Dreams


Sonhos. Sonhos de quem cria e partilha, sonhos de quem os experimenta. É esta a proposta de Dreams, o novo título da Media Molecule para a PlayStation 4 que não é propriamente um jogo, mas sim uma impressionante plataforma para quem gosta de videojogos.

Dreams está dividido em duas secções principais: uma para criar, outra para jogar. Mas antes de começar a criar seja o que for, o próprio título recomenda começar por jogar. Durante o período de Acesso Antecipado, já muitas foram as criações de outros utilizadores, incluindo várias feitas em Portugal, uma óptima forma de rapidamente se ficar a perceber o que é possível fazer aqui.

Naturalmente, a própria Media Molecule incluiu as suas próprias criações, tudo feito com o próprio Dreams, mostrando assim uma enorme variedade de experiências, muitas vezes quebrando as barreiras do que se espera de jogos e os géneros de jogo. Por exemplo, um "point and click" de investigação dentro dos sonhos de um artista, tão depressa se pode transformar num jogo de plataformas retro como algo futurista, voltando ao point and click, tudo isto com transições com as quais tudo faz sentido.


Mas, então, como se faz?

Tão importante como criar boas experiências, é a curiosidade que estes Dreams by Media Molecule fazem surgir. Depois de os jogar, nada como perceber como foram feitos. Cada sonho é uma experiência composta por uma sequência de múltiplas cenas, sejam elas uma animação, um cenário para explorar... pequenos sonhos que, juntos, fazem todo um novo sonho. E assim nasce a curiosidade em criar.

Não se pense que é de um dia para o outro que se estará a publicar um "grande videojogo" dentro do Dreams, especialmente para quem tiver zero de experiência na área. Primeiro, é preciso conhecer as ferramentas, e foi precisamente aqui que os developers tiveram uma enorme atenção para as explicar, uma a uma, com diversos (e indispensáveis) tutoriais. Mas até aqui há uma grande liberdade: se o tutorial é para criar um cenário onde colocar uma personagem, todo o aspecto do que se faz fica ao critério do utilizador.

Conforme se vai aprendendo novos tutoriais, também se puxa pela imaginação. Se a primeira criação foi um rochedo flutuante com uma personagem para se movimentar, aos poucos foi-se tornando uma ilha com o oceano a ondular, cresceram umas palmeiras, adicionou-se alguns sons da natureza... e um animal selvagem que, para já, é só uma estátua... bora aprender a animar!


Feita uma cena com a qual se esteja satisfeito, então e que tal partilhar com o mundo? Não só para que a experimentem e possam dar feedback, mas também que a possam integrar nos seus sonhos? É o toque de génio desta plataforma: mais do que uma ferramenta, é uma comunidade. Todos podem seguir os seus criadores favoritos, assim como reutilizar todas as cenas que eles permitam.

Criar pode não ser para todos, mas se há a curiosidade em como fazer algo para o mundo dos videojogos, simplesmente não há plataforma como esta. Sim, tem um grande período de aprendizagem, até mesmo na habituação dos controlos (que serão bem mais intuitivos para quem tiver os comandos PlayStation Move) e o domínio do que fazem as diferentes ferramentas, mas é incomparável a sua acessibilidade em relação às plataformas que precisam sempre de um programador. Além disso, a própria Media Molecule vai oferecendo dicas no seu próprio canal de YouTube.

Graficamente, há também aqui um trabalho fantástico. É mesmo difícil fazer-se algo com aspecto "foleiro", mesmo com imensas opções de personalização, quando o próprio motor gráfico trata de deixar todos estes sonho tão bem apresentáveis. Além disso, é de louvar a facilidade com que se passa entre "criar" e "jogar" durante a construção dos níveis, permitindo facilmente testar tudo o que se está a fazer.


Dreams é uma plataforma que facilmente poderia ser integrada em ambiente escolar, pela forma como facilmente explica todos os conceitos que estão por detrás do desenvolvimento de videojogos, sem que seja necessário o domínio por qualquer tecnologia adicional, tudo isto totalmente em Portugues. Quem sabe as paixões (e carreiras) que poderá fazer despertar, seja pela criação de ambientes ou a animação, a banda sonora ou as mecânicas de jogabilidade...

Acima de tudo é uma plataforma sem limites, impossível de prever até onde irá chegar com uma comunidade recheada de imaginação... e sonhos onde todos podem participar. Parece injusto "avaliar", mas do ponto de vista de quem for apenas jogador, seja hardcore ou mais casual, terá mesmo de o experimentar!

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela SIEE.
Dreams Dreams Reviewed by Telmo Couto on 21 fevereiro Rating: 5

Latest in Sports