Notícias

Análises

8 de fevereiro de 2018

Pokémon Crystal Version


Pokémon Crystal dispensa apresentações. Depois de Gold e Silver, o terceiro jogo da segunda geração de Pokémon foi lançado com toda a pompa na GameBoy Color como uma versão melhorada dos anteriores, incluindo a nível da história que agora se focava no lendário Suicune mas também permitia obter os dois lendários de capa das outras versões. O jogo está de volta na Nintendo 3DS através do serviço Virtual Console e, tal como aconteceu com os restantes jogos GameBoy desta série, inclui algumas novidades.


Esta é mais uma aventura da saga Pokémon onde queremos ser o melhor treinador, colecionar todos e vencer os ginásios, derrotar a Elite 4 e ser o grande campeão da região de Johto. Mas há uma surpresa, pois é possível visitar Kanto (a região original da primeira geração) e também lá colecionar todos os pokémon e vencer os ginásios, entre outras coisas. Tudo o que podíamos encontrar no jogo em 2001 continua presente, mas esta versão inclui um bónus muito importante: após a conclusão da história, é possível aceder a um evento que nos permite obter o Pokémon Mítico Celebi - algo que, no original, exigia aceder fisicamente a um evento da Nintendo que nunca aconteceu em Portugal.

A experiência de jogar Pokémon Crystal numa Nintendo 3DS (neste caso, uma New Nintendo 3DS XL) é uma autêntica viagem no tempo, mas agora num ecrã com cores bem mais vibrantes do que as obtidas numa GameBoy Color. Embora seja uma funcionalidade presente na maioria dos jogos da Virtual Console, neste jogo não é possível salvar o estado, pelo que é importante não esquecer de ir gravando o progresso. Não há cá batotas, se quiserem fazer "reset" terão de o fazer à maneira antiga.

Entre as novidades desta versão, inclui-se a possibilidade de fazer trocas e batalhas utilizando o wireless da Nintendo 3DS, algo bastante importante se tiverem amigos que também tenham embarcado nesta viagem nostálgica. No entanto, a melhor de todas é, à semelhança dos restantes jogos da série na Virtual Console da 3DS, a possibilidade de transferir todas as criaturas para o serviço Pokémon Bank e depois usá-las nos títulos mais recentes da sétima geração em diante. Tecnicamente, é uma funcionalidade do Pokémon Bank, mas não deixa de ser uma mais valia para os indecisos entre adquirir este jogo ou não: a possibilidade de treinar um Celebi vindo diretamente da segunda geração.


O maior problema com este lançamento foi simplesmente o timing do seu lançamento, desfasado das versões Gold e Silver. Será que os jogadores de uma dessas versões irão querer repetir a aventura apenas por algumas novidades? Seja como for, estamos perante um grande clássico das consolas portáteis, pelo que saberá sempre bem voltar a pegar-lhe.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo 3DS, gentilmente cedido pela Nintendo.