Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020


Mario e Sonic, juntamente com os seus companheiros e adversários, estão de volta para mais competições no mundo dos Jogos Olímpicos, desta vez na sua terra Natal.

Se há coisa que tantos os fãs de longa data da Nintendo como os da SEGA nunca hão de esquecer, será o dia em que as duas empresas anunciaram o primeiro Mario & Sonic at the Olympic Games. Os dois eternos rivais do mundo dos videojogos, finalmente a cruzarem-se num só videojogo, mesmo que sendo num evento do "mundo real". Desde então, cada edição dos Jogos Olímpicos tem sido acompanhada por um reencontro destes mundos, com as personagens de Mario e Sonic a disputar as mais variadas competições, sejam elas "realistas" ou os chamados "dream events".

Todo um título de minijogos a pensar no modo multiplayer, mas desta vez, há uma grande surpresa a nível de conteúdos com o modo de história! Dr. Eggman está de volta com as suas engenhocas maléficas, acabando por fazer algumas personagens (incluindo o próprio) irem parar a um mundo dos videojogos numa consola 8-bit, inspirado nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 1964. Entretanto, nos tempos atuais, as restantes personagens tentam perceber o que poderá ser feito para os trazer de volta ao mundo real.


Se com este modo história há toda uma intenção de apresentar como foram os Jogos Olímpicos da última vez que decorreram em Tóquio, comparando com o que se poderá esperar do próximo ano, a realidade é que consegue também ser a melhor forma de se jogar a solo um título que pela sua natureza, é principalmente feito para festas com amigos em casa. Não se espere, naturalmente, uma interessante narrativa, apenas divertida e com uma desculpa para se ir aprendendo os diversos desportos inseridos neste jogo e alguma "trivia" sobre os eventos e as personagens.

Os minijogos "retro" acabam por ser os mais divertidos por causa da sua fidelidade ao estilo dos jogos nas antigas consolas, embora seja um pouco estranho ver as personagens da série Sonic com sprites da versão 16-bit na Mega Drive enquanto as de Mario ficam limitadas aos sprites 8-bit do tempo da NES. Em geral, são estes os minijogos com os controlos mais simples, mas também os que realmente fazem sentir um cruzamento entre os clássicos das adoradas séries de videojogos.

Algo interessante deste modo história, fora das atividades desportivas, está num divertido conjunto de minijogos exclusivos deste modo, que ficam depois disponíveis num "Game Room" dentro do menu de perfil do jogador. Ao todo, são 10 minijogos divididos entre os estilos visuais modernos e clássicos, oferecendo experiências bastante divertidas para um só jogador. Destaque para o minijogo retro "Highway Chase", onde Sonic vai a correr pela autoestrada, desviando-se dos carros (naturalmente mais lentos do que ele) enquanto tenta capturar o táxi onde foge Eggman. Nos tempos da Mega Drive, um jogo inspirado nisto teria sido um êxito de vendas!


Se o modo de história serve como uma boa forma de entreter o jogador quando está sozinho, o Quick Match será proavelmente o mais utilizado, tanto para jogar a solo contra personagens controladas pelo CPU, como em multijogador até 4 pessoas na mesma consola. Tal como o nome indica, partidas rápidas com as atividades à escolha, que podem ser divididas em 3 componentes: Tokyo 2020, Dream Events e Tokyo 1964.

Tokyo 2020 será o principal conteúdo deste título, mas infelizmente também poderá ser o menos divertido dos 3. Com um total de 21 atividades, que vão desde as corridas à natação, ginástica e desportos de combate, há aqui uma grande variedade, cada uma com controlos específicos para controlar a personagem e fazer determinadas ações. Além disso, para as diferentes actividades, estarão disponíveis diferentes opções de controlo, com várias a possibilitar controlos com movimentos, outras limitadas ao uso de botões. Em nenhuma delas, porém, são obrigatórios os controlos por movimento.

Já os Dream Events, mesmo sendo apenas 3 atividades, serão facilmente os de maior entretenimento, divididos entre corridas de skate, disparar contra alvos num cenário 3D e uma arena de karate que é uma espécie de "brawler". Todos eles são "dream" porque de realistas não têm nada, sendo inspirados no mundo dos videojogos. Infelizmente, não passam de minijogos com apenas um cenário cada um, quando especialmente o primeiro poderia ser mais interessante ao oferecer uma maior variedade.

Finalmente, o modo Tokyo 1964 conta com 10 desportos diferentes, todos a simular o estilo retro dos tempos da NES. Surpreendentemente, nem todos os controlos são tão simples como se poderia imaginar, mas em geral são bem mais acessíveis que os de 2020. Infelizmente, porém, todos os desportos deste modo são limitados a apenas um ou dois jogadores, algo que nos "modernos" só acontece com Boxing e Karate.


Em geral, os controlos são relativamente simples, mas requerem alguma aprendizagem antes de oferecer uma experiência realmente divertida enquanto "party game". Ainda assim, é importante salientar que este é principalmente um jogo pensado para multijogador, apenas será melhor jogado (ou pelo menos mais competitivo) contra outros que também tenham o jogo. Aqui entram os modos de competição em modos Local e Online.

No modo Local, podem ligar-se até quatro consolas Nintendo Switch com o jogo, permitindo aceder aos mesmos conteúdos de "Quick Match" mas aqui com cada jogador no seu ecrã. O mesmo pode ser dito do Online em geral, mas que se divide em dois tipos principais de partidas. Em Ranked Match, o jogador terá de escolher qual a atividade em que pretende competir, para depois encontrar adversários e todos lutarem por um ranking a nível global. Já em Free Match, a mesma opção está disponível sem a pressão de rankings na pontuação, assim como a alternativa de simplesmente encontrar outros jogadores e, livremente, irem competindo em diferentes eventos. Esta última, por não ter a restrição do evento que se quer jogar, será também a mais fácil de reunir outros jogadores.


Tal como aconteceu no anterior Mario & Sonic nos Jogos Olímpicos, este conta com uma opção de jogo em "Português brasileiro", tornando-o bastante acessível aos jogadores mais pequenos. A única contrapartida poderá estar no nome de alguns desportos, que em Portugal são conhecidos pelo nome em Inglês e aqui estão localizados como "Caratê" e "Revezamento", por exemplo.

Em geral, é um título com uma boa apresentação visual, mesmo não sendo nada que se vá destacar  no catálogo da consola. O mais apelativo acaba por ser mesmo o modo retro 1964, que puxa pela nostalgia de outros tempos - mesmo que tecnicamente não existissem videojogos naquela altura.


Minijogos atrás de minijogos, Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 é um bom jogo de festa para todo o tipo de jogadores, acompanhado de um modo de história capaz de preencher os tempos livres. Sem trazer propriamente algo de extraordinário ou inovador para o género, promete horas de diversão a quem quiser ser o grande campeão de todos os desportos.

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Nintendo.
Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 Reviewed by Telmo Couto on 05 novembro Rating: 5

Latest in Sports