Notícias

Análises

16 de dezembro de 2014

Captain Toad: Treasure Tracker


Corria o ano de 2007 quando o mundo se rendeu ao maravilhoso jogo Super Mario Galaxy, um jogo revolucionário que ainda hoje é considerado um dos melhores de sempre, onde o famoso canalizador da Nintendo explorava múltiplas galáxias em busca de estrelas douradas. Foi nesse jogo que ficamos a conhecer a Toad Brigade, quatro bravos aventureiros do Reino Cogumelo que exploravam o universo para ajudar o Mario na sua busca pelas estrelas. A presença destes exploradores continuou a cativar os fãs em Super Mario Galaxy 2, mas só em Super Mario 3D World é que o seu bravo capitão teve direito a algum protagonismo, em alguns níveis especiais do jogo.

O nosso Capitão em Super Mario 3D World
Estes níveis consistiam em pequenos mapas tridimensionais que Toad teria de explorar para encontrar várias estrelas verdes, com a condicionante de levar uma mochila demasiado pesada que não lhe permitia saltar. Um jogo de plataformas sem saltos transforma-se rapidamente num puzzle, e estas missões obrigavam a utilizar a câmara para analisar o cenário de todos os ângulos de forma a encontrar um caminho seguro para o nosso capitão. Eram níveis simples, mas muito bem desenhados, pecando apenas por serem apenas um bónus do jogo principal que deixou água na boca. Os fãs de Super Mario 3D World acharam que este conceito daria para fazer um jogo inteiro... e deu mesmo!

O Capitão e a Toad Brigade estão de volta!
A Nintendo ouviu os fãs e, alguns meses depois, anunciou que estaria a desenvolver este Captain Toad: Treasure Tracker, uma compilação de níveis inspirados nos bónus do grande jogo de plataformas da Wii U. O conceito é o mesmo, em que cada nível é uma espécie de maquete com vários segredos e algumas armadilhas, muitas das quais escondidas pelo ângulo de câmara, que pode ser livremente manipulado com o movimento do GamePad ou o botão analógico direito. Agora, Toad tem a habilidade de arrancar nabos do chão e depois arremessá-los (inspirado em Super Mario Bros. 2 da NES) ou interagir com interruptores. No entanto, continua sem poder saltar, ficando assim vulnerável a muitos inimigos e obstáculos que num jogo normal de plataformas não apresentariam qualquer ameaça.

Além dos controlos normais do personagem, é também importante a interação através do GamePad, aqui muito bem aproveitado. Um sopro ao microfone permite revelar moedas escondidas e um toque no ecrã pode congelar momentaneamente um inimigo e assim facilitar a passagem. Alguns níveis requerem a manipulação de plataformas e outros permitem usá-lo como perspectiva do Toad na primeira pessoa em sequências de tiros (com nabos, obviamente!). Estes últimos, especialmente quando o herói circula sobre carris, são particularmente gratificantes. Quem diria que os nabos podiam ser tão violentos?

Acorda Toadette! Está na hora de te juntares à aventura!
A construção dos níveis é excelente e obriga muitas vezes a repensar a forma de abordar certos desafios e ver as coisas por outra perspectiva (nem sempre no sentido literal da palavra). Mas isto não seria um jogo da Nintendo se não tivesse uma grande dose de charme em cima, com o fantástico estilo gráfico de Super Mario 3D World aliado a excelentes animações dos personagens. Ao fim de pouco tempo, a Toadette junta-se à aventura, que vai alternando entre os dois exploradores. Embora não haja diferenças de jogabilidade entre eles, as suas diferentes personalidades são bem vincadas pelas animações. Os personagens reagem de forma diferente aos cenários que encontram, tremendo de frio em níveis de gelo ou arrepiando-se de medo em casas assombradas, sem nunca perder o optimismo – aqui não há lugar para covardias!

O jogo não tem uma duração muito grande para quem apenas quer completar a história, mas os jogadores mais afincados terão aqui muito com que se entreter até conseguir atingir os 100%. Isto porque em cada nível existem 3 cristais para colecionar além da Power Star no final, acrescido de um desafio extra que varia de nível para nível. Colecionar os cristais requer atenção e exploração redobrada, e muitas vezes, para conseguir o desafio extra é necessário repetir o nível com uma abordagem completamente diferente da que se usou para conquistar a estrela. Completar estes desafios desbloqueia ainda alguns níveis bónus com uma dificuldade acrescida, recompensando assim os jogadores mais dedicados.

Este parece fácil... basta atravessar aquela ponte... certo?
Tendo em conta que este jogo será vendido a um preço reduzido em comparação com o habitual da Wii U, o conteúdo oferecido é bastante justo e não deixará ninguém arrependido. A Nintendo anunciou ainda que este título será compatível com as figuras amiibo, mas à data deste artigo não existe qualquer informação acerca da forma como serão utilizadas, dando a entender que não é uma funcionalidade planeada desde o início. Não foram também anunciados quaisquer planos para conteúdos adicionais (DLC) mas, tendo em conta a estrutura do jogo por episódios, a criação de níveis extra seria algo bem-vindo no futuro.

Pode ter começado como um personagem secundário e material para níveis bónus, mas Captain Toad: Treasure Tracker é mais do que um spinoff. Tal como Luigi conseguiu destacar-se na sua série Luigi's Mansion, o Capitão Toad tem aqui material para começar a sua própria franquia de aventuras-puzzle, qual Indiana Jones do Reino Cogumelo. Por vezes, não é preciso inventar um novo personagem para introduzir um novo conceito de jogo, e este adequa-se bem ao fungos preferidos dos fãs da Nintendo. O jogo peca apenas por ter poucos níveis de boss e reutilizar várias vezes os monstros, havendo apenas dois "mauzões". Utilizar muitos dos gráficos e músicas de Super Mario 3D World é algo mais facilmente perdoável, visto que não há qualquer intenção de demarcar este jogo do título de plataformas do Super Mario onde o conceito surgiu.


Um jogo ideal para fãs de puzzles, é também um interessante desafio para os fãs de plataformas. Quem jogou Super Mario 3D World e se deliciou com os pequenos níveis do Toad irá adorar este título e dificilmente descansará sem o completar a 100%. Difícil é parar de o jogar!