Notícias

Análises

27 de julho de 2018

Go Vacation


O Verão a chegar, tempo livre para passear e desfrutar... e claro, para uma compilação de minijogos também! Eis Go Vacation, o remake de um jogo da Wii que, por sua vez, era inspirado em títulos como Wii Sports e Wii Sports Resort. Mas será este o destino ideal para os jogadores da Nintendo Switch?

Sendo pouco mais que uma grande compilação de minijogos para 1 a 4 jogadores, Go Vacation faz algumas coisas muito bem. Ao ligar o jogo, pode optar-se por uma de 4 maneiras de jogar: um jogador, 2 a 4 jogadores com um par de joy-cons cada um, 2 a 4 jogadores com apenas um joy-con para cada um e ainda em modo local sem fios, para 2 a 4 jogadores mas cada um na sua consola. Depois disso, escolhe-se quem vai jogar e aí sim entra o perfil de utilizador da Nintendo Switch: cada um tem a sua progressão e recordes pessoais e a mesma conta vale quer se esteja a jogar a solo ou em multijogador.


Da forma que o jogo está estruturado, existem 4 resorts para explorar com múltiplas atividades disponíveis. Aqui ninguém veio de férias para descansar, mas há de tudo para passar o tempo, desde motas de água ao bungee-jumping, passando por skate e snowboard (porque é uma ilha tropical mas nada a impede de ter imensa neve). Os resorts são explorados livremente com a personagem e, ao jogar a solo, pode-se levar também a conta de um amigo na forma de NPC e ainda um cão para passear. O primeiro grande problema está aí, os controlos da personagem nos resorts são terríveis.

O mapeamento dos botões parece ter vindo diretamente da Wii para as posições mais "parecidas" nos joy-con, então não há segundo analógico para controlar a câmara, o botão de salto é o gatilho direito (ZR), etc., o que acaba por afetar também os controlos dos minijogos. Nenhum é intuitivo e, por isso, convém sempre ver bem o "how to play" para cada um deles. O jogo oferece uma alternativa de controlos por movimento que até funciona bastante bem, mas não resolve o problema de se saltar/correr/usar itens em botões esquisitos: isso só mesmo o hábito.


Sendo o principal ingrediente deste jogo, os minijogos revelaram-se uma pequena desilusão. Muito por causa do grafismo cuja estética se poderia definir como "Wii HD" (o sonho nunca realizado do Michael Pachter). Os gráficos não estão à altura dos dias de hoje e isso reflete-se nos minijogos propriamente ditos, maioritariamente enfadonhos e com cenários completamente básicos. Minijogos de corridas sem qualquer sensação de velocidade? Check. Depois há o problema de muitos deles não terem qualquer profundidade em termos de jogabilidade. Claramente a aposta foi direcionada a um público mais juvenil e jogadores ocasionais, mas nem assim replicou o apelo "universal" dos jogos da série Wii Sports.


Go Vacation sofre pela falta de originalidade e pelo envelhecimento do conceito em que se inspirou. Não é que seja um mau jogo, mas quando uma sessão multijogador obriga a uma aprendizagem constante de comandos e depois os minijogos não se revelam propriamente empolgantes, perde-se muito do conceito de "party game" que seria de esperar aqui. A exigência do público será um fator dominante, sendo um jogo ideal para crianças pela enorme variedade de conteúdo e também para famílias numerosas que tirem partido dos modos para até quatro jogadores. Os restantes, provavelmente irão preferir passar férias em melhor companhia.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Nintendo.