Notícias

Análises

30 de novembro de 2013

Wii U celebra o 1º aniversário em Portugal!

Faz hoje um ano que a Wii U chegou a Portugal, acompanhada de jogos como Nintendo Land e New Super Mario Bros. U. Apesar das novidades da consola, a receção inicial foi bastante fraca por parte dos consumidores: um problema que até hoje se mantém, embora a opinião geral esteja finalmente a mudar.
O lançamento contou com a euforia inicial de alguns fãs mais acérrimos, mas não foi bem sucedido em captar a atenção do público em geral, devido a vários factores. Por um lado, o novo título do Mario não prometia grandes novidades em relação ao seu antecessor New Super Mario Bros. Wii. Por outro lado, Nintendo Land é um jogo muito menos acessível aos jogadores ocasionais do que êxitos da Wii como Wii Sports ou Wii Party. Rayman Legends, o jogo de plataformas que prometia demonstrar as inovações da consola no dia de lançamento, tinha sido adiado para inícios de 2013.

Passada a quadra natalícia, com vendas muito abaixo do esperado e longe do sucesso inicial da Wii, tocaram as cornetas do apocalipse. A consola começou a ser vista como um fracasso e as empresas third-party começaram a reduzir o investimento na consola, sendo particularmente relevante um novo atraso no lançamento de Rayman Legends para setembro, desta vez para que o jogo saísse em múltiplas plataformas – o jogo acabou for ficar condenado ao esquecimento, tendo sido um fracasso de vendas em todas as plataformas onde saiu. Estamos no início de 2013 e com um enorme vazio de lançamentos para a Wii U, preenchido apenas por Monster Hunter 3 Ultimate, uma adaptação de um jogo da Wii dedicado aos jogadores mais hardcore.
Os primeiros ventos da mudança surgiram com um Nintendo Direct recheado de anúncios de jogos para 2013, complementado pelos anúncios da E3 com mais jogos para 2013 e outros para 2014. Pikmin 3, também originalmente previsto para o lançamento da Wii U, chegaria em Julho com a promessa de que, desde então, a Nintendo iria editar pelo menos um grande título por mês até ao final do ano. De qualquer forma, o primeiro semestre de 2013 estava perdido. Pikmin 3 foi a prova de que a Nintendo não estava preparada para o lançamento da Wii U em 2012 – este é um jogo excelente e extremamente polido, mas exigiu um período de desenvolvimento muito superior ao que a Nintendo esperava.


Tivesse a consola sido lançada após a E3, contando já com Pikmin 3, Rayman Legends e os principais lançamentos anteriores, e poderíamos estar agora a narrar uma história diferente. Às pequenas criaturas de Pikmin, seguiram-se os heróis de The Wonderful 101, num jogo que demonstrava as capacidades da consola mas dedicado a um público de nicho. E assim chegamos ao lançamento de Legend of Zelda: The Wind Waker HD. Embora sendo um remake de um jogo com 10 anos, o novo grafismo de Wind Waker captou a imaginação de fãs da série que começaram a ver a consola como um hardware apetecível.
Os últimos 2 meses assistiram a uma vaga de lançamentos com a marca "Wii", sucessores aos títulos mais populares da consola anterior, liderados pelo excelente Wii Party U. Este deveria ter sido um título de lançamento, com um apelo muito mais imediato do que Nintendo Land e capaz de mostrar de forma muito divertida o que a Wii U pode fazer que não seria possível na Wii. A este, juntam-se Wii Fit U e Wii Sports Club, para mostrar que a Wii U também é capaz de fazer as coisas que se faziam na Wii. Apesar da consola ser compatível com todos os jogos da Wii, mostrar que também tem a sua própria versão destes títulos ajuda a mostrar as vantagens em trocar pela nova consola.

Passado um ano, fica a sensação de que a consola chegou demasiado cedo ao mercado com uma oferta que não tinha sido pedida. No entanto, após uma série de títulos com excelentes reviews, a consola começa finalmente a tornar-se mais desejável. A variedade de bons jogos multiplayer faz com que seja uma grande opção para festas em casa e a qualidade dos jogos single-player começa a chamar a atenção dos jogadores. Agora, a Wii U tem grandes jogos e justifica realmente o investimento, mas ainda falta passar a mensagem ao consumidor.


Apesar de tudo, o primeiro aniversário da Wii U celebra-se em grande. O dia de ontem marcou o lançamento de Super Mario 3D World, um jogo fantástico dos criadores de Super Mario Galaxy (Wii) e Super Mario 3D Land (3DS) e que está a cativar a imaginação dos críticos e jogadores em todo o mundo. As pessoas podem não ter saído de casa a correr para comprar uma Wii U com o novo Mario, mas já se sente uma mudança de mentalidade em relação à consola. Vários artigos da imprensa mundial afirmam que a Wii U é o melhor presente para este Natal e a própria EDGE afirma que Super Mario 3D World é o jogo mais "next-gen" de 2013.


O balanço final deste primeiro ano acaba por ser bastante positivo, sendo já uma consola com grandes jogos disponíveis e para todos os gostos. Quem adquiriu a consola no seu lançamento, passou por um longo período com uma escassa oferta de títulos, mas tem agora um excelente catálogo de jogos exclusivos à disposição. Jogos como Call of Duty: Ghosts, Assassin's Creed IV ou Skylanders: Swap Force são exemplos de populares títulos multiplataforma que também marcam presença na Wii U.

O primeiro aniversário da Wii U parece-se mais com um segundo lançamento. No mês que marca a chegada das consolas PS4 e Xbox One (em alguns territórios) a influente revista EDGE afirma que é hora de comprar uma Wii U [link]. Por aqui, somos da mesma opinião: Super Mario 3D World, The Legend of Zelda: The Wind Waker HD, Pikmin 3 e Wii Party U fazem um pacote bombástico de motivos para se ter a consola em casa.


Resta agora que a Nintendo esteja à altura do desafio neste segundo ano que agora começa, continuando a lançar jogos de qualidade e a surpreender os jogadores. O próximo ano promete-nos Super Smash Bros. e Mario Kart 8, mas só estes dois jogos não serão suficientes. Por outro lado, a Nintendo mostrou-nos com a 3DS que é possível recuperar de um mau lançamento com a edição de jogos bombásticos uns atrás dos outros. Venham eles!