Notícias

Análises

9 de setembro de 2016

Como me tornei fã do Overwatch


Durante este fim de semana, de 9 a 12 de setembro, o jogo Overwatch estará disponível gratuitamente para todos os jogadores da PlayStation 4 e da Xbox One com uma subscrição Xbox Live Gold – leram bem, na PS4 não será sequer necessário subscrever o serviço PSN Plus! Bastará aceder à loja da respetiva plataforma, procurar pelo Overwatch e fazer o download da versão gratuita para ter acesso a todos os personagens e mapas do jogo, e ainda os modos "Quick Play", "Custom Games" e o mais recente "Weekly Brawl".

O período grátis começa às 20h00 de Portugal continental de 9 de setembro e irá terminar à meia-noite do dia 12. Caso decidam mais tarde comprar a versão completa do jogo Overwatch: Origins Edition, poderão manter todo o progresso obtido nesta versão gratuita.

Esta campanha deu o mote ao desafio que propusemos à Ana Alexandre, que nos acompanhou numa sessão de Overwatch (PC) no stand da Blizzard na Gamescom (vejam o vídeo humilhante aqui). Acontece que a Ana gostou tanto do jogo que acabou por comprá-lo e, por isso mesmo, a desafiamos a escrever um artigo sobre a sua experiência com o jogo e os motivos que a levaram a gostar. Segue-se o resultado!



Como me tornei fã do Overwatch
Por Ana Alexandre

Depois do guia de sobrevivência da Gamescom, estou aqui de novo para vos falar do jogo que comprei praticamente assim que regressei a casa de Colónia: Overwatch. Se já viram o vídeo do Telmo do gameplay de Overwatch, eu sou a ACBA que por lá anda a ser morta a cada 10 segundos, o que significa que tinha tudo para ter detestado o jogo. A verdade é que aquela foi mesmo a primeira vez que tentei jogar Overwatch e o facto de estar tudo em alemão ajudou zero à minha capacidade de compreender o que raio devia fazer além de tentar matar os tipos vermelhos que me estavam a tentar matar a mim. E a ganhar o jogo. Então, por que raio comprei eu o jogo?

"Blast from the past"
Vamos dar um salto à minha adolescência e a quando jogava Delta Force Black Hawk Down e Counter Strike em lan e online. Tudo aquilo era descomplicado e tudo aquilo era divertido. Uma pessoa conseguia perfeitamente passar tardes inteiras a jogar com amigos, como também conseguia ligar-se meia hora e jogar um bocado só para distrair. E sinceramente andava com saudades de um shooter que me mantivesse entretida e que me divertisse, porque para mim o objectivo principal de jogar é sempre o divertimento (se para vocês não for, é convosco, conseguem perfeitamente aproveitar o jogo se forem pessoas competitivas que querem levlar ao máximo e serem os melhores do jogo porque também o conseguem fazer em Overwatch). Sinceramente já tinha saudades de dar umas boas gargalhadas com um shooter e de jogar online com amigos - e de reclamarmos do facto de ninguém nos compreender na nossa equipa ou de darmos gargalhadas com mortes estúpidas.

(muita) Lore para quem quiser
Apesar de adorar um bom FPS, geralmente eles não têm propriamente aquela lore assim magnífica. Ah, mas existem livros e filmes. Pois existem, mas digamos que os argumentos costumam ser assim a dar para o fraquinho (hey, aceito sugestões se as tiverem). Pelo contrário, em Overwatch há lore que nunca mais acaba, mas que ao mesmo tempo não é essencial para jogar. Se não estiverem interessados nela, conseguem perfeitamente escolher a personagem com quem mais gostam de jogar e seguem a vossa vida sem mais demoras. Mas se gostarem de lore, então podem explorar uma infinidade de histórias do mundo de Overwatch e de cada uma das personagens. Neste momento existem já algumas curtas que são dignas de uma Pixar e alguns comics online. Contudo, está para sair um senhor calhamaço em forma de graphic novel (diria que é coisa para daqui a poucos meses, pela conversa da malta de Overwatch na Gamescom). Por outro lado, mesmo que não estejam interessados no jogo em si, podem estar interessados na lore e acompanhá-la, porque lá está, o jogo em si não contribui em nada para a causa.

Jogabilidade e dificuldade
Confesso que já não pegava num shooter a sério desde os meus 18 anos e estava com receio de ser uma abécula nisto. Provavelmente sou, mas ao mesmo tempo consigo fazer "play of the game" desde níveis bastante baixos, portanto não devo ser uma nódoa completa. A questão aqui é que existem personagens para todos os gostos e graus de dificuldade. Convenientemente, no momento de escolher a personagem, temos as várias opções organizadas por role, o que facilita a escolha. Depois, ao seleccionar cada personagem, temos informações sobre a dificuldade de jogar com essa personagem (entre uma e três estrelas) e os comandos a utilizar. À medida que nos vamos sentindo à vontade com o jogo, podemos passar para personagens mais difíceis de jogar, mantendo-se o estímulo de ir descobrindo o jogo gradualmente e de ir aumentando o nível de dificuldade. Além disso, como a tendência é emparelhar pessoas com níveis o mais próximo possível do nosso, vamos jogando contra pessoas cada vez mais experientes, o que também torna o desafio mais interessante.

Tempo
Já vos falei deste factor quando escrevi o artigo sobre Splatoon e ele mantém-se. É muito raro eu ter tempo para me dedicar várias horas a um jogo e, quando o faço, geralmente jogo World of Warcraft. Ou seja, já tenho um jogo capaz de me ocupar durante várias horas seguidas e não sinto a necessidade de ter outro tão absorvente. Portanto aquilo que geralmente procuro é um jogo que consiga jogar uma ou duas partidas se tiver um pouco de tempo livre, e este é perfeito para isso. Diria que o tempo médio das partidas encontra-se entre 7 e 15 minutos.

Plataformas
Não sou fã de jogar em consolas, mas sei que há muita gente que é. E uma coisa boa de jogos que não são exclusivos de uma só plataforma é que não só chegam a muito mais gente, como ainda temos a hipótese de escolher aquela em que mais gostamos de jogar. Se o Overwatch estivesse disponível apenas para consola, garanto-vos já aqui e agora que acabaria por nunca jogar.

Quanto a Overwatch, eu vim pela lore, mas fiquei pelo simples facto de me divertir. Fui acompanhando o lançamento das curtas e dos comics com curiosidade, sempre com a ideia de que não ia jogar, mas acabei por me convencer a comprá-lo quando percebi que era um jogo realmente divertido. Às vezes é mesmo tudo uma questão de dar uma oportunidade ao jogo e deixá-lo conquistar-nos. Overwatch encontra-se disponível para PC, XBOX One e PS4 e este fim de semana podem experimentá-lo gratuitamente nas duas consolas!