Sparkle Unleashed


Durante anos e anos que os videojogos têm sido para muitos de nós um passatempo, provavelmente nos dias de hoje a tendência de jogar algo rápido e agradável durante uma viagem do trabalho para casa ou de casa para a escola tenha aumentado imenso, isto porque as pessoas usam o seu smartphone para se divertirem com um quebra cabeças e jogos do género. No meu caso, é raro usá-lo para tal, para isso prefiro usar uma consola portátil seja ela qual for. Eis que uma vez mais, deparei-me com este jogo tal e qual aos famosos Luxor e Zuma, ou o clássico Puzz Loop, de nome Sparkle Unleashed.

Apesar de se tratar de um jogo de puzzles, Sparkle Unleashed não deixa de ter uma estória, apesar da premissa ser simples como seria de esperar. Basicamente, para evitar que a escuridão se apodere do nosso mundo, temos como objetivo destruir orbes de todo o tipo de cores e até feitos. O engraçado é que acaba por ser ligeiramente diferente dos jogos que joguei anteriormente e que usam a mesma fórmula. A estória tem um narrador com uma voz de um eremita sábio, que mais parece Gandalf a relatar os acontecimentos do Senhor dos Anéis. Há também um pequeno leque de poderes que utilizaremos a nosso favor durante a nossa jornada. Alguns destes poderes são por exemplo uns mísseis que destroem qualquer tipo de orbe, o gelo que serve para congelar o progresso dos orbes por um determinado tempo ou então a chama púrpura que é disparada contra os orbes e causa uma enorme explosão. No entanto tudo isto pode ser evoluído para os poderes se tornarem mais poderosos.


É claro que inicialmente o jogo é bastante fácil e, à medida que progredimos, a dificuldade vai aumentando. Os poderes referidos antes, apenas são desbloqueados conforme enchemos a barra apresentada num livro que conta os dias que passamos, uma espécie de diário por assim dizer, onde cada dia corresponde a cada nível. A barra está dividida em 4 partes, cada uma delas vai enchendo de acordo com a nossa progressão. Assim que esta for preenchida, temos a oportunidade de evoluir um dos 6 poderes disponíveis.

Os níveis até são variados, alguns contam túneis, outros com pontes, tudo para dificultar o lançamento dos orbes para criar então a linha de 3 ou mais orbes da mesma cor e assim, com a finalidade do costume, destruir todos os orbes existentes no ecrã. Alguns dos níveis contam com um determinado de tempo para ser concluído, ou seja, como se fosse um modo de sobrevivência, até o tempo se esgotar.

Mas nem todos os orbes são fáceis de destruir, alguns contam com correntes à sua volta, nestes casos temos de atingir 2 vezes esse orbe com o número de bolas que for necessário, ao contrário de apenas 1 só vez. São algumas das armadilhas mais recorrentes no jogo e, nada disto torna Sparkle Unleashed impossível, mas pode ser desafiante e divertido, principalmente jogado no modo Nightmare ou então passarem para o Survival mode.


A música não é má, mas também não é memorável, por isso acaba por passar despercebida. Este é o típico jogo que apesar de não ser nada do outro mundo, também não se pode dizer que é mau ou desgastante. Peca apenas por não ter grande originalidade. Não diria que seja um jogo para se jogar sentado em frente à TV, mas é um bom jogo para passarem o tempo numa viagem, além de que não precisam de usar muito a cabeça pois a ideia do jogo é básica e simples, acho que melhor para passar o tempo, só mesmo passando pelas brasas.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela 10tons.
Sparkle Unleashed Sparkle Unleashed Reviewed by Patrício Santos on 16 janeiro Rating: 5

Latest in Sports