Notícias

Análises

10 de abril de 2018

InnerSpace


InnerSpace procura ser um jogo explorativo, em que controlamos uma nave, tanto aérea como marítima. O jogo é lindíssimo, disso não há dúvida. As cores garridas e vívidas são de encher as vistas, almejando a nossa paz interior, ou Espaço Interior (como o título do jogo).

Jogando este jogo, tive a plena noção da minha respiração — não sei se pela tranquilidade inerente aos tons azuis que monopolizam a vista se pela dificuldade de controlo do objeto a pilotar, que prontamente se despenhava ou chocava com as paredes.



O objetivo do jogo é tão confuso quanto os controlos: o jogador é livre de manipular os objetivos na sua ordem, sendo premiado com pequenas pistas auditivas; mas para entender os objetivos deve primeiro perceber como se controla o objeto de jogo, tarefa difícil em ambos os casos. Os puzzles são simples de resolver, assim que os entendamos. Mas de tão dispersas que várias partes estão colocadas, é difícil compreender alguns deles.

A maior parte da minha interação com este jogo foi passada em frustação, tentando controlar eficazmente a nave e simultaneamente apreender todo o universo à procura de uma pista que me fizesse entender o objetivo. O girth move muito rápido e é diferente dos controlos laterais, pelo que se queremos subir a nave, devemos pensar o inverso. Como se não bastasse, não é possível parar a nave e olhar em redor, exceto em alguns locais específicos, que oferecem sempre o mesmo ponto de vista.



A nave permite ser atualizada com as Relíquias que vamos encontrando ao longo dos puzzles, dando-nos armadura, rapidez de voo, capacidade de mergulharmos em águas profundas, etc... No entanto, algumas das manobras mais arriscadas e radicais só nos são permitidas quase a terminar o jogo. E sejamos francos, a probabilidade de repetirmos o jogo é baixa, ou de continuarmos imersos no pesado estilo de navegação que o jogo propõe.



InnerSpace enche a vista, mas a falta de profundidade na jogabilidade e os puzzles simples e com poucas dicas tornam-no difícil de recomendar. Quem pretende comprar um drone, pode seguramente treinar neste ambiente, seguro que não vai chocar a sua aeronave contra nenhum portão de garagem.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela Aspyr Media.