Antevisão: Dragon Ball FighterZ


A longa espera terminou, o meu fim-de-semana esteve completamente reservado e dedicado a um único jogo, pôr à prova a beta do tão aguardado Dragon Ball FighterZ que está prestes a ser lançado. Aqui ficam as minhas impressões desta beta que esteve disponível nas consolas Xbox One e PS4.

No primeiro dia foi a vez de quem teve o acesso antecipado à Beta, ou seja, aqueles que reservaram o jogo em formato digital. Aqui foi onde tive o primeiro contacto com o jogo. Sendo um fã acérrimo da série, não podia estar mais entusiasmado, as expectativas eram altíssimas. Afinal de contas, este é suposto ser o jogo da franquia DBZ que tanto esperávamos ter nas nossas mãos.

Assim que ultrapassei o ecrã inicial esfreguei as mãos de alegria como uma criança na esperança de ver algo maravilhoso. Eis que sou surpreendido com um mundo relacionado com as arenas Dragon Ball dos famosos torneios Budokai. Nesta sala é onde temos acesso aos mais variados modos do jogo, mas como é evidente, sendo isto uma versão beta, estavam disponíveis somente os modos Replay, Online e Treino.


No modo Replay é possível rever as nossas batalhas mais ferozes ou até dos lutadores com maior potencial, isto serve bem para observar as habilidades dos jogadores mais experientes. Existia também a opção de ver o Ranking, o lugar onde me situava. Estava bem longe dos cimeiros, isto a contar apenas com os lutadores do acesso antecipado. Já no domingo as coisas ficaram bem mais complicadas. O modo Treino é fundamental, num jogo que depende imenso de combinações, se vocês não treinarem no mínimo os básicos para aplicar nas lutas, bem que podem deixar sequer de imaginar em enfrentar adversários online, o jogo não é fácil quanto possa até parecer quando começam a dar os primeiros “passos”. Há aqueles jogadores que levam tempo a habituar por serem casuais e há aqueles que são experientes em jogos do género e por isso mesmo sabem perfeitamente como agir após um deslize do adversário. Depois do tutorial (modo treino), talvez estejam preparados para lutar contra os “tubarões” no online. Podem jogar pelo simples prazer de fazer umas lutas descontraídas, ou então entrar em partidas a contar para o Ranking onde encontram os adversários mais temíveis que querem chegar ao topo.

As personagens presentes nesta beta eram 11, desde Goku, Vegeta e alguns dos seus amigos, como também os famosos vilões da Saga Z, Cell, Frizer e Majin Buu entre outros. As lutas decorriam em 7 cenários diferentes, Namek e a arena do torneio criado por Cell eram alguns dos que estavam disponíveis. É claro que todos eles contavam com a devida destruição caso soltassem um poder Meteoro (nome dos ataques especiais em Dragon Ball FighterZ).


Eu sei que vocês devem estar com um sorriso de orelha a orelha por ler tanta coisa positiva, mas nada é perfeito e pelo menos a beta apresentou um problema grave. Não posso dizer com toda a certeza se o problema será da minha ligação à internet, da consola no qual joguei ou da beta se encontrar lotada de gente, mas a verdade é que foi horrível esperar cerca de 15 minutos por batalha, fosse no modo casual ou por ranking. É tal como referi, o problema pode até ser da minha conexão, não posso apontar o dedo sem ter conhecimento da experiência no geral, no entanto não foi muito agradável os longos minutos de espera para fazer uma partida. Este é sem dúvida o ponto negativo que pude indicar ao longo do fim-de-semana que passei a jogar Dragon Ball FighterZ.

No que diz respeito à jogabilidade, grafismo e até mesmo a música incluída no jogo, tudo está completamente incrível, sim, era isto que queríamos. Detalhes como alguns raios KI serem repelidos e voarem para partes do cenário como por exemplo montanhas que se encontram ao fundo de todo e ainda assim ser possível ver esse mesmo raio repelido atingir uma parte dela, são pormenores inseridos que tornam Dragon Ball FigherZ tão especial e único quando comparado com outros jogos da série, notando-se o amor que os produtores investiram nesta criação que fará com que qualquer fã delire totalmente. Melhor mesmo, só esperar pelo produto final que tem data definida para o 26 deste mês, este é provavelmente um dos candidatos a jogo do ano e possivelmente será o melhor fighting game de 2018.

Nota: Este artigo foi escrito com base na versão beta do Dragon Ball FighterZ na Xbox One.
Antevisão: Dragon Ball FighterZ Antevisão: Dragon Ball FighterZ Reviewed by Patrício Santos on 15 janeiro Rating: 5

Latest in Sports