Notícias

Análises

5 de junho de 2017

WipEout Omega Collection


Lançado em 1995 para a PlayStation, WipEout é um marco incontornável dos jogos de corridas de temática futurista, tendo dado origem à saga mais bem-sucedida dentro do género, com 9 títulos publicados ao longo de duas décadas no mercado. Em 2008, o jogo teve direito a um remake em HD para a Playstation 3, ao qual se acrescentou via DLC o pack "Fury" com conteúdos originais. Já em 2012 foi lançado WipEout 2048 para a PS Vita, uma prequela do original que serviu como o nono título da série e o último a ser lançado até à data. É neste contexto que nos chega WipEout Omega Collection, uma espécie de "3-em-1" com versões remasterizadas de WipEout 2048, WipEout HD e WipEout Fury, devidamente optimizadas para a PlayStation 4 e PS4 Pro.


Para quem não conhece WipEout, este é um jogo de corridas com naves a grandes velocidades, mas é também um jogo de sobrevivência na pista. A cada colisão a nave perde alguma energia, o que dá uma adrenalina extra às corridas: basta apanhar uma arma na pista e dispará-la contra os adversários. Existe mesmo um modo de "eliminação" onde a corrida continua até que reste apenas uma nave. Ainda assim, é na velocidade que está o grande apelo de WipEout, sendo até possível desligar completamente as armas em alguns modos de corrida. Há quatro classes diferentes de velocidades, sendo que a "Venom" (ou "C-Class" no modo 2048) é bastante acessível aos jogadores iniciados. É nas classes superiores que se sente o maior desafio e adrenalina, com uma dificuldade que exige um bom domínio dos comandos e rápidos reflexos.

Esta coleção pode ser uma versão remasterizada de títulos anteriores, mas em nenhum aspecto parece um jogo antigo. Houve aqui um tratamento de luxo, não só a nível das pistas e naves, mas também da banda sonora, cuidadosamente selecionada para uma grande experiência de jogo. É que, por mais que haja adrenalina e competição nas corridas, os visuais e a banda sonora combinam numa experiência que posso descrever como "zen", como que entrando em piloto automático enquanto estou a jogar. Uma experiência relaxante enquanto se ouve Prodigy e The Chemical Brothers? Porque não?

   

Temos ainda o factor nostálgico nesta equação. Por mais que o tempo tenha passado, esta Omega Collection atira-me de volta para os anos 90, quando o primeiro WipEout foi lançado e acompanhava os truques e dicas no Templo dos Jogos, para depois o jogar em casa de um amigo com a PlayStation. Nessa altura, o futuro era assim, retratado como agora o vemos nesta brilhante edição. Hoje em dia, ainda falta algum tempo para 2048, mas já não parece que este "futuro" vá acontecer.

Voltando à jogabilidade, este título oferece imenso conteúdo, dividido entre 3 modos principais: Campaign, Racebox e Online. No primeiro, podemos aceder aos modos para um jogador correspondentes aos 3 títulos incluídos na coleção, como se de jogos diferentes se tratassem. Cada um contém o seu conjunto de naves, cenários, missões e desafios disponíveis, embora as regras de progressão e desbloqueio de novos conteúdos variem um pouco no modo 2048 quando comparado aos modos HD e Fury. Além de competir contra o CPU e cumprir os objetivos, em todas as missões é possível comparar o desempenho contra os rankings mundiais ou dos amigos que também têm o jogo.


No modo Racebox podemos aceder às corridas rápidas, seja contra o CPU ou contra um amigo em modo local. É possível escolher o modo de jogo entre HD/Fury ou 2048, o tipo de evento ou corrida a realizar e se queremos ou não a utilização de armas. No caso de multijogador, podemos até escolher se queremos jogar em split-screen com a divisão de ecrã em modo horizontal ou vertical. Finalmente, o modo Online serve para levar o espírito competitivo a todo o mundo. Infelizmente, não tive a possibilidade de o testar durante o período de análise.


Mais do que uma viagem nostálgica, Wipeout Omega Collection é uma edição de luxo que oferece na PS4 uma nova vida a estes clássicos. Melhor ainda caso tenham uma PS4 Pro, onde poderão apreciar este jogo em 4K. Corridas de alta velocidade, com um grafismo cheio de estilo, uma banda-sonora viciante e bastante conteúdo para desbloquear fazem deste um título muito fácil de recomendar aos apreciadores do género! Agora, se me permitem, é só mais uma corridinha.

Nota: esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela SIEE.