Notícias

Análises

16 de janeiro de 2017

Estreia Mundial da Nintendo Switch. Lançamento a 3 de Março de 2017!


Na passada sexta-feira, 13 de janeiro, a Nintendo apresentou formalmente ao mundo a sua nova consola, Nintendo Switch. A apresentação foi transmitida diretamente de Tóquio às 4h00 da madrugada de Portugal, e abordou as caraterísticas da consola, assim como os jogos em desenvolvimento e cujo lançamento está previsto até ao final de 2017. A consola propriamente dita chega às lojas já no dia 3 de março de 2017, com The Legend of Zelda: Breath of the Wild a liderar a oferta de software. A apresentação, legendada em Português, pode ser vista já de seguida:


No final da apresentação, os fãs tinham alguns "mixed feelings", muito por causa da expetativa gerada ao longo dos últimos meses recheados de rumores e especulação. Os pontos mais controversos desta apresentação foram a reduzida oferta de jogos no dia de lançamento, com apenas o novo Zelda e o novo party game 1 2 Switch no que diz respeito a títulos da Nintendo, assim como o preço na Europa que se revelou superior ao dos restantes territórios. A notícia de que a consola irá ter um serviço online pago à semelhança do que as outras marcas fazem com os seus sistemas também não caiu bem na comunidade de fãs que sempre usou a Nintendo como exemplo de que os custos dos serviços online devem ser suportados pelas marcas - falta ainda saber ao certo quais os planos de preços e regalias deste serviço.

Mas nem tudo foram dissabores, com muitas novidades interessantes em relação à consola. A primeira é que os Joy-Con são comandos recheados de tecnologia impressionante, com sensores de movimento, câmara de infra-vermelhos e um inovador sistema de vibração "HD" capaz de fazer as mãos sentirem coisas que não estão lá. E se o público-alvo destas funcionalidades não é necessariamente o tradicional fã da Nintendo, para estes houve o anúncio do novo Super Mario Odyssey que levará o Mario numa aventura "sandbox" fora do Mushroom Kingdom onde visitará mundos com ambientes e até estilos artísticos muito distintos. O jogo chegará no Natal de 2017, mas ainda não estava disponível para experimentação nos eventos de apresentação da consola. Outros destaques da apresentação que não estavam disponíveis para experimentar foram títulos como o impressionante Xenoblade Chronicles 2, sequela do original para a Wii, e Dragon Quest XI, dois títulos que irão assegurar as alegrias dos fãs de jogos RPG japoneses.


No mesmo dia, a Nintendo of Europe organizou um grande evento de lançamento em Londres, no Eventim Apollo, sala de espetáculos que já havia acolhido concertos como The Legend of Zelda: Symphony of the Goddesses. O evento, restrito à imprensa no dia 13 de janeiro mas aberto a fãs (sob convite) durante o fim de semana, permitiu experimentar em primeira mão várias das novidades da consola, incluindo os principais títulos que serão lançados até ao verão. A nível de jogos da Nintendo, era possível jogar o novo The Legend of Zelda: Breath of the Wild, 1 2 Switch, ARMS, Snipperclips, Mario Kart 8 Deluxe e Splatoon 2. Já a nível third-party, estavam disponíveis os jogos Sonic Mania, Ultra Street Fighter II, Skylanders Imaginators, Super Bomberman R, FAST RMX, Just Dance, Has Been Heroes e Disgaea 5 Complete.

Lançamentos Europeus anunciados para 2017.
Um catálogo variado, mas que soa escasso quando pensamos que pouco mais foi revelado para este ano - praticamente só conhecemos jogos que serão lançados até ao próximo verão. O grande foco do evento, no entanto, era dar a conhecer as diferentes formas de interação que a consola oferece, o que parece ser a estratégia da Nintendo para esta fase de lançamento.

   

1 2 Switch ocupava o centro do espaço e com boa razão. Este é o título de lançamento que melhor demonstra as capacidades tecnológicas dos Joy-Con através de vários minijogos para dois jogadores. Ao contrário de Wii Sports na Wii  e NintendoLand na Wii U, 1 2 Switch será vendido em separado da consola, decisão que poderá levar muitos jogadores a ignorá-lo com o preconceito de que é apenas mais um "party game". A novidade aqui é que a maioria dos jogos não precisam sequer de utilizar o ecrã, graças à sensibilidade permitida pelos Joy-Con. No papel parece "treta" mas nas mãos é mesmo impressionante: o exemplo em demonstração torna o comando numa caixa com esferas no interior, que o jogador terá de movimentar e analisar para contar quantas são. Outros jogos fazem os jogadores olharem-se nos olhos para um duelo western ou para um desafio de dança. É awkward e divertido ao mesmo tempo, especialmente porque não conhecia as assistentes de lado nenhum e de repente estavamos frente a frente a mungir uma vaca virtual. 1 2 Switch tem tudo para ser um óptimo quebra-gelo em festas com amigos.


The Legend of Zelda: Breath of the Wild dispensa apresentações e é sem dúvida o principal motivo para comprar uma Switch no dia de lançamento. A demo do evento oferecia o mesmo conteúdo que já tinha experimentado na Wii U após a E3 2016, embora com melhores texturas nos cenários e também uma grande melhoria a nível de cores, contraste e profundidade de campo. Não foi possível confirmar se estas melhorias se devem à consola ou também foram entretanto aplicadas à versão Wii U do jogo. Por esta altura, é impossível subir ainda mais o entusiasmo por este jogo, ainda para mais com o trailer revelado no final da apresentação da consola. Felizmente estamos a meras semanas do lançamento oficial, pelo que a espera será breve. Entretanto, podem ver o nosso vídeo de jogabilidade da versão para a Switch aqui.


Splatoon 2 foi uma óptima surpresa da apresentação e promete manter-nos frescos já no próximo verão, com uma sequela ao jogo mais popular da consola que antecedeu a Switch. O novo jogo, além de novos estilos de moda para os personagens (os fãs sabem que isto é importante), inclui novas armas e novos movimentos, enriquecendo bastante a experiência e tornando o jogo mais competitivo. Agora será possível jogar facilmente quer seja em modo TV ou portátil e com os Joy-Con ou o Pro Controller, tanto online como em rede local com várias consolas. Um aspecto muito positivo da sessão de demonstração foi reparar que os assistentes estavam a tirar notas sobre o feedback dos jogadores, mostrando o interesse dos criadores em oferecer a melhor sequela possível. Vejam o nosso vídeo de jogabilidade aqui.


ARMS é o novo IP da Nintendo e ambiciona trazer aos jogos de luta a frescura e cor que Splatoon trouxe aos jogos de tiros. Este jogo de combate para um ou dois jogadores requer um par de comandos Joy-Con por jogador, pois funciona com base nos controlos por movimentos para controlar a direção e intensidade dos socos. Isto não é nenhum Wii Boxing, é um jogo com bastante técnica que tira proveito da grande precisão dos novos comandos e permitirá também jogar online. Os personagens têm um design muito carismático e o ambiente de jogo faz lembrar um pouco o Splatoon e Overwatch, mas resta saber se os apreciadores de jogos de luta competitivos vão ter interesse num título controlado por movimentos.


Mario Kart 8 Deluxe é uma espécie de "Game of the Year Edition" do clássico da Wii U, num pacote especial que inclui todos os conteúdos DLC já lançados e ainda alguns novos personagens como os Inklings do Splatoon e o Bowser Jr., além de um reformulado modo de batalha em arenas ao estilo dos jogos anteriores - era uma grande omissão de Mario Kart 8. O jogo explora todas as possibilidades de multijogador da Switch, desde partilhar os Joy-Con para jogar a dois em split-screen ou até 4 jogadores com 4 comandos numa só consola (aqui é melhor usar a TV), a 8 jogadores em simultâneo em modo de rede local - quem já jogou Mario Kart 7 na 3DS com amigos saberá o quão espetacular pode ser esta experiência. Mesmo a jogar em modo portátil, o jogo corre a 60fps sem qualquer problema, pelo que se pode considerar que esta seja a edição definitiva de Mario Kart 8.

Satoru Shibata
O ambiente do evento era excelente, não só pela novidade dos jogos que estavam a ser apresentados mas também pela simpatia de todo o staff da Nintendo, incluindo o próprio presidente da Nintendo of Europe, Satoru Shibata, com quem tive o privilégio de trocar algumas palavras. A sua simpatia é contagiante! Além disso, o evento também serviu para troca de impressões com outros jornalistas nacionais e internacionais, onde se percebeu o fascínio coletivo pela tecnologia dos comandos da Switch ao mesmo tempo que partilhavam preocupação em relação ao catálogo de lançamento. Ainda não é tarde demais para a Nintendo lançar um bundle da consola com o 1 2 Switch, pois não?

De uma forma geral, fiquei realmente impressionado com as capacidades da consola e com a qualidade dos jogos que oferece em modo portátil - em modo TV já esperaria que ultrapassasse a Wii U, mas o salto qualitativo de jogar Mario Kart 8 no GamePad da Wii U para jogar Mario Kart 8 Deluxe numa Switch em modo portátil é enorme! Por outro lado os primeiros meses após o lançamento parecem mais focados em apelar aos fãs da Nintendo do que ao público mainstream, o que pode dificultar o sucesso imediato da consola no mercado. Esperemos que não!

Entretanto, fiquem com a nossa reportagem do evento em vídeo: