Dark Souls Remastered


Um dos jogos mais aclamados pela crítica na geração anterior acaba de receber a sua versão remasterizada, chegando agora à PlayStation4 e Xbox One numa versão definitiva com os seus belos 60fps e também uma resolução em 4K e ainda uma outra versão na calha, a caminho da Nintendo Switch. Dark Souls Remastered vem recordar os jogadores o quão severo e punidor pode ser, mas vem também para aqueles que, tal como eu, não tiveram a oportunidade de o jogar no passado. Bem-vindos à tortura!

Nos anos 80 e 90 tínhamos jogos como Ghosts and Goblins e Ninja Gaiden, que eu ainda tive a proeza de terminar apesar de serem extremamente difíceis. Nos dias de hoje os jogos têm tendência a ser mais fáceis. Com tantos checkpoints existentes, mesmo que lutemos contra um boss e até seja complicado de derrotar, acaba por ser fácil após aprender o padrão dos movimentos. Dark Souls não é assim, Dark Souls intimida qualquer jogador, ao ponto de poder fazer com que gamers acérrimos desistam da ideia de o terminar este jogo. Por muito bons que sejam a jogar videojogos e o digam com convicção absoluta, Dark Souls irá infernizar a vida de muitos jogadores que se gabam de terminar alguns jogos ditos difíceis. Mas é nesta dificuldade que se encontra uma experiência de jogo fantástica.


Tudo começa com a criação de personagem e escolher um estilo de luta, guerreiro, arqueiro entre outros estilos existentes. Como é óbvio, assim que se começa o jogo, o armamento é muito básico, mas com o tempo vai-se adquirindo magias e um equipamento reforçado. Começando o jogo é-se logo atirado para o tutorial com alguns inimigos e um boss final que já irá apresentar alguma dificuldade, mas depois de ultrapassados os obstáculos do tutorial, não há “paninhos quentes” para ninguém. Isto não é um jogo para entreter, é um jogo extremamente desafiante e a palavra brutal nunca fez tanto sentido num videojogo.

Por exemplo, uma simples luta contra dois esqueletos armados, equivale a uns bons 8 minutos de jogo, isto para derrotar inimigos que fazem parte do inicio da aventura. Se é preciso imensa paciência para derrotar apenas alguns minions, imagine-se para um boss a sério. Como se costuma dizer quando se fala de Dark Souls, “You will die”, pois ninguém consegue safar-se das primeiras mortes por muita experiência que tenha em jogos deste género. Morrer vezes sem conta. E ao morrer, regressa-se a uma fogueira, o save point do jogo e o local onde se pode subir a personagem de nível. Mas atenção, pois no caso de se gravar o jogo, todos os inimigos que outrora foram eliminados voltam a renascer, o que significa que terão de lutar contra todos eles novamente. Um castigo para aqueles que gostam de gravar o jogo constantemente (muahahahaha).


Se o grafismo antes era espetacular, os visuais desta versão estão de fazer cair o queixo. A banda sonora é a mesma, impressionante e épica, tal como merece um jogo que se passa numa época medieval com monstros gigantes, espadas e lanças afiadas, magias e sangue, isto é um jogo para “homens de barba rija”. A atmosfera é como o nome indica, dark, vão ser perseguidos por inimigos com uma inteligência artificial única e por isso mesmo dolorosa pois eles não vos vão deixar sossegados em nenhum segundo. De referir que esta versão traz todos os DLC’s e que as diferenças são quase nulas entre ambas as versões. Fora os 60fps e o 4K, este é exatamente o mesmo jogo que jogaram antes, no entanto agora não existe uma única quebra de frame rate mesmo tendo magias pelo ecrã e inimigos a abarrotar, o que é muito bom para um jogo em que exige perícia e rapidez, a jogabilidade é super fluída e os comandos respondem na perfeição.

Eu, que nunca tinha jogado, fico muito feliz por ter tido a oportunidade de perceber o quão doloroso é Dark Souls e que ao mesmo tempo é tão recompensador para aqueles que adoram desafios e estão cansados de jogos fáceis e simples. É preciso aprender, analisar o inimigo, definir uma estratégia de ataque e executá-la sem falhas. Não é para qualquer pessoa, nem mesmo para muitos que jogam há anos, pois é verdadeiramente um osso duro de roer. You will die!

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Xbox One, gentilmente cedido pela Bandai Namco Entertainment.
Dark Souls Remastered Dark Souls Remastered Reviewed by Patrício Santos on 01 junho Rating: 5

Latest in Sports