Notícias

Análises

31 de dezembro de 2013

Nintendo 3DS - Jogos do Ano 2013


É difícil trazer à memória a última vez em que uma consola tenha tido um ano de lançamentos tão forte como o da Nintendo 3DS em 2013. Até os que tinham elevadas expetativas foram surpreendidos pela quantidade de jogos de alto calibre publicados na consola, quando até a eShop se tornou uma alternativa viável ao lançamento de títulos que teriam pouco sucesso comercial nas lojas. Um ano com fenómenos sociais como Animal Crossing e Pokémon X/Y, com aventuras épicas e ainda heróis vestidos de verde. Se anteriormente havia dúvidas que a 3DS conseguisse estar ao nível do legado da Nintendo DS, este ano serviu para dissipar quaisquer dúvidas: afinal, o melhor título lançado em 2013, com 7 consolas ativas no mercado, é um jogo da Nintendo 3DS.

Exclusivos da eShop

Beat-em-up é um género que tem regressado aos poucos nas consolas atuais e Code of Princess serve como um excelente aperitivo aos que querem destruir tudo o que se mexe. Muitas personagens para escolher e over-the-top quanto basta à nossa espera num jogo que nos recorda de grandes clássicos como Guardian Heroes.

2 - Phoenix Wright: Ace Attorney - Dual Destinies
Devido às vendas tipicamente baixas desta série de culto, o quinto jogo da série Ace Attorney não teria chegado ao Ocidente se não existisse a Nintendo eShop. Apesar da transição para o digital, recebemos um jogo integral com tudo a que a série nos habituou: um drama de advogados recheado de humor e situações inesperadas, com uma excelente história e personagens memoráveis.

A surpresa do ano foi este pequeno jogo de escavações que revelou, afinal, ser muito mais do que isso. SteamWorld Dig é uma fantástica mistura de géneros uma jogabilidade excelente e que se vai desvendando à medida que se explora o próprio jogo. Tudo isto, com um ambiente steampunk envolvido em mistérios ancestrais, faz deste o jogo obrigatório para descarregar da eShop.

Disponíveis em cartão

Muito por causa da qualidade da concorrência existente este ano, a chegada de Pokémon à Nintendo 3DS não esteve à altura dos melhores dos melhores. Ainda assim, é inegável o mérito deste título em trazer (finalmente) para as 3 dimensões o universo de uma das séries mais populares do mundo, com a recriação perfeita dos desenhos das criaturas em modelos 3D. O jogo tem as suas falhas e deixou os fãs a pedir mais conteúdo, mas a verdade é que foi muito bem sucedido em modernizar uma série que parecia estar a estagnar. É um dos melhores títulos de Pokémon e sem dúvida um dos jogos mais relevantes do ano.

Em 2013, a Nintendo apostou no regresso de grandes nomes do passado, mas a maior surpresa foi este Luigi's Mansion 2. A sequela de um jogo de lançamento da GameCube onde Luigi é um caça-fantasmas superou de longe a qualidade do jogo original, numa aventura gráfica divertida e recheada de puzzles inteligentes. Mais surpreendente foi a inclusão de um sólido modo multijogador, que pode até ser jogado online por consolas que não tenham o jogo, graças ao "download play". Um título que lembra clássicos como Ghostbusters e Scooby Doo, marca o "Ano do Luigi" ao mostrar que o canalizador vestido de verde também merece o protagonismo.

Um dos pontos fortes da Nintendo DS foi, sem dúvida, o seu excelente catálogo de jogos RPG japoneses numa época em que o género começou a perder força nas consolas domésticas. Bravely Default é o primeiro grande título do género a chegar à 3DS pela Square-Enix, um verdadeiro "Final Fantasy" à moda antiga, mas que não tem medo de inovar e aproveitar ao máximo as capacidades da consola.

O fenómeno social do ano em videojogos de consola foi, sem dúvida, o Animal Crossing. Graças à possibilidade de tirar screenshots do jogo para partilhar nas redes sociais, tornou-se mesmo o segundo videojogo mais partilhado no Tumblr (a seguir ao incontornável Pokémon) em 2013. Porquê tanto sucesso? New Leaf é um excelente jogo social, onde é possível coleccionar items e personalizar a própria casa e a vila onde habita o nosso avatar, para depois partilhar com os amigos, seja através dos modos multijogador ou, como já referido, das redes sociais. Um jogo sem fim onde cada um pode viver a sua própria história.

Foi o nosso jogo mais aguardado para o ano de 2013, que antecipamos com uma série de artigos dedicados à série [link], mas mesmo assim conseguiu superar as melhores expetativas. Fire Emblem Awakening é um RPG de estratégia brilhante, com uma mecânica brutal e uma história envolvente, um grafismo excelente e incontáveis horas de jogo. Um jogo para todos os jogadores que gostem de estratégia, com modos dedicados tanto aos iniciados como aos veteranos mais hardcore, que marcou o início de uma vaga de títulos que fazem da 3DS a melhor consola da atualidade.

Se há frase que não nos fartamos de repetir, é que a Nintendo 3DS teve um ano incrível em 2013. Um catálogo de jogos tão bom que até o 5º jogo do nosso top do ano teria sido digno do 1º lugar noutro ano qualquer. Títulos brilhantes, experiências fantásticas, com uma série de outros grandes títulos que aqui teriam tido lugar num outro ano mais "calmo" em termos de lançamentos. Quando Legend of Zelda: A Link Between Worlds foi anunciado, ainda este ano, como uma sequela do clássico A Link to the Past (SNES), muito se questionou se este jogo iria estar à altura do seu legado.

A Link Between Worlds superou todas as expectativas. Ao regressar às origens da série, a Nintendo conseguiu captar a sua essência para oferecer uma experiência completamente nova, embora suficientemente familiar para apelar à nostalgia dos fãs. Um jogo que pode muito bem ter redefinido a série, focando-se na livre exploração e na criação de excelentes dungeons, dispensando artefactos de história e longos tutoriais para criar uma experiência de "Zelda" que tanto tem de tradicional como de inovador. O melhor jogo do ano é também o melhor Zelda em mais de uma década: só a Nintendo teria o poder, a sabedoria e, sobretudo, a coragem para o fazer.