Exit the Gungeon


Da mesma maneira que “what goes around comes around”, o que entra também terá de sair. O famoso Shoot 'em up roguelike dos estúdios Dodge Roll está de volta com o título “Exit the Gungeon”.

Este título traz consigo uma mecânica totalmente diferente, mas com a mesma essência do seu título de entrada, tentar disparar e destruir todos os inimigos e, se morrer, repetir o processo.

Exit the Gungeon começa precisamente onde o primeiro terminou. No entanto, as ações do personagem principal no título anterior tiveram consequências bastante negativas e agora o jogador vê-se obrigado a tentar salvar o dia, num elevador sem fim … Confuso ?

Pois bem, toda a mecânica do jogo se passa numa espiral de subida. O jogador terá de utilizar um elevador para precisamente tentar sair deste loop interminável de níveis e inimigos diferentes. Cada personagem possui o seu próprio caminho, e todos os inimigos bem como as “Boss Battles” serão diferentes em cada run, é realmente aleatório.


Com esta nova maneira de se movimentar, também a camera e o POV são diferentes do seu antecessor. Pode-se afirmar que é uma espécie de side scroller, em vez da tradicional camera vista de cima, onde é necessário saltar bastante para esquivar aos ataques dos inimigos. Ao seu dispor o jogador terá a possibilidade como dito anteriormente de saltar e de executar a habilidade de “roll” para se esquivar aos ataques inimigos. Importante referir que ao saltar o próprio jogador está a efetuar a habilidade de esquivar, é um dois em um.

Com um arsenal absolutamente gigante e aleatório a diversão está também patente na ideia do que virá a seguir. A tradição de não saber qual a arma que aparecerá na próxima seção está presente, só que agora a arma muda após um curto período de tempo. O melhor é mesmo não se acostumar demasiado à arma, porque esta eventualmente irá ser trocada por outra. A dificuldade do combate em si exige uma rápida capacidade de adaptação, olhos bem abertos e a improvisação do jogador para enfrentar os diferentes desafios apresentados no ecrã.


É uma verdadeira roleta de emoções que poderá ditar o fracasso ou o sucesso da “run”, e é precisamente este o aspeto que torna este título tão viciante. A curiosidade de saber como irá correr a próxima tentativa, que armas e inimigos se irão atravessar no caminho.

Os comandos levam o seu tempo a serem dominados e jogar este título no modo portátil pode ser mais complicado do que parece. É necessário ter bastante precisão no timing de pressionar os gatilhos, tanto para disparar como para se esquivar aos ataques inimigos.


Exit the Gungeon é realmente bastante difícil de se domar. Quando o jogador fica familiarizado com a mecânica o jogo abre-se para uma absoluta explosão de adrenalina, graças á sua rapidez de jogo sem falhas, um arsenal enorme de armas e inimigos tão diferentes como difíceis de prever o seu próximo ataque. Embora seja um jogo que pune bastante, é extremamente convidativo para novos jogos que nunca presenciaram nenhum título desta franquia, bem como para jogadores repetentes.  

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Devolver Digital.
Exit the Gungeon Exit the Gungeon Reviewed by Pedro Almeida on 09 abril Rating: 5

Latest in Sports