam à sua frente, irão contar o que aconteceu em cada uma das masmorras por onde passaram.


Na preparação do jogo, existem 5 masmorras, no topo, e por baixo delas, colocam-se 3 Feat Cards, ou seja, feitos ou criaturas que encontrámos em cada uma das masmorras. Estas são tiradas aleatoriamente de um baralho, e são o que nos dão pontos para vencer o jogo.
Os jogadores têm também 6 cartas na mão, das quais descartam 2 inicialmente para ficarem com uma mão inicial de 4 cartas, que é o limite de mão. Estas cartas representam os heróis que nos acompanharam na masmorra, e cada um deles pode ter uma ou duas cores no topo, que representam em que masmorra(s) eles podem entrar.


Por exemplo, o Stonekin apenas pode entrar nas Cavernas de Gelo (masmorra azul), e o Boblin pode entrar tanto no Poço da Mina (masmorra castanha) como nas Catacumbas (masmorra preta).

Tudo percebido? Então que comecem as histórias mal contadas e a confusão!!

No nosso turno, caso tenhamos poucas cartas na mão, podemos fazer o que se chama Think'n'Drink, ou seja, não nos lembramos muito bem de como a história se passou, e precisamos de reavivar a nossa memória. Para isso, tiramos 3 cartas do baralho de heróis, e descartamos até chegarmos ao limite de mão (inicialmente 4).

Em vez do Think'n'Drink, podemos fazer a ação de Stake a Claim!, ou seja, vamos assertivamente dizer o que realmente se passou numa masmorra!
Para isso, podemos dizer algo como por exemplo, "Eu fui com este Stonekin às Cavernas de Gelo, e trouxemos de lá estas duas Royal Quests!".
Traduzindo de "gabarolas" para mecânica de jogo, escolhemos uma carta (neste caso o Stonekin, que apenas pode ir à masmorra azul), e escolhemos 2 Feat Cards que estão por baixo da masmorra azul.
Neste exemplo, o Stonekin é um Specialist, o que significa que apenas o podemos jogar para ir a um tipo de masmorra, mas trazer até 2 Feat Cards. Caso jogássemos um Adventurer, podemos escolher um dos 2 tipos de masmorra, mas apenas podemos escolher 1 das Feat Cards.

Após fazermos a nossa escolha, os restantes jogadores podem contrariar aquilo que nós acabámos de dizer! Para isso, caso tenham alguma carta de herói com a mesma cor que acabámos de escolher, podem jogar o seu herói "por cima" do nosso, o que faz com que a história deles fique mais crível que a nossa!
Isso faz com que, no final do turno, em vez de sermos nós a marcar os pontos das Feat Cards, será a última pessoa que jogou uma carta com aquela cor! Porque afinal de contas, foi ela a última a contar a história e ninguém desmentiu, portanto deve ser verdade...

Ao recolher as Feat Cards, somamos os pontos que estas nos dão, e cada Feat Card tem uma forma diferente de pontuar.

Por exemplo, se tivermos uma Royal Quest, ganhamos 1 ponto. Com 4 Royal Quests, ganhamos 10 pontos, mas se tivermos mais que 4, começamos a perder pontos! A mesma coisa para o Dragon Egg. Um vale 6 pontos, mas mais que um faz com que afinal aquilo não seja assim tão raro, e "ganhamos" -3 pontos por cada um a mais.

Depois de alguém receber as Feat Cards e de as pontuar, são repostas as Feat Cards da masmorra, e o jogo continua com o próximo jogador.

Quando alguém passar os 15 pontos, o seu limite de mão é reduzido para 3, em vez das 4 iniciais, e o jogo termina imediatamente quando alguém chegar aos 30 pontos.

Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop é um jogo rápido e divertido, com potencial para ser  ainda melhor caso os jogadores tenham a capacidade de inventar histórias mirabolantes com as cartas de herói que jogam e com as Feat Cards que querem ganhar. É uma excelente sugestão para um filler!


Ah, o jogo traz ainda três mini-expansões que permitem aumentar um pouco a complexidade, e aumentar a rejogabilidade: Feat Cards adicionais, chamadas de Relic Cards, heróis de Elite, que podem ser usados apenas para dizer "olha que isso não foi bem assim...", ou seja, apenas servem para jogarem "por cima" de outro jogador, e finalmente, regras especiais para as várias masmorras. Por exemplo, fazer com que uma masmorra apenas fique disponível depois de uma determinada condição, ou alterar a forma como podemos escolher as Feat Cards dessa masmorra.



Avaliação D.I.C.E.
Dinâmica

O tempo de espera até que sejamos nós a jogar novamente é praticamente zero! Em cada turno, todos os jogadores estão envolvidos em saber para que masmorra o jogador vai, que Feat Cards vai escolher, se me interessam essas cartas ou não, e se me interessarem, será que quero gastar uma carta de herói já, ou espero pelo turno do próximo jogador, porque há ali outra masmorra que me interessa mais? Para além disso, a mecânica simples do "a última pessoa que colocou a carta de herói daquela cor é a que vai ganhar" faz com que seja sempre interessante de fazer escolhas.



Integração Temática

Quanto ao tema, é daqueles jogos que pode oscilar entre o "super temático" e o "é só um jogo de cartas com uma espécie de set collection", ou seja, penso que depende muito do grupo e da capacidade de contar histórias que sejam minimamente interessantes, bem como da capacidade de resposta dos outros jogadores sempre que um deles faça uma escolha de herói e masmorra. Com o grupo certo, pode ser fantástico!



Complexidade

Complexidade não rima com este jogo. É um jogo que se explica em 5-10 minutos, e joga-se muito facilmente em 20-30 minutos. Todas as cartas têm também iconografia simples de verificar, o que faz com que todo o jogo seja rapidamente legível por toda a gente na mesa.




Entretenimento, Design e Arte

Conforme já disse, este jogo consegue ser bastante divertido, e devido à quase inexistência de "tempos mortos", consegue fazer com que toda a gente esteja imersa e sempre à espera que o próximo jogador lhe vá estragar os planos, e com que no final os jogadores queiram jogar novamente devido às várias "mudanças de planos" e às "mini-facadinhas" que acontecem quase constantemente!
Quanto ao design do jogo, é simples mas ao mesmo tempo consegue trazer algumas decisões estratégicas, devido às diferentes pontuações das Feat Cards. Algumas delas não queremos mesmo ter mais do que um determinado número! E as ilustrações e a cor fazem com que o jogo se consiga realçar numa mesa! Muito bem conseguido!



Considerações Finais

Em resumo, Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop é um jogo que eu poria no segmento familiar, no sentido em que não é complexo, e traz uma certeza de diversão e entretenimento sem nenhum dos "problemas" típicos de jogos um pouco mais complexos, como AP, ou a sensação que temos de tratar de alguma coisa a meio do jogo e quando regressamos já não sabemos o que íamos fazer.
Aliado a isso, temos também a duração das partidas. Para apenas 30 minutos, temos aqui bastante jogo! 
Eu gostei bastante de o jogar, e espero que vocês também!



Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop Tavern Tales: Legends of Dungeon Drop Reviewed by DICE Cultural on 10:00 Rating: 5

Latest in Sports