Notícias

Análises

19 de dezembro de 2014

Shin Megami Tensei IV


Quando anunciado para a 3DS, Shin Megami Tensei IV rapidamente despertou o interesse dos fãs do género RPG, por ser um novo capítulo numa série repleta de spin-offs, alguns deles lançados para a DS e 3DS. Após o lançamento na América do Norte os fãs europeus aguardavam impacientemente por notícias sobre este lançamento cá, e depois de bastante confusão chega-nos através da eShop, embora que tardio.

Para quem não conhece, a série Shin Megami Tensei (SMT) costuma abordar um estilo mais adulto, por vezes até mesmo macabro, que lança novas questões sempre que surgem respostas. Nos seus jogos somos acompanhados por demónios que se tornam nossos aliados após os convencer a juntarem-se a nós. As suas capacidades tornam-se vitais num sistema de batalha onde temos de estar de completa atenção, onde um erro apenas pode determinar uma derrota imediata, e ao mesmo tempo tirar partido das fraquezas dos nossos inimigos garante-nos uma grande vantagem.

Neste título exploramos o reino de Mikado, onde anualmente os que tiverem 18 anos passam por um ritual que determina se são ou não dignos de ser um Samurai. Os escolhidos terão então de defender o reino, completando missões que lhes são ordenadas, onde principalmente terão de derrotar demónios. Para tal estes Samurai ganham a habilidade de poder ter estes mesmos demónios como aliados, de modo a conseguira lidar com as diversas missões que surgem.

O modo como a série explora a gestão da equipa é bastante interessante, e algo diferente do que estamos habituados a encontrar. Durante a batalha podemos dialogar com os demónios, e assim persuadir essas criaturas a juntarem-se a nós, através de todo um conjunto de ações diversas, entre responder a perguntas, oferecer dinheiro, itens ou até mesmo HP e MP, entre outros. Normalmente os resultados são bastante aleatórios, o que por vezes se torna frustrante quando o demónio decide fugir após lhe dar-mos alguns itens. No entanto à medida que vamos avançando no jogo os demónios ficam convencidos com a nossa força e decidem-se juntar a nós imediatamente, sem quaisquer diálogos.

Existem imensos demónios no jogo para recrutar, com diversas personalidades e também tipos de criatura. Aos poucos vamos adquirindo novas habilidades de diálogo, que nos permite comunicar com ainda mais demónios, ou ainda aumentar o espaço na nossa equipa, ideal para aventuras mais prolongadas. O sistema de personagens torna-se mais denso e interessante a partir do momento que criamos fusões entre demónios, subir o nível do nosso personagem para obter demónios mais fortes, ou ainda assistir a transformações dos nossos demónios em criaturas diferentes.

Acompanhando este denso sistema de demónios, com inúmeras combinações de equipa diferentes está uma história bastante misteriosa, com situações algo macabras. A fase inicial do jogo faz-nos compreender melhor o reino de Mikado, e ao explorar e falar com os diversos NPCs presentes vamos percebendo melhor as questões sociais do reino. Mas é quando exploramos um pouco mais, e descobrimos Tokyo que o mundo se torna mais interessante, adensando o mistério desse mundo. Para tornar tudo ainda mais curioso, existem áreas "separadas" onde são dominadas por demónios, e ainda após um Game Over chegamos à zona de passagem para o mundo dos mortos, onde nos é dada a oportunidade de voltar à vida a custo de dinheiro, ou ainda de Play Coins da 3DS.

É um jogo que se vai desvendando aos poucos, cuja história se vai revelando cada vez mais interessante, e constantemente nos lembra de questões lançadas desde o início. Infelizmente o desenrolar da história várias vezes é demasiado previsível, tal como os personagens cujas intenções deixam poucas surpresas assim que são reveladas. Ainda assim há muito a descobrir, e quanto mais avançamos vamos sendo confrontados com situações que nos fazem reflectir sobre as ações que temos de tomar neste estranho mundo, que nos lembra do nosso próprio mundo.

O jogo prima pela dificuldade, que por norma parece ser algo difícil pois geralmente nas batalhas as decisões tomadas têm de ser devidamente pensadas. Contudo não exclui ninguém e se formos recebidos pela sequência de Game Over múltiplas vezes, "do outro lado" é nos dada a opção de mudar a dificuldade do jogo para facilitar a vida aos que não se sentem tão capazes de lidar com o jogo.

Coloca de parte também várias questões que podem assustar alguns, ao eliminar as Random Battles colocando espectros dos inimigos visíveis nas masmorras que rapidamente nos perseguem, e que podemos atacar para ter vantagem na batalha. A exploração é também limitada a um conjunto de menus, ou mais tarde um mapa bastante simples, mas são muitas as masmorras a explorar cheias de demónios e tesouros. Temos muitas dungeons a explorar, mas foge ao estilo "Dungeon Crawler" e não as repete em demasia, tornando a experiência bastante agradável, mesmo com dungeons que nos deixam bastante reticentes em avançar.

Não só os visuais do jogo causam um bom impacto na experiência, por estar repleto de detalhes e tirar muito bem o efeito 3D da consola, como a banda sonora que nos acompanha cria o ambiente perfeito para a aventura, estejamos nós em dungeons, em batalha ou simplesmente a explorar o mundo. Também de louvar são as vozes das personagens, bastante usadas no jogo e com a excelente qualidade que a Atlus nos tem habituando ao longo do tempo.


Após uma longa espera Shin Megami Tensei IV chega à Europa, embora que pela eShop mas que não deve ser discriminado por ser digital. O seu preço é também excelente face ao conteúdo presente no jogo, e conta já com DLCs opcionais para prolongar um pouco mais a aventura, caso desejarem. Se são fãs do género RPG têm aqui uma excelente aposta, e mesmo se não for o vosso género predileto não precisam de ter receio da dificuldade.