Aviary Attorney


Do pequeno estúdio indie da Sketchy Logic, chega à Nintendo Switch este Aviary Attorney, um jogo sobre pássaros que são advogados, onde o jogador é a peça principal na procura incessante da verdade, enquanto tenta defender os seus clientes em tribunal.

O jogo decorre na década de 1840 em França e atira o jogador para um tempo e local pouco explorado pelos videojogos. Desta maneira Aviary Attorney tira o máximo proveito de toda esta configuração única, muito para além de simplesmente usar como um pano de fundo visual. Como é de conhecimento público, a França está cheia de rumores de descontentamento com a sua monarquia e com o sistema de classes que favorece a burguesia. É exactamente neste instante que a “ação” se passa. A revolução está no ar e torna-se um tema bastante importante no desenrolar do jogo.

O jogador veste a pele de Jayjay Falcon, um adovagado de defesa particular, e conta com a ajuda do seu amigo Sparrowson. Ambos têm como principal objetivo investigar casos de assassinato e defender os acusados da melhor maneira possível, procurando pistas, entrevistando testemunhas e por fim apresentá-las em tribunal. No entanto, à medida que o jogo avança, a população torna-se bastante inquieta e os casos de Falcon assumem um tom um pouco diferente. É neste ponto que a personagem principal é forçada a colocar os seus talentos de investigação como advogado no sentido de “lutar” pela causa do bem da França.

Muito embora os elementos de jogabilidade permaneçam exatamente os mesmos, a história é desenrolada para além do tribunal e a personagem principal terá de usar todas as suas habilidades para tentar contornar a morte.


A jogabilidade básica de Aviary Attorney é bastante semelhante a títulos do género, não apresentado por isso nenhuma novidade aos fãs de jogos de investigação. De maneira que grande parte do jogo é essencialmente leitura, com uma algumas opções importantes de escolha de frases. Após receber o caso, o jogador poderá explorar as ruas e várias zonas da cidade de Paris em busca de pistas. É de facto importante ter em conta o dia de semana presente, que é apresentado no canto superior direito do mapa, uma vez que os casos são julgados em dia certo. O jogador por vezes poderá encontrar-se perdido e com falta de tempo para ir de encontro ás pistas que falhou, isto porque, em certas ocasiões para viajar de ponto A a ponto B, é necessário a utilização de 1 dia inteiro (no próprio jogo).

A mecânica de apontar e clicar em áreas do ambiente são tão simples como suficientes para a sua finalidade. Infelizmente não existe nenhuma mecânica de “touch” no modo portátil da Switch, mas não é caso desesperante porque a realidade é que os controlos funcionam muito bem assim. 

Este método de investigação é o mais próximo de percorrer uma cena de crime, e o jogo só permite que o jogador o faça em certos locais espalhados pelos casos.

As pistas e informações colecionadas estão disponíveis para leitura a qualquer momento com o simples toque do botão de inventário. Neste menu é também possível ver as pessoas que estão a ser investigadas, ou que o jogador conheceu durante a investigação, e a carteira, para quando for necessária alguma informação adicional. É possível recuperar dinheiro ao completar certas “missões” ou deslocar-se ao pub local para jogar algumas rondas de "Jacques-Noir".


A apresentação do jogo, os locais, o facto de todo o elenco ser baseado em animais desenhados à mão, confere um nível de charme e detalhe bastante interessante. 

Toda esta atmosfera é apresentada contra um pano de fundo amarelo, que não fere os olhos, evocando a sensação de ler um documento daquele período.

Acompanhado na perfeição com uma banda sonora que assenta que nem uma luva e que consegue transportar o jogador para o ambiente vivido na história. As diferentes personagens e locais têm temas distintos, e cada peça musical tem uma autenticidade que apimenta o jogo com um “je ne sais quoi” parisiense.

Esta"Definitive Edition" conta ainda com um sistema de "conquistas" interno, que permite ao jogador arrecadar medalhas por feitos conseguidos durante a sua aventura. Jogar algumas rondas de "Jacques-Noir", ouvir a "Jukebox" e ver a galeria de personagens, ou o "Face Book", são as restantes opções que são desbloqueadas após o termino da história.


Aviary Attorney é assim um título muito bem conseguido e que vale a pena levar para qualquer local. Com a possibilidade de ter vários “fins”, este título aguça o apetite daquele que tem faro para a coisa, e que não descansa até saber o fim que ficou por desvendar se a opção fosse diferente. É também importante ter cuidado a jogar “on the go”, isto porque, é bastante provável largar uma gargalhada inevitável à conta de um trocadilho mais “estúpido”.

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Vertical Reach.
Aviary Attorney Aviary Attorney Reviewed by Pedro Almeida on 11:30 Rating: 5

Latest in Sports