Indie X: O mundo indie dentro do Moche XL Games World


Quem frequenta muitos eventos de videojogos, está habituado aos stands das grandes marcas, cheios de conteúdos e muita interação. O que muito poucos têm, porém, é uma área dedicada ao mundo indie como a do Moche XL Games World, no espaço Indie X. O evento, atualmente a decorrer na Altice Arena até ao próximo domingo, promete apelar a todos os jogadores.

A principal diferença da zona indie é que, apesar da sua óptima localização junto aos stands de grandes marcas como a PlayStation, Nintendo e ASUS, entre outras, esta sofre de pouca iluminação, podendo passar ao lado dos mais distraídos. Mas entre dezenas de estúdios independentes e os respectivos videojogos, há ofertas para todos os gostos, e aqui destacamos alguns dos títulos que mais nos impressionaram.

Começando pela área PlayStation Talents, dedicada ao concurso de videojogos para a PlayStation 4 desenvolvidos em Portugal, além dos novos concorrentes para a 5ª edição do concurso, estavam presentes alguns dos vencedores das edições anteriores.

KEO, da Redcatpig Studio
O grande destaque vai para KEO, o vencedor deste ano, desenvolvido pela Redcatpig Studio. Este é um jogo baseado em arenas de combate multijogador, onde cada um controla uma viatura cheia de armamento e... seja o que o talento de cada um quiser! Até então, o jogo só podia ser testado com dois jogadores em split-screen, mas têm agora uma nova demo com ecrãs separados e headphones para cada jogador, oferecendo uma experiência ficou ainda mais imersiva. E se com apenas dois jogadores humanos mais um controlado pelo CPU isto deu bastante diversão, mal podemos esperar pela versão final que irá ter duas equipas de 5 jogadores em competição!

Além do espaço dedicado ao mundo dos jogos indie, este foi o único estúdio a dar um salto ainda maior, estado também disponível para experimentar no stand da ASUS com os equipamentos da marca.

Quanto aos concorrentes finalistas da próxima edição do PlayStation Talents, o mais impressionante foi a grande diversidade entre eles. Desde Lost Transmission, estudantes do Politécnico de Leiria com uma aventura no espaço para decifrar uma misteriosa mensagem, a Little Goody Two Shoes, uma narrativa com belíssimo estilo artístico da AstralShift, até aventuras gráficas já mencionadas no Meus Jogos, como é o caso de Closer to Me, do estúdio Lewk Inc., e de Back Then, da Outriders.


Uma das grandes surpresas foi a jogabilidade de Chronos, que além de finalista do PlayStation Talents foi também vencedor do Nordic Game Discovery Contest 2019, indo representar Portugal na Suécia em maio do próximo ano. Se o conceito do jogo e o seu trailer já pareciam interessantes, o mais impressionante foi mesmo a jogabilidade da demo.

Mais do que um jogo de plataformas, este é um jogo recheado de puzzles à base do poder da protagonista, capaz de abrandar o tempo. Com isto, altera-se a velocidade de movimento dos objectos em redor, abrindo assim novos caminhos para avançar. Conforme se vai progredindo, também a música vai evoluindo, com novos instrumentos à medida que se aproxima do fim do nível. É claramente um título com imenso potencial.

Prism Seekers, do Biga Forti Studio
Outro jogo que já tinha sido apresentado no Meus Jogos e pudemos finalmente experimentar foi Prism Seekers, do estúdio Biga Forti. Podendo ser jogada por um ou dois jogadores, esta é uma aventura cooperativa entre duas personagens que representam a luz e sombra e, por isso mesmo, têm diferentes habilidades. O resultado é um óptimo jogo para se jogar a dois, com interessantes puzzles nos quais uma personagem ajuda a outra e, assim, ambos conseguem avançar.

Finalmente, no que diz respeito aos concorrentes do PlayStation Talents, estivemos ainda a jogar FTW: For The Warp do Massive Galaxy Studios. O jogo, que já está disponível para PC em "First Access" no itch.io, é um curioso jogo de estratégia e "deck building" com um belíssimo estilo visual em retro sci-fi.

Mas se todos estes estão a concorrer pelo prémio da PlayStation, também o próprio Indie X tem um prémio para oferecer da sua própria competição. Como convidados especiais, o evento conta com os vencedores do ano passado: Those Who Remain (Best Portuguese Game), do estúdio Camel 101, e Sword Legacy Omen (Best of the Show), videojogo entretanto já publicado pela Team 17. Então e as novidades

Imperiums: Greek Wars, da Kube Games
Bastante impressionante foi todo o aspecto de Imperiums: Greek Wars, da Kube Games. Um jogo de estratégia por turnos com belíssimos visuais e que promete incontáveis horas de jogo sem se dar pelo tempo a passar.

Numa vertente totalmente diferente, Exophobia de José Castanheira oferece um tributo ao grande clássico DOOM num cenário 3D com visuais extremamente retro e uma jogabilidade super gratificante., com lançamento previsto para o verão de 2020.

Pelo meio, uma das grandes surpresas foi ZHED, um jogo de puzzles aparentemente simples mas que rapidamente começa a puxar bem pela cabeça. Depois de ter sido lançado para os dispositivos móveis, o jogo prepara-se agora para chegar ao PC, através do Steam.


Por último, o nosso destaque vai para Zealot, do estúdio nacional Prime Cut Games. Embora ainda esteja numa fase inicial do seu desenvovimento, a verdade é que em nada o parece. Com uma impressionante estética que mistura ambientes 3D com os sprites retro ao estilo dos tempos da Super Nintendo e Mega Drive, qualquer screenshot do jogo aparenta ser simplesmente um clássico em 2D. Combinado com uma jogabilidade bastante intuitiva e gratificante, o jogo promete imenso e será certamente algo a manter debaixo de olho aqui no Meus Jogos.

Isto é apenas um cheirinho da enorme quantidade de jogos indie realmente impressionantes que podem ser experimentados no Moche XL Games World, tanto vindos de estúdios nacionais como internacionais. Um espaço que, só por si, justifica uma visita ao evento durante este fim de semana!

Indie X: O mundo indie dentro do Moche XL Games World Indie X: O mundo indie dentro do Moche XL Games World Reviewed by Telmo Couto on 15 novembro Rating: 5

Latest in Sports