Rise of Insanity


Há bem pouco tempo tempo tivemos uma análise a um jogo de terror com muita qualidade para assombrar os nossos leitores, Song of Horror é um verdadeiro exemplo de como criar algo que os fãs da “velha escola” apreciam, sustos de cortar a respiração e de sublinhar que foi realizado por um estúdio indie.

Desta vez, o indie que nos chega é Rise of Insanity, uma experiência de horror que infelizmente desilude e pouco ou nada tem para oferecer, tirando apenas dois aspetos que serão referidos no final da análise.


Infelizmente, nem sequer há muito para escrever sobre Rise of Insanity, pois o jogo oferece uma duração de duas horas, com exploração praticamente nula visto que o jogo é totalmente linear. Os cenários são vazios, o grafismo mete mais medo que o jogo em si e é realmente estranho saber que o jogo ainda teve uma duração de alguns anos na produção para o produto final ser fraco. A jogabilidade é do mais simples que existe, o jogador irá percorrer a maior parte do jogos nos mesmos cenários, apenas com portas que vão desbloqueando à medida que progridem. Os sustos, existem talvez alguns pequenos e curtos jump scares e nada mais.

Note-se que esta análise foi efetuada na Nintendo Switch, cuja versão é limitada ao ecrã, sendo que para PC o jogo pode ser jogado em VR, o que explica muito desta experiência.


É um jogo de terror, caminhar sozinho na escuridão é aquele cliché como também são a presença de puzzles. Este último é uma pura desilusão, uma criança seria capaz de os concluir sem grande esforço, o que deixa qualquer jogador veterano frustrado de tão básico que estes são para concretizar, exigia-se o mínimo de esforço, coisa que não houve, de todo.

Mas então, o que há de bom neste jogo? Podemos apontar dois aspetos relevantes. A narrativa que, foi realmente trabalhada e até é profunda mas, sendo o jogo tão curto, não queremos spoilar a quem vá experimentar. A banda sonora é outro, competente mas que apenas será sentida mais para o final do jogo. Pode-se dizer que o final do jogo é no fundo a melhor parte, com uma música nos créditos finais que irá impressionar o jogador e levar a pensar que a parte mais bem trabalhada do jogo inteiro foi o seu tema final.


Rise of Insanity é um jogo inacabado, vazio e enfadonho. Embora a narrativa seja o seu ponto forte, não é o suficiente para justificar a sua aquisição, com tanta oferta dentro do género tanto nesta, como qualquer outra plataforma.

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Pineapple Works.
Rise of Insanity Rise of Insanity Reviewed by Patrício Santos on 14:00 Rating: 5

Latest in Sports