Notícias

Análises

29 de setembro de 2017

Yo-Kai Watch 2 : Psychic Specters


A Nintendo tem os direitos de uma das séries mais famosas de todos os tempos, Pókemon. Toda a gente conhece, gostando ou não, é um sucesso. Entretanto na 3DS surgiu um novo exclusivo, que ao princípio nos deu a entender que se tratava de um novo Pókemon, mas não. Esta série tem a sua própria identidade, Yo-Kai Watch. O jogo estreou na portátil da Nintendo no ano passado e ainda teve direito a uma série de animação.

Esta nova entrada da Level-5 encantou os japoneses e chegou até nós como uma surpresa bastante agradável. Se nos têm acompanhado, já tiveram certamente a oportunidade de ler as análises do primeiro e segundo capítulo do jogo. No entanto deixo aqui um pequeno resumo para os mais distraídos, isto porque tal como alguns de vocês, este foi para mim, o primeiro contacto com a série.


O jogo pode ter semelhanças com a série Pókemon, mas trata-se de algo novo e refrescante, por isso não confundam os jogos. Em Yo-Kai Watch podemos colecionar centenas de monstros (os tais "yo-kai"), os quais iremos usar para os combates. O grafismo bem ao estilo animé, está colorido e apelativo, as personagens também contam com um carisma e design único. Se em Pókemon temos o Pikachu, neste jogo temos Jibanyan, que é impossível não ficar encantado com o seu charme. A fórmula é parecida sim, mas o jogo tem a sua originalidade.

Mas se por alguma razão, tal como eu, passaram ao lado do primeiro capítulo da série, este teve uma sequela este ano. Aqui somos relembrados do que sucedeu no passado, para que os estreantes conheçam tanto a estória como as mecânicas de jogo. A versão que vos trago é a terceira e, por assim dizer, a definitiva desta recente sequela, Psychic Specters.

Assim que damos início ao jogo temos a oportunidade de escolher entre Nate ou Katie, ou seja, um rapaz ou uma rapariga. Estes são os nomes das personagens mas existe a possibilidade de os alterar. Depois destas escolhas, passamos a ter contacto com a estória, que começa com o furto do nosso yo-kai watch (o relógio que comunica com os monstros) por duas bruxas enquanto dormimos sossegados. Ao longo desta parte inicial Nate começa a recuperar as memórias, tanto do seu yo-kai watch, como das personagens que o acompanham na aventura, incluindo o Jibanyan.


O meu primeiro contacto foi bastante positivo, isto porque em Yo-kai Watch temos uma liberdade que eu não esperava, visto o jogo ser um pouco mais direcionado para um público jovem. Na verdade nem por isso se mostra inacabado ou pouco trabalhado. Aí entra a Level-5 e, para quem já conhece de jogos como Ni No Kuni e Inazuma Eleven, é possível explorar uma cidade e arredores, dando ao jogador uma liberdade de passear pelos cantos encontrando pormenores muito bem detalhados. Já a música é toda ela muito engraçada e encaixa perfeitamente nos momentos e ambiente apresentados no jogo. Não sei se será a mesma da versão animé, de qualquer das formas é bastante agradável e relaxante.

Agora passemos ao mais importante, falar um pouco do novo conteúdo incluído nesta nova versão que acrescenta mais umas horas de jogo em relação às outras duas versões de Yo-Kai Watch 2. Em Psychic Specters podem contar com duas missões exclusivas,que nos revelam as origens do Darknyan e do passado da Dame Dedtime. Para além destas, temos ao dispor novos yo-kai e pela primeira vez, todos eles podem ascender até ao Rank S, algo que estava anteriormente limitado. Existe também a possibilidade de recrutar alguns yo-kai inimigos, mais precisamente os Wicked, e assim inseri-los na nossa equipa para lutarem por nós. Além disso, vão também poder contar com uma nova área a ser explorada e, se eram fãs do modo cooperativo Blasters, este modo foi expandido para suportar quatro jogadores. Um ponto muito positivo acerca da nova versão é o facto de poderem importar a gravação das duas versões anteriores e com isto ter acesso a masmorras exclusivas e bosses especiais.

Infelizmente, o jogo continua a não estar localizado em português. Sendo pensado para um público jovem,  este terá a tarefa dificultada, embora o jogo não apresente grandes dificuldades e julgo que o jogador mais inexperiente consegue desenrascar-se bem mesmo sabendo pouco da língua inglesa.


Apesar de o arranque ser lento, o jogo é bastante divertido, se o anterior era curto, neste as horas foram alargadas com todo este novo conteúdo disponível. Se tiverem interesse em jogar, esta é a versão que recomendamos para que conheçam as aventuras de Nate e Jibanyan neste mundo de espíritos.


Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo 3DS, gentilmente cedido pela Nintendo.