Notícias

Análises

21 de março de 2016

Hyrule Warriors Legends


Lançado em setembro de 2014, Hyrule Warriors foi um spinoff da série Legend of Zelda para a Wii U que teve uma boa recepção da parte dos fãs, enquanto cruzamento desta com a série Warriors da Koei Tecmo. Ainda assim, foi com alguma surpresa que se assistiu ao anúncio de Hyrule Warriors Legends para a Nintendo 3DS, uma adaptação do jogo com vários conteúdos adicionais e poucos dos originais removidos. Mas se esta se alguma vez tencionou apresentar-se como a edição definitiva, cedo se deparou com uma óbvia barreira: a 3DS nunca iria competir com os visuais da Wii U. A questão que se coloca é, então, se este título poderia ser bem traduzido para a portátil da Nintendo.

Se estivermos a falar da Nintendo 3DS original, ou das suas variantes 3DS XL ou 2DS, então é melhor esquecer. A decisão de não fazer deste jogo um exclusivo para a New Nintendo 3DS, do ponto de vista comercial, faz bastante sentido. No entanto, o que os jogadores de uma 3DS "normal" irão rapidamente descobrir é que esta versão por pouco não cumpria os requisitos para ser considerada jogável. O framerate é miserável, o número de inimigos que aparecem no ecrã de cada vez é bastante limitado e nem sequer há qualquer opção de usar o 3D da consola. É um jogo que não poderia de alguma forma recomendar a quem esteja nesta situação.


O jogo foi claramente desenhado para se jogar na New Nintendo 3DS, com um framerate mais estável, mais inimigos no ecrã e uma sensação de rapidez nos movimentos que está ausente do modelo standard. Para quem tiver esta consola e não tiver uma Wii U, é uma versão a considerar e que pode ser considerada perfeitamente jogável, embora bastante inferior. Isto porque os gráficos tentam assemelhar-se ao estilo artístico do primeiro Hyrule Warriors, mas com enormes sacrifícios a nível dos modelos 3D e das animações dos personagens. Ainda assim, a apresentação é sofrível, com bastantes sequências de animação a sofrer de uma péssima compressão, excetuando as que foram criadas de propósito para este novo jogo.

Apesar de tudo o que foi dito até agora, nem tudo são desvantagens neste jogo, que traz consigo um bom sistema de jogabilidade. Quem já tiver jogado Samurai Warriors Chronicles 3 já estará familiarizado com a opção incluída em Hyrule Warriors Legends de controlar todos os personagens na batalha, alternando livremente entre eles. É algo que fazia imensa falta no jogo original para a Wii U, sem que houvesse qualquer motivo para não estar incluído e agora surge na versão portátil. Basta tocar no ícone do personagem para o controlar e assim participar na ação em vários locais do campo de batalha, podendo-se usar o ecrã tátil para dar ordens aos restantes, seja para se dirigirem a um local ou para atacar/defender um personagem à nossa escolha. Na versão para a New Nintendo 3DS, é também possível utilizar todos os botões da consola, incluíndo o segundo analógico para controlo da câmara.

 

Ao contrário dos tradicionais títulos da saga Warriors, aqui não há qualquer preocupação em relatar acontecimentos históricos, mesmo que romantizados. Os personagens oriundos dos diferentes jogos reúnem-se graças a um conturbado argumento que atravessa o tempo e o espaço da história de Hyrule, não tendo havido particular preocupação em integrar eficazmente os novos personagens na história. O jogo é um slasher organizado em longas batalhas que consistem em vários objetivos, que variam entre capturar bases, proteger aliados ou derrotar inimigos e bosses.

Em termos de conteúdo, este título é realmente impressionante. Além dos 23 capítulos de história do original, há agora mais 9 que incluem a nova personagem Linkle, uma divertida aldeã que acredita ter incarnado o espírito do herói lendário de acordo com a profecia da sua avó. E porque não? Embora a construção da personagem (e falta de inspiração para o seu nome) não passe de uma versão feminina do Link, a sua personalidade acaba por demarcá-la e ser tão viável como as restantes inventadas para Hyrule Warriors. No entanto, Linkle é muito amiga dos Cuckoo, as galinhas que Link tem vindo a aterrorizar ao longo de várias gerações, algo que certamente não estaria nos planos das deusas de Hyrule.

Quase todos os conteúdos da versão Wii U, incluindo vários DLC, também estão aqui incluídos, agora com o modo My Fairy adicionado para o modo Adventure. De forma resumida, este permite criar uma fada personalizada para acompanhar as batalhas e dar suporte com poderes adicionais. Para além disto, estão também planeados alguns pacotes de DLC para esta versão que permitirão expandir ainda mais o leque de personagens e cenários para o modo de aventura.


De uma forma geral, este não é de todo um mau jogo para a New Nintendo 3DS, especialmente no caso de não se ter uma forma de o jogar na Wii U, e tendo até algumas vantagens a nível de jogabilidade. Ainda assim, é uma adaptação fraca de um jogo que não a estava a pedir, e que deve ser evitada para quem tiver os modelos mais antigos da portátil. A minha recomendação é que descarreguem a demo gratuita da Nintendo eShop e experimentem antes de tomar a decisão de compra. E se gostarem deste jogo, experimentem também Samurai Warriors Chronicles 3.
Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo 3DS, gentilmente cedido pela Nintendo.