Primeiras Impressões: Nintendo Labo VR Kit


Em 2018, a Nintendo surpreendeu tudo e todos com um produto aparentemente vindo do nada: Nintendo Labo, uma série de "brinquedos" de cartão para a Nintendo Switch feitos para se montar, brincar e aprender acerca do seu funcionamento. Sob o mote "Cria, Joga, Descobre!", a aposta da Nintendo no mercado "STEM" (sigla inglesa para "Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática") resultou em experiências impressionantes, tanto para os mais pequenos como para os seus familiares, disponibilizadas na forma de três kits com diferentes conjuntos de brinquedos, aqui chamados de Toy-Con.

Agora, está prestes a chegar ao mercado algo ainda mais surpreendente: o quarto kit desta gama não é nada mais, nada menos, do que uma introdução ao conceito de Realidade Virtual! Chama-se Nintendo Labo: VR Kit e o Meus Jogos já teve a oportunidade de montar e experimentar os Óculos VR Toy-Con, que servem de base para todas as experiências de VR aqui incluídas. Estas são as nossas primeiras impressões.

Antes de mais, há que esclarecer uma coisa: estes Óculos VR não foram feitos para competir com produtos como o PlayStation VR ou os HTC Vive. São propositadamente básicos e, de certa forma, parecidos ao que o Google Cardboard faz nos smartphones, com o propósito de servir de introdução à Realidade Virtual, especialmente para os mais pequenos.


Tudo começa com uns pedaços de cartão, à exceção das Lentes VR, a única peça que não podia mesmo ser feita à mão. Em todos os conjuntos Labo, a componente de criação é o começo de qualquer Toy-Con e com os Óculos VR não iria ser diferente. O software inclui um tutorial bastante acessível e explicativo de como montar todas as peças, passo a passo e com a possibilidade de andar para trás e para a frente para corrigir eventuais enganos. Infelizmente, o software não está disponível em Português, pelo que os mais pequenos irão mesmo precisar do acompanhamento de um adulto.

Para quem experimenta montar pela primeira vez um produto Labo, o processo de montagem é bastante divertido e surpreendentemente gratificante. Entre acompanhar o tutorial, destacar os pedaços de cartão, dobrar e encaixar, passam-se facilmente uns 20 a 30 minutos sem se dar pelo tempo. À medida que as coisas vão ganhando forma, todo o processo começa a fazer sentido, desde o suporte para as lentes ao encaixe da consola, onde a Nintendo Switch poderá depois ser colocada para as experiências VR.


Após tudo montado e encaixado, chega a parte de jogar. Só com os Óculos VR, é possível aceder a um total de 16 minijogos na "VR Plaza", começando pelo básico de boas vindas à Realidade Virtual num cenário tridimensional onde se pode movimentar uma personagem e experimentar várias interações.

Colocando os óculos na cara, a sensação imediata é de que a resolução é bastante baixa (o que é natural considerando que o ecrã da Nintendo Switch é de 720p), mas ainda assim a imagem consegue estar suficientemente boa, com uma verdadeira sensação de profundidade nos ambientes 3D. Está longe de ser uma imagem "impressionante", mas também não é esse o posicionamento do produto. O que impressiona aqui é que mesmo assim consegue ser bastante imersivo, pois ao fim de uns segundos já não se está a pensar nem em gráficos, nem em resoluções. É realmente espantoso e irá certamente deixar de boca aberta todos os que nunca tenham experimentado algo em Realidade Virtual.

Muitos destes minijogos pedem a utilização de um Joy-Con para interagir com o que se vê no ecrã. Um dos mais divertidos, chamado "Animals Galore", permite controlar uma mão para brincar com animais de borracha no cenário, utilizando para isso os movimentos do comando. Se alguns minijogos são apenas experiências interativas, outros oferecem mesmo um desafio, como controlar um OVNI para destruir objetos no espaço, ou acertar com um taco de baseball nas bolas que uma personagem atira, para se tentar derrubar os objetivos atrás dessa personagem. Em geral, experiências curtas, mas divertidas.


Depois de criar e jogar, vem a componente de descobrir, onde é possível desvendar o que está por detrás destas brincadeiras e assim aprender um pouco sobre a tecnologia. Como é que a consola sabe se está ou não dentro dos Óculos VR para ativar/desativar automaticamente o modo VR? Tocar num sítio específico do cartão dos Óculos funciona como um botão, mas como é que isso funciona? Estes são apenas alguns exemplos do que se pode aprender neste modo de descoberta. Mais uma vez, é uma pena que não esteja disponível localizado em Português.

Tudo isto, com apenas os Óculos VR Toy-Con e os comandos da Nintendo Switch. Além destes óculos, o Nintendo Labo: VR Kit irá incluir os seguintes Toy-Con: o Desintegrador, a Câmara, o Pássaro, o Pedal de Vento e o Elefante, assim como um suporte de ecrã e um suporte de proteção para a consola não cair acidentalmente dos óculos.


Para primeira experiência com Nintendo Labo, esta não poderia ter sido melhor. Percebe-se todo o cuidado que foi tido em desenvolver as coisas ao pormenor, resultando numa experiência gratificante poder-se jogar depois do processo de montagem. A imagem, apesar das limitações tecnológicas, consegue ser suficientemente boa para uma experiência imersiva, o que é realmente notável para o que ao início eram apenas uns pedaços de cartão e umas lentes de plástico.

Para estes Óculos VR Toy-Con, incluídos tanto no VR Kit completo como no "Pack Inicial", estão já anunciados novos modos de Realidade Virtual nos jogos Super Mario Odyssey e The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Mas como já foi dito, além dos óculos há muito mais para descobrir neste Nintendo Labo: Kit VR, do qual contamos ter uma análise completa em breve.

Primeiras Impressões: Nintendo Labo VR Kit Primeiras Impressões: Nintendo Labo VR Kit Reviewed by Telmo Couto on 11 abril Rating: 5

Latest in Sports