Notícias

Análises

20 de maio de 2011

Pokémon Black / White Version

Pokémon Black e Pokémon White marcam um novo começo para aquela que é uma das série mais populares do mundo dos videojogos. A 5ª geração de Pokémon não quis esperar pela 3DS e chegou à Europa apenas algumas semanas antes da sucessora da Nintendo DS, trazendo consigo um mundo completamente novo para explorar e 156 novas criaturas para descobrir. É também um dos maiores saltos qualitativos já vistos na série, entrando directamente para os favoritos de muitos fãs de longa data.

Unova é o nome da região explorada neste jogo, situada numa parte do "mundo" completamente diferente das visitadas nos jogos anteriores. É este o pretexto para que o jogo tome a liberdade de reinventar as regras. Embora familiar, o ambiente de Black e White é muito mais moderno, uma característica que se reflecte em todo o jogo, desde o desenho das cidades ao dos próprios Pokémon. Os gráficos não são extraordinários mas, ainda assim, são os melhores já vistos nesta série: texturas mais ricas e variadas, cenários tridimensionais mais elaborados e, principalmente... animações durante as batalhas! O facto de termos animações como uma novidade diz tanto da falta de evolução gráfica na série, como da sua pouca importância em relação ao resto.

Pela primeira vez, a história é um elemento central do jogo. Não por causa de um típico grupo malvado (que nem por isso deixa de existir em Black e White), mas pelo desenvolvimento de personagens, um antagonista misterioso e um dilema ético que se abate sobre o protagonista / jogador. Poderá considerar-se um abuso treinar Pokémon para utilizar em combates? O objectivo principal continua a ser treiná-los, ganhar os 8 badges dos treinadores e derrotar a Elite 4, como em qualquer jogo da série. No entanto, a componente de história estará sempre presente, como se espera de um RGP "moderno".


A componente multijogadores foi também bastante melhorada neste jogo. A novidade que mais salta à vista é o C-Gear, que ocupa o ecrã táctil da DS e permite estabelecer ligações a qualquer momento com outras consolas que tenham o jogo ligado. O sistema de trocas está bastante melhorado, não só a nível local como através da internet: agora é possível efectuar trocas em tempo real com pessoas de todo o mundo através de um sistema de negociações bastante simples, para além dos já tradicionais pedidos no serviço GTS introduzido em Pokémon Diamond e Pearl. Também pela primeira vez neste jogo, é possível efectuar combates em tempo real contra jogadores desconhecidos de todo o mundo, uma funcionalidade com a qual muitos jogadores vão perder horas sem conta.


Além dos pontos já referidos, é difícil explicar o que faz com que este seja um jogo melhor do que os anteriores. É realmente o jogo mais polido, com mais fluidez e melhor ritmo de progressão já feito em Pokémon. E tem, acima de tudo, o cheiro a novo. Não se pode criticar uma coisa por aquilo que ela não é, mas é uma pena que este jogo não tenha esperado um pouco mais para ser lançado na 3DS. A perspectiva de câmara utilizada seria perfeita para o ecrã 3D da nova consola e as funcionalidades do C-Gear seriam muito mais interessantes se este utilizasse o StreetPass. Mas aqui temos o ponto de partida para o futuro e, se tivermos Pokémon Black e Pokémon White como ponto de partida, esta série terá um futuro brilhante.