Notícias

Análises

24 de maio de 2013

Donkey Kong Country Returns 3D


Quando Donkey Kong regressou na Wii no formato de plataformas, foram muitos os que tiveram finalmente concretizado o desejo de ter um jogo ao estilo Country, onde as plataformas eram estrategicamente colocadas de modo a criar desafios, novos elementos eram introduzidos aos poucos que evoluíam e ficavam mais desafiantes. Um jogo de plataformas evoluído, dedicado aos jogadores mais experientes.

Considerado um dos melhores jogos da Wii, Donkey Kong Country Returns está de volta na 3DS e encontra-se bastante fiel à versão anterior. Continua visualmente deslumbrante, repleto de pormenores que dá vontade de observar atentamente, com os cenários devidamente adaptados mas sem grandes transformações para tirar melhor partido do efeito 3D, pois todos os pequenos acontecimentos nos níveis, tal como a profundidade dos cenários já existia na versão original, mas na 3DS todos eles ganham uma nova vida. Muitos foram até os que pensaram que o jogo deveria sair na 3DS porque parecia feito para ela, e foi um dos motivos que incentivou ao lançamento desta versão

É um jogo de plataformas à moda antiga, com mecânicas interessantes e sempre úteis como bater no chão para atrasar inimigos (ou permitir que possamos atacar os mesmos), flutuar com Barrel Jet de Diddy Kong (quando disponível), rolar para derrubar linhas de inimigos, escalar paredes ou até mesmo andar agarrado ao teto não só para seguir os níveis noutras direcções, mas também explorar cantos escondidos, e até mesmo soprar para conseguir objetos escondidos como moedas, bastante úteis para comprar objectos na Cranny Kong's Shop. À medida que vamos avançando no jogo são introduzidos novos elementos, que se repetem até ao fim do jogo cuja dificuldade vai aumentando gradualmente. É um desafio, é frustrante, mas extremamente gratificante quando terminamos um nível, e voltamos um pouco à nossa infância quando todos os jogos nos pareciam difíceis, e sentía-mo-nos bastante bem por o ter completado.

Para todos os que consideraram o original um jogo difícil, e ou se afastaram do jogo por este motivo ou até fugiram dele por completo, esta versão vem com 2 modos de dificuldade: Original que se mantém fiel ao jogo na Wii, e New que torna o jogo bastante mais fácil, tendo sempre presente 3 balões de energia em vez de 2, e outros itens que nos facilitam ainda mais a vida. Já os controlos mantêm-se quase inalterados, sendo a maior diferença a troca dos movimentos do comando (o waggle) por um botão. Podemos ainda escolher se queremos controlar o jogo usando o Circle Pad  ou o D-Pad, sendo bastante estranho não ter os dois sempre disponíveis no jogo.

Todo o jogo pode ser feito com um parceiro, através do modo de multi-jogador presente apenas no menu inicial. Infelizmente o jogo não permite que a qualquer momento alguém se possa juntar, sendo sempre necessário regressar ao menu inicial, e também com a falta do modo on-line as sessões de multi-jogador ficam bastante limitadas. É um jogo que se joga perfeitamente sozinho, e talvez com um parceiro podemos lidar com situações stressantes, mas ainda assim se esta opção fosse retirada seria bastante estranho, atendendo que o modo existe na versão Wii.

É um jogo para jogar com o 3D no máximo, auscultadores nos ouvidos e dedicar umas horas sérias. Assim que a adrenalina nos atinge sentimo-nos de volta aos jogos de plataforma sérios, onde temos de prosseguir com cautela se não quisermos enfrentar morte certa. Há muito para explorar, zonas escondidas com tesouros, e para além da palavra "KONG" em todos os níveis temos peças de puzzle para encontrar. Um forte incentivo para voltar a jogar um determinado nível, e se ainda não é suficiente podemos ainda jogar no modo contra relógio para obter melhores tempos.

Existe ainda uma área nova, que temos acesso após completar o jogo, onde são introduzidos novos níveis com novos desafios. Talvez não seja um incentivo muito forte para voltar a pegar no jogo novamente, mas sendo possível gravar em qualquer parte do jogo é um bom jogo para ter sempre presente com a nossa 3DS, e como continua a ser um jogo bastante bom que ainda se mantém bastante atual, não é preciso muito mais para pegar nele novamente.


Esta é uma excelente oportunidade para todos os que não conseguiram jogar o original na Wii terem uma oportunidade de ficar a saber porque foi tão bem aclamado este jogo. Mesmo com uma redução significativa do frame rate para 30 frames (mesmo em 2D), comparando com os fluidos 60 frames por segundo na versão original, o jogo continua belo, continua a ter uma mecânica única e é, acima de tudo, um jogo emocionante.