Notícias

Análises

19 de setembro de 2017

Project CARS 2


"Onde me fui meter?", pensei eu logo ao fim de uns minutos com Project CARS 2. Com mais de 180 viaturas e 140 pistas de corrida em 60 cenários diferentes, como poderia eu fazer uma análise adequada a este jogo? Não podendo atestar o realismo da condução destes maquinões, posso apenas atestar a impressão causada pela experiência de jogo, neste caso jogado na versão para PC.

Comecemos pela apresentação. Passando a espetacular introdução onde deparamos com uma série de viaturas, cenários e efeitos meteorológicos, deparamo-nos com um menu extremamente limpo, muito bem organizado, embora pouco distinto do que oferecem outros jogos do género. Um narrador ajuda a perceber facilmente em que consistem os diferentes modos e quais as diferentes opções e configurações que temos à disposição. Há imensas variáveis que podemos controlar à partida, em termos de jogabilidade e estética, que poderão afectar profundamente a experiência de jogo, seja para um novato que se quer iniciar nos simuladores, seja para um perito que procura o maior realismo possível.


Project CARS é um jogo de corridas, sim, mas procura acima de tudo replicar a experiência de condução, pelo que os iniciados terão de passar uma grande curva de aprendizagem. A principal dificuldade com os controlos será aprender a controlar a velocidade, que implicará um bom conhecimento, tanto do carro, como da pista. Isto para dizer que, se procuram uma experiência mais casual de corridas, talvez não seja o jogo mais indicado, especialmente se quiserem aventurar-se na competição online!

O Career Mode é o elemento central deste título. Aqui, podemos fazer o percurso completo da carreira de um piloto, desde os primeiros passos até à glória mundial nos grandes circuitos de competição. A experiência é personalizável, desde o mais realista possível a um calendário de eventos reduzido para um avanço mais rápido. Um evento começa por uma fase de prática, que tem como objetivo ficar a conhecer a pista e a performance do carro na mesma. Sempre que necessário, é possível fazer uma Pit Stop para fazer ajustes na viatura - um engenheiro está disponível para auxiliar, mas é possível ajustar tudo manualmente. Segue-se a fase de qualificação onde será determinada a posição dos jogadores no início da corrida e, finalmente, a corrida propriamente dita. A classificação final é o que conta, mas todo o trabalho feito no processo contribui para esse resultado.

Naturalmente, para quem joga offline, não faltam opções como Private Practice, para simplesmente testar as diferenças de carros, pistas, condições climatéricas, etc., ou o Custom Event, onde o jogador define as regras da competição que tenciona jogar, desde uma corrida rápida a um longo evento com múltiplas corridas. A competição "a sério" poderá ser encontrada no modo online, que responde a críticas do primeiro jogo com melhorias feitas a pensar numa comunidade menos tóxica e no apelo do mundo dos eSports, com eventos oficiais para acompanhar. Com corridas em tempo real, competições pelo melhor tempo em modo time-trial, configuração de eventos personalizados para desafiar outros jogadores, há opções para todos os gostos.


Graficamente, o jogo deu prioridade aos detalhes das viaturas e aos fantásticos efeitos meteorológicos, pelo que os cenários não atingem o fotorrealismo observado noutros títulos do género, embora ainda assim sejam bastante bons. O importante aqui é a condução, não a paisagem. Nesse sentido, é fácil sentir na condução do veículo o impacto de tudo o que vemos no ecrã, desde os diferentes pisos ao tempo dinâmico, que agora considera até a estação do ano para um maior realismo. Para uma maior imersão, a versão PC inclui ainda suporte para os capacetes de Realidade Virtual da Oculus e da Vive, assim como a utilização de 3 monitores 4K em simultâneo. Já nas consolas, foi assegurado o suporte para a PS4 Pro e a Xbox One X.

Mesmo após experimentar múltiplos tipos de eventos, carros, condições de corridas, Project CARS 2 faz-nos sentir que apenas arranhamos a superfície do conteúdo que tem para oferecer. Há jogadores que procuram uma experiência específica, como tornar-se especialistas numa marca ou participar em competições com outros jogadores, outros quererão experimentar a maior diversidade possível de eventos. O modo carreira será sem dúvida o mais gratificante para quem quiser dedicar bastante tempo a este título e sentir a progressão entre diferentes tiers e motorsports. Não é demais reforçar a extensão do conteúdo deste jogo com 189 carros distintos, desde os mais singelos karts ao mais impressionante Porsche - há mesmo para todos os gostos.


Um jogo muito fácil de recomendar a quem procura um bom simulador, com bom grafismo mas especialmente focado na experiência de um piloto nas várias etapas, incluindo os treinos e a afinação do veículo. Por este motivo, talvez não seja o mais indicado para quem apenas quer "dar umas voltinhas", a menos que procure umas voltinhas muito exigentes.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para o PC, gentilmente cedido pela Bandai Namco Entertainment.