Notícias

Análises

23 de novembro de 2017

Rush: A Disney Pixar Adventure


Se há coisa de que não podemos acusar a Disney ou a Pixar, é de não conhecer bem o público infantil. Especialmente no que à Pixar diz respeito, são mestres em criar imaginários capazes de apaixonar todas as gerações, filmes com mensagem e conteúdo tanto para os pais como para os filhos. É precisamente no imaginário das crianças que se baseia este Rush: A Disney Pixar Adventure. Os miúdos adoram imaginar-se em situações dos seus filmes favoritos e imaginar as suas aventuras. Porque não, então, um jogo que parte logo desse princípio?


Rush é uma espécie de parque temático da Pixar inspirado nos filmes Up, Toy Story (1, 2 e 3), The Incredibles, Cars (1 e 2), Ratatouille e Finding Dory, sendo este último a única novidade em relação à versão anterior do jogo. O parque, no entanto, é de muito baixo orçamento: fizeram umas decorações baseadas nos filmes, as crianças que imaginem o resto. O conceito do jogo funciona! Duas crianças encontram-se no cenário de um filme e começam a imaginar uma aventura. De forma natural transitamos para o nível que resulta dessa imaginação.

O mais interessante aqui é a diversidade dos níveis, havendo um pouco de tudo para todos os gostos. Tão depressa iremos nadar com o Nemo como perseguir um vilão dos Incredibles, descer um rio a canoa no mundo de Up ou competir a alta velocidade na equipa do Faísca McQueen. A jogabilidade, não sendo extraordinária, cumpre o seu papel. Este é um jogo para miúdos e não pretende ser mais do que isso. O maior trunfo é mesmo esta variedade de conteúdos, com material suficiente para agradar a todas as crianças e até ajudá-las a perceber com que tipo de jogos se identificam melhor.


Este título é uma versão remasterizada de Kinect Rush: A Disney Pixar Adventure, lançado originalmente para a Xbox 360 para dar utilidade ao (agora descontinuado) aparelho de deteção de movimentos. Embora tenham mantido a compatibilidade, agora o jogo está adaptado aos controlos tradicionais. A nova versão foi optimizada para correr em 4K HDR na Xbox One X e, graças ao programa Xbox Play Anywhere, pode também ser jogada em PCs com Windows 10. Em qualquer plataforma, os gráficos do jogo são coloridos e vibrantes, fazendo justiça aos universos aqui recriados.

A longevidade pode não ser muito grande, com cerca de 6 a 8 níveis por filme, mas graças ao sistema de pontuações há uma boa rejogabilidade. Embora este jogo já conte com o mundo de Finding Dory, seria muito mais interessante se incluísse já conteúdos de outros filmes recentes da Pixar como Inside Out ou o novo Coco.


Não há como resistir ao charme dos filmes da Pixar e os mundos neles retratados. Rush é uma boa porta de entrada, tanto para o universo Pixar como até para os videojogos em geral, com níveis simples mas divertidos. Um bom presente de Natal para famílias com miúdos pequenos e uma Xbox na sala de estar.
Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Xbox One, gentilmente cedida pela Xbox.