Notícias

Análises

17 de outubro de 2017

Lovers in Dangerous Spacetime


All you need is love! Lovers in a Dangerous Spacetime é aquele jogo engraçado cuja premissa gira em volta do amor, mas que nos mete a disparar para tudo o que se mexe. Não, a sério. Este jogo é super fofo, com coelhos perdidos para salvar, corações espaciais, parceiros cães e personagens queridas. O senão é que há mauzões que querem acabar com o amor no universo e cabe ao jogador manter e espalhar o amor pelos quatro cantos.


Este Lovers é predominantemente um jogo multiplayer até quatro jogadores. Exige coordenação, comunicação e uma valente dose de paciência. Haverá momentos de grande tensão, mas pensem que é tudo um teste à amizade, não fosse o tema do jogo. Há uma pitada de democracia, onde há que decidir quem faz o quê: ora tomam conta das armas, canhão especial (Yamato – aquela referência), escudo, mapa ou conduzem. É bastante divertido quando tudo corre bem, quando não corre bem… contem com um fim prematuro da missão. E qual é essa missão?, perguntam. Salvar os cinco coelhinhos espalhados (e updates à nave, se conseguirem), desbloquear a passagem para o próximo nível e defrontar o boss da praxe. Não é o jogo mais original do bairro, mas não é muito longo ao ponto de aborrecer. Pelo contrário, este jogo tem imenso a favor para que tal não aconteça. Primeiro: o tema em si; segundo: os visuais vibrantes. O uso da cor é bastante imaginativo e alucinogénico, dando aquela sensação de estarmos sob o efeito de… amor! Claro. E os efeitos sonoros que complementam o grafismo de uma maneira brutal – a banda sonora lembra-me o género cyberpunk, com ritmos frenéticos e rápidos para não nos deixar esmorecer.

É uma compra fantástica para jogarem com amigos, mas é uma outra experiência se jogarem sozinhos. Há momentos frustrantes porque temos de contar apenas com a AI, mas há um controlo diferente que nos permite dar comandos ao parceiro virtual. É mais tenso, é mais difícil e solitário, mas gratificante no final. Não há vergonha em admitir que o jogo tem o seu pico de dificuldade, principalmente quando entramos naquela fase de ondas e ondas de inimigos. Se reduzirem a dificuldade ninguém vos vai apontar o dedo, quanto muito juntam-se e provam um pouco deste Lovers.


Para concluir, a Asteroid Base tomou a decisão certa em lançar este jogo na consola da Nintendo. A Switch é só a consola perfeita para Lovers in a Dangerous Spacetime. Que melhor maneira de espalhar o amor se não através da partilha de dois Joy-Con? Trocam-se olhares, embarcam na nave e partem para os confins do espaço. Love, love, love…

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo Switch, gentilmente cedido pela Asteroid Base.