Dr. Kawashima's Brain Training for Nintendo Switch


Passaram já bem mais de 10 anos desde o lançamento de Dr. Kawashima's Brain Training para a Nintendo DS, um título marcante para a consola e que, por causa disso, foi até uma das primeiras publicações na história deste site, na altura conhecido como "Meus Jogos DS".

Em 2020, o Dr. Kawashima está de volta, agora na Nintendo Switch e com um novo conjunto de exercícios para o cérebro baseados nos seus estudos e os resultados obtidos com os jogos anteriores.

Brain Training está longe de ser um videojogo tradicional. Este é um software de exercício mental com o propósito de ativar o cérebro a partir de algumas atividades diárias. Nos tempos que correm, com coisas tão simples como pequenos cálculos a serem feitos no telemóvel sem ter que se pensar muito nisso, as pessoas nem sequer se dão conta de como isso pode tornar o cérebro "preguiçoso".

Com base nos estudos do neurocientista japonês Ryuta Kawashima, estas atividades pretendem contrariar essa tendência, podendo também ser úteis para estimular o desenvolvimento dos mais jovens ou contrariar o envelhecimento no caso do público mais sénior.

Iniciando o software, ele apresenta duas opções principais "Quick Play" e "Daily Training", sendo a segunda o foco principal deste título. Para cada utilizador da Nintendo Switch, o jogo guarda um calendário das suas atividades, quer sejam os diversos treinos ou o "Brain Age Check", desafio no qual o jogo atribui uma idade cerebral como resultado. À medida que se vai utilizando o software, vão sendo desbloqueados novos excercícios com diferentes objetivos, de forma a estimular diferentes partes do cérebro.

Se alguns exercícios puxam mais pelas contas, outros apelam a coisas como a memória visual, raciocínio e até mesmo a concentração. Todos eles explicam qual a sua utilidade e objetivo, como por exemplo um exercício de ler em voz alta no qual se aprende que, para o cérebro, esta é uma atividade muito diferente de simplesmente ler. [Fica a dica para lerem as análises do Meus Jogos em voz alta de agora em diante!]

Infelizmente, o jogo não contém o idioma Português, o que afecta diretamente algumas das atividades incluídas. Há uma clara diferença entre processar o idioma nativo para um certo exercício, e acrescentar no meio um passo adicional de tradução, seja ele consciente ou não.

Algumas das atividades, incluindo todo o conjunto do modo "Quick Play" para se jogar com amigos, utilizam a câmara de infra-vermelhos do Joy-Con como sistema de controlo. A mais simples destas consiste num jogo de pedra-papel-tesoura através de gestos, detetados pela câmara. Outras, pensadas para dois jogadores em simultâneo, são controladas com um Joy-Con por jogador, com a consola em modo horizontal.

A interface é provavelmente a coisa mais inconsistente do software. Em geral, foi feito para se utilizar a consola em Modo Portátil, com o ecrã na vertical e um stylus a ajudar. Muitas das atividades não precisam mesmo do stylus, podendo ser usados os dedos no ecrã sem qualquer problema, mas noutras este fará mesmo muita diferença. No entanto, de repente uma certa atividade já pede para se meter a consola na horizontal, pousar em qualquer lado e tirar um joy-con para a fazer. É irónico, até, que um jogo pensado no formato portátil não seja nada amigável do modelo da consola Nintendo Switch Lite.


Relativamente ao stylus, quem comprar o jogo em formato físico já o irá ter incluído na caixa, o que naturalmente não acontece no formato digital. No entanto, para um software que pretende ser de utiização diária em sessões de curta duração, recomenda-se vivamente a opção digital de forma a não se estar constantemente a trocar de cartuchos na consola. Nesse caso, ainda assim é recomendável a aquisição de uma qualquer stylus que seja compatível com a Nintendo Switch.

Com pouco mais de uma semana de utilização, é dificil sentir a diferença que o software provoca a longo prazo. Tal como nos jogos anteriores, as primeiras vezes com cada exercício envolvem alguma aprendizagem e habituação, mas com a rotina tornam-se bastante intuitivas. Será ao fim de semanas, meses, que os utilizadores se irão mesmo aperceber da evolução que foram tendo ao longo do tempo.

Para além dos treinos diários, Brain Training inclui ainda um jogo de Sudoku com dezenas de puzzles em 3 graus de dificuldade, assim como o jogo Germ Buster, uma adaptação do clássico Dr. Mario para descontrair depois dos treinos. A maior curiosidade, porém, vai para "Brain Training World Championship", uma funcionalidade que será incluída com um futuro update com campeonatos online entre jogadores, mas da qual ainda nada se sabe.


Brain Training na Nintendo Switch é uma boa adaptação do jogo original que tantos conseguiu impressionar nos tempos da Nintendo DS, com o regresso de muitos desses exercícios juntamente com outros novos, incluindo os que tiram partido de novas funcionalidades da consola.

Em contrapartida, compete hoje em dia contra um mundo recheado de muito mais distrações, mas também com uma vastíssima oferta de aplicações com objetivos semelhantes no mundo dos smartphones. Acima de tudo, é um título que funciona bastante bem e que tem como principal objetivo melhorar a vida do seu utilizador.

Nota: Análise efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Nintendo Portugal.
Dr. Kawashima's Brain Training for Nintendo Switch Dr. Kawashima's Brain Training for Nintendo Switch Reviewed by Telmo Couto on 02 janeiro Rating: 5

Latest in Sports