Notícias

Análises

12 de fevereiro de 2018

Beholder - Complete Edition


Para começar a falar sobre Beholder, é preciso referir vários aspetos importantes, porque isto não é apenas um mero jogo, há realmente muito mais por detrás de Beholder que pode até acabar por ser um pouco chocante para alguns jogadores, sem estar a cair no exagero porque mesmo eu senti uma opressão forte ao jogar Beholder.

Assim que começamos o jogo assistimos a uma cutscene que nos dá a entender em que regime vivemos, uma ditadura sufocante onde os dias são sempre cinzentos escuros e o povo vive oprimido. Para uma vida melhor, o nosso protagonista Carl mais a sua família vão viver para um apartamento, o qual Carl terá de gerir conforme o Governo assim exigir. Sob leis rígidas e vigilância 24h, até o nosso protagonista tem de estar sempre ativo e responsivo às chamadas telefónicas e fazer um registo por escrito ao governo indicando os problemas e o funcionamento das pessoas que vivem no apartamento gerido por si.

Como já dá para entender, vamos ter de ser firmes e pactuar com este regime duro se queremos que a nossa família tenha uma vida melhor que a do povo desgraçado. Para tal, teremos de denunciar todos os casos ilegais ao governo, é para isto que nos pagam, manter a lei e o patriotismo máximo. Mal chegamos ao apartamento somos apresentados com o tutorial completo de como gerir o apartamento. Temos uma cabine onde controlamos as pessoas pelas câmaras e um telefone para contactar o governo, além disso temos também uma secretaria para escrever os relatórios e onde estão guardadas as fichas dos habitantes do apartamento com os seus respetivos dados e toda a informação desde antecedentes criminais até ao interesse em alugar o apartamento.


O prédio está dividido por 6 apartamentos, cada um pode ou não ter habitantes. Se não tiver, acabamos por receber pessoas interessadas em alugar, mas aí é que se torna engraçado porque devemos avaliar o perfil de cada pessoa antes de assinar o contrato, por isso devemos analisar bem o seu historial. Isto tudo pode ser complicado inicialmente, mas com o tempo habituamo-nos à jogabilidade e de qualquer das formas podemos sempre rever o tutorial para algum caso de dúvida que queiramos esclarecer algo. É importante apresentarmo-nos aos novos habitantes e assegurar de que estão bem instalados no nosso prédio. Temos também de fazer obras e ter em atenção às necessidades de quem no prédio reside.

Falando acerca das pessoas e denúncias, é claro que nós não podemos, por lei, entrar nas casas das pessoas. No entanto, visto que vigiamos os seus passos, é preciso ter noção dos seus horários e hábitos, aí surge a oportunidade perfeita para entrar na casa das pessoas e instalar por exemplo umas câmaras de vigilância para ser mais fácil de apanhar os criminosos em flagrante, ou mesmo ouvir conversas de protestantes ou rebeldes que querem atuar contra o governo. O que o governo escrever nos relatórios e o que está nas leis é para ser cumprido, como por exemplo, não ser permitido usar uma gravata azul, se a pessoa tiver na gaveta uma podemos denunciar. Para fazer essa denúncia com provas concretas, é só ligar à polícia para vir prender o indivíduo em questão, visto que não queremos problemas e nós somos os responsáveis pelo apartamento. Mas o melhor é mesmo a liberdade que acabamos por ter sendo o senhorio, isto porque podemos esconder do governo que temos um habitante imigrante ilegal pelo qual somos subornados com drogas, álcool, alimentos raros etc… Tudo vai depender daquilo que desejamos, já se costumava dizer “toda a gente tem um preço” e acaba mesmo por ser isso. É também possível chantagear os próprios habitantes para que possam estar a viver no apartamento apesar de cometerem crimes contra as leis do governo.


O jogo é super interessante e tudo depende das nossas escolhas e atitudes pelo jogo fora. É de longe um dos jogos mais obscuros que alguma vez joguei, este é um jogo que me fez sentir o que é uma verdadeira ditadura e como devo gerir a minha vida e a dos outros. As coisas parecem fáceis, mas não são. De realçar que a Complete Edition traz o DLC Blissful Sleep que se passa no mesmo prédio, mas com uma história diferente, logo podem contar com mais umas horas de jogo para combater o poder ou juntarem-se a ele.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela Curve Digital.